Conecte-se agora

Educação

Bolsonaro discorda de Rui sobre estudantes ricos pagarem em universidades públicas

Presidente também disse que ‘diploma não é garantia de emprego’

Durante um café da manhã com jornalistas nesta quinta-feira (23), o presidente Jair Bolsonaro discordou da ideia do governador Rui Costa de que as famílias mais ricas paguem pelo estudo de seus filhos em universidades públicas do país. Na visão do líder nacional, esta medida “espantaria” os estudantes com esse perfil familiar para faculdades de outros países, como Portugal. 

“Se as universidades públicas começarem a cobrar R$ 3 mil em mensalidade dos alunos, vai ter fuga em massa nos cursos de graduação do Brasil. Eu sou contra uma medida como esta, porque o pai vai preferir pagar para o filho estudar em outros países”, disse o presidente da República.

Bolsonaro também disse que acredita mais na eficácia de um “bom curso técnico” nas chances de alguém conseguir um emprego do que em um curso superior. “Diploma na parede não é garantia de emprego”, afirmou Bolsonaro, que voltou a defender o aporte de mais recursos no ensino básico. 

Nessa quarta (22), o governo se viu obrigado a recuar da decisão de bloquear recursos destinados à Educação. O Ministério da Economia informou que vai usar uma parte da chamada “verba de contingência”, um total de R$ 5,37 bilhões, para compensar a perda de arrecadação estimada neste ano e, assim, recompor o orçamento da Educação e do Meio Ambiente, alvos de cortes. (Correio24horas)
 

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

MEC abre inscrições para o Fies hoje; veja como se candidatar

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), programa do Ministério da Educação (MEC) que concede financiamento a estudantes em cursos superiores não gratuitos, inicia suas inscrições nesta terça-feira, por meio do site fies.mec.gov.br . O prazo para se candidatar vai até 1º de julho.

O fundo tem duas modalidades, com uma escala de financiamentos que varia conforme a renda familiar do candidato , indo de 50% a 99% do valor total do curso.

Na primeira modalidade, pode se inscrever quem tiver renda familiar mensal per capita de até três salários-mínimos (ou seja, de até R$ 2.994, somando todos os salários da casa). A segunda modalidade, denominada P-Fies, é destinada aos estudantes com renda per capita mensal familiar de até cinco salários-mínimos (R$ 4.990).

Para cumprir os requisitos do programa, o candidato deve ter obtido no mínimo 450 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio ( Enem ) e não pode ter zerado a redação. A ordem de classificação no Fies segue a das notas no Enem.

Quem for selecionado fará o contrato entre os dias 10 e 12 de julho. Já a chamada da lista de espera está programada para o período de 15 de junho a 23 de agosto.

Vagas sobrando
Das 100 mil vagas de faculdade ofertadas por meio do Fies para o primeiro semestre deste ano, apenas 38,7% foram preenchidas, segundo dados do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Foi a pior taxa de ocupação desde 2016, quando o programa passou a ter quantidade definida de vagas disponibilizadas.

Diretor-executivo do Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior (Semesp), Rodrigo Capelato afirma que o ano de 2019 registra a taxa mais baixa da série porque o patamar de financiamento garantido pelo governo no Fies , que vai de 50% a 99%, não atende aos estudantes.

— A maior parte dos alunos está reportando que consegue financiar só 50% da mensalidade, o que é insuficiente. Não é só a mensalidade, tem o material, o transporte, a alimentação. Então eles desistem, especialmente diante dessa crise econômica — diz Capelato.

*OGlobo

Continue Lendo

Educação

UFRB abre inscrições para concurso público com 16 vagas para técnicos administrativos

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) está com inscrições abertas para o concurso público destinado ao provimento de cargos efetivos integrantes da carreira de Técnico-Administrativos em Educação. As inscrições têm início nesta quarta-feira, 19 de junho, e seguem abertas até 15 de julho. Ao todo, são ofertadas 16 vagas, com a seguinte distribuição: 02 vagas para nível superior, 12 vagas para nível médio e 02 vagas para nível médio/técnico.

As inscrições devem ser realizadas exclusivamente via internet, no site do Instituto AOCP. O valor da taxa de inscrição é de R$ 120,00 para cargos de nível superior (Nível E) e de R$ 90,00 para cargos de níveis médio e médio/técnico (Nível D). No pedido de inscrição, o candidato deve optar pela cidade onde realizará a prova: Amargosa, Cachoeira, Cruz das Almas, Feira de Santana ou Santo Antônio de Jesus. Nos locais em que houver número inferior a cem inscritos, os candidatos serão alocados para as cidades mais próximas em que haja provas.

O prazo de validade do concurso é de dois anos, contados da data da respectiva homologação, podendo ser prorrogado uma vez, por igual período. O concurso será composto por prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório, para todos os cargos e prova prática para os cargos de nível médio/técnico. As provas serão aplicadas no dia 11 de agosto, em horário e local a serem informados no Cartão de Informação do Candidato, a ser disponibilizado no site do Instituto AOCP.

Os cargos disponíveis para Nível E são Farmacêutico-Bioquímico (01 vaga) e Tecnólogo/Gestão de Recursos Humanos (01 vaga), com vencimento básico previsto de R$ 4.180,66. E as vagas de Nível D são de Assistente em Administração (12 vagas), Técnico de Laboratório/ Microscopia (01 vaga) e Técnico de Laboratório/ Química (01 vaga), com vencimento básico correspondente a R$ 2.446,96. Conforme previsto em lei, são reservadas 02 vagas para Pessoas com Deficiência (PCD) e 02 vagas para Candidatos Negros do cargo de Assistente em Administração.

Os requisitos básicos para a investidura nos cargos são: aprovação e classificação no concurso; nacionalidade brasileira ou, no caso de estrangeiros, situação regular no país; idade mínima de 18 anos completos na data da posse; aptidão física e mental para o cargo pretendido; não acumulação de cargos, empregos e funções públicas, exceto aqueles permitidos pela Constituição Federal; quitação com as obrigações militares e eleitorais; gozo dos direitos políticos; apresentação da documentação necessária, entre outros exigidos no edital.

O resultado final do concurso será homologado e publicado no Diário Oficial da União, após decididos todos os recursos interpostos. O candidato nomeado será convocado para inspeção médica e, se considerado apto, deverá entrar em exercício em até 15 dias. A UFRB definirá a unidade de lotação funcional do candidato aprovado, de acordo com a necessidade institucional. O servidor somente poderá ser movimentado de sua unidade de lotação ou da UFRB decorridos 36 meses da data de ingresso na instituição, salvo conveniência e interesse da administração.

Confira o Edital Nº 01/2019 – Concurso Público para Técnicos Administrativos.

Mais informações no site do Instituto AOCP ou no site Concursos da UFRB.

Continue Lendo

Educação

ProUni deve divulgar nesta terça resultado de primeira chamada

O resultado da primeira chamada do Programa Universidade para Todos (ProUni) será divulgado nesta terça-feira, 18, na página do programa. Para assegurar a bolsa de estudos, os estudantes que foram selecionados devem, a partir desta terça-feira, ir às instituições de ensino e comprovar as informações fornecidas na hora da inscrição.

No site do ProUni está disponível a lista da documentação necessária.

Cabe aos estudantes verificar, nas instituições de ensino para as quais foram selecionados, os horários e o local de comparecimento para a aferição das informações. O prazo para que isso seja feito vai até o dia 25 de junho.

Aqueles que não foram selecionados têm ainda outras chances. No dia 2 de julho seja divulgada a lista dos aprovados em segunda chamada. Os candidatos podem, ainda, participar da lista de espera nos dias 15 e 16 de julho. ProUni

Ao todo, serão ofertadas para o segundo semestre deste ano 169.226 bolsas de estudos em instituições particulares de ensino superior, sendo 68.087 bolsas integrais, de 100% do valor da mensalidade e 101.139 parciais, que cobrem 50% do valor da mensalidade.

As bolsas integrais são destinadas a estudantes com renda familiar bruta per capita de até 1,5 salário mínimo. As bolsas parciais contemplam os candidatos que têm renda familiar bruta per capita de até 3 salários mínimos.

Quem pode participar

Podem participar do ProUni candidatos que não tenham diploma de curso superior e que tenham participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018.

Além disso, os estudantes precisam ter cursado o ensino médio completo em escola pública ou em instituição privada como bolsista integral.

É preciso ter obtido ainda nota mínima de 450 pontos na média aritmética das notas obtidas nas provas do Enem.

O cálculo é feito a partir da soma das notas das cinco provas, dividida por cinco. Outra exigência é a de que o aluno não tenha tirado zero na redação.

Também podem se inscrever no programa estudantes com deficiência e professores da rede pública.

Continue Lendo