Conecte-se agora

Polícia

Mulher é presa após adulterar atestado médico de 4 para 9 dias de afastamento


Uma mulher de 30 anos foi presa nesta semana por apresentar um atestado médico falso para a empresa onde trabalhava em Santa Bárbara d’Oeste (SP). De acordo com o mandado de prisão, cumprido na segunda-feira (5), ela foi condenada por falsidade ideológica. A mulher, que trabalhava como atendente em uma empresa do setor de combustíveis, foi acusada de aumentar de quatro para nove a quantidade de dias de afastamento.

De acordo com o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), ela foi condenada a dois anos e quatro meses de reclusão em regime inicial semiaberto, além de 11 dias-multa. O advogado de defesa da acusada durante o processo informou que não cabe mais recurso neste caso, e que ela deverá passar apenas as noites na prisão.

Falso atestado

A acusada trabalhava como atendente quando, de acordo com o TJ-SP, apresentou problemas de saúde e compareceu ao Hospital Afonso Ramos, do Sistema Único de Saúde (SUS) para atendimento médico. Na ocasião, ela recebeu um atestado de afastamento por quatro dias. O caso aconteceu em outubro de 2017.

A representante da empresa onde ela trabalhava, ao receber o documento, desconfiou de sua autenticidade, já que constavam nove dias de afastamento. Ela entrou, então, em contato com o hospital e confirmou que o atestado não era verídico.

De acordo com o processo do TJ-SP, o documento foi submetido à perícia, que constatou a adulteração nos dias de afastamento, de quatro para nove dias.

Segundo o advogado da empresa que acusou a funcionária de adulteração, Fábio Henrique Pejon, a desconfiança sobre a originalidade do documento se deu porque ele foi entregue com rasuras. O TJ-SP destaca que, apesar disso, a falsificação “não era grosseira”.

“Fomos até o Pronto Socorro que emitiu [o atestado] e constatamos que realmente ela aumentou os dias de afastamento. Procedemos com a demissão por justa causa e lavramos o Boletim de Ocorrência em seguida”, explica o especialista em direito trabalhista.

De acordo com Pejon, as autoridades ouviram os representantes da empresa e do hospital. O delegado responsável, então, concluiu o inquérito, que foi encaminhado para o Ministério Público (MP), onde foi constatado que havia indícios de crime. (G1)

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Com bebê no carro, família é flagrada pela PRF com 15kg de crack na BR-116


A Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu na manhã desta sexta-feira (13) um homem e uma mulher flagrados transportando 15kg de crack em um carro, na BR-116. Além do condutor e a namorada, estavam no veículo um adolescente de 17 anos e uma criança de um ano e cinco meses, filho do casal.

A abordagem ocorreu no km 566 da rodovia, no trecho próximo ao município baiano de Nova Itarana. O carro tinha placa de Cuiabá (MT).

Segundo a PRF, o motorista demonstrou contradições e aparentava estar muito nervoso durante a abordagem, o que chamou a atenção da equipe.

Escondidos dentro do banco onde estava a criança, foram encontrados 15 tabletes de substância semelhante ao crack, com o peso total aproximado de 15 kg. Um vídeo divulgado pela PRF mostra a apreensão da droga. 

Ao ser questionado, o condutor relatou que saiu da cidade de Cuiabá (MT) com destino à Maceió (AL), onde entregaria a droga em um posto de combustível.

Ele informou que receberia pelo transporte do ilícito a quantia de 7 mil reais.

Os policiais encaminharam o condutor e a namorada, juntamente com a droga, à sede da Polícia Judiciária na cidade de Nova Itarana.

Segundo a corporação, a equipe acionou o Conselho Tutelar para as providências cabíveis em relação à criança e o adolescente por estarem em situação de risco.
*BNews.

Veja vídeo

Continue Lendo

Polícia

Operação conjunta localiza sete acusados de tráfico e um menor na Bahia; homem morre em troca de tiros


Oito suspeitos foram localizados durante a Operação Lázaro, nesta quinta-feira (12), na cidade de Canavieras, localizada no Sul do estado da Bahia. A ação, que contou com a participação da 7ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin), 71ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM) e Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe) Cacaueira, também apreendeu drogas.

Denílson Santos da Silva, 29 anos, Luís Felipe dos Santos Araújo, 22, Vitor Mercês Vasconcelos, 27, Jaquilane Santos Silva, 26, e Walison Costa dos Santos, 19, foram presos em flagrante com drogas e um menor de 17 anos apreendido no bairro Sócrates Rezende.

Leandro Neves dos Santos e Márcio Paiva de Jesus tiveram mandados de prisão cumpridos, enquanto Leonardo Barros Soares, o ‘Léo Doido’ reagiu, atirando contra os policiais. Ferido e socorrido para o Hospital Municipal Régis Pacheco, acabou morrendo.

Segundo o titular da Delegacia Territorial de Canavieiras, delegado Renato Fernandes Ribeiro, Léo Doido foi investigado após disparar cinco vezes contra a cabeça do comparsa Jhônatas Villas Boas, o ‘Pastorzinho’. Fingindo-se de morto, ele foi enterrado vivo, mas resistiu.

Foram apreendidos 10 porções de maconha, 125 petecas de cocaína, 52 pedras de crack, balança e celulares. Em poder de Léo Doido estavam um revólver calibre 38, munições, um simulacro de pistola e dois celulares. “Denílson, Luís Felipe, Vitor, Jaquilane, Walison Leandro e Márcio vão ser encaminhados para os presídios de Itabuna e Ilhéus”, disse o delegado.
*Varela Notícias.

Continue Lendo

Polícia

Maconha e drogas sintéticas são apreendidas na central dos Correios de Camaçari


Drogas sintéticas, além de haxixe e maconha, foram apreendidas durante Operação Correio Legal, nesta quinta-feira (12/12), na central dos Correios de Camaçari. Equipes do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) participaram da ação.

Os entorpecentes foram encontrados em dez pacotes de itens triados na unidade da Região Metropolitana (RMS). A operação integrada entre o Draco e a unidade de inteligência da Empresa de Correios e Telégrafos (ECT), tem o objetivo de combater o tráfico de drogas, durante o período de festas de fim de ano.

De acordo com o delegado Alexandre Ramos Galvão, as investigações continuam com o objetivo de identificar os reais envolvidos, chefes dos grupos e destinatários dos entorpecentes.
*Aratu On.

Continue Lendo

Mais Lidas