Conecte-se agora

Esporte

Brasil conquista medalhas de ouro na vela, judô, hipismo e atletismo em jogos Pan-Americanos


O Brasil conquistou medalhas de ouro na vela, no judô, no hipismo e no atletismo nesta sexta-feira (9/8) nos Jogos Pan-Americanos de Lima. A delegação brasileira ainda pode garantir mais vitórias, pois disputará todas as finais da natação.

Medalhas na vela

Nesta sexta, os atletas de vela do Brasil conquistaram várias medalhas. As principais vieram com Patrícia Freitas, na categoria RSX, e com Marco Grael e Gabriel Borges, na 49er.

Na RSX, Patrícia Freitas garantiu a conquista do ouro mesmo ficando na segunda posição na regata de hoje. Com a soma dos resultados ela acabou o evento na liderança da classificação geral e garantiu o tricampeonato.

Na 49er, Marco Grael e Gabriel Borges venceram a medal race e confirmaram o ouro na prova. Eles tinham vencido 6 das 12 regatas disputadas até então neste Pan.

Outra conquista brasileira na vela foi a prata na Laser Standard. Bruno Fontes terminou a medal race em terceiro e garantiu a segunda posição na classificação geral.

A última medalha do dia na vela veio com Samuel Albrecht e Gabriela Nicolina, que conquistaram o bronze na Nacra 17.

Como algumas provas não puderam ser completadas por razões climáticas, o Brasil deve conquistar mais medalhas na vela neste sábado (10).

Judô

No judô, o destaque foi a conquista da campeã olímpica Rafaela Silva na categoria até 57 kg. Para garantir o ouro Rafaela derrotou, por ippon na final, a dominicana Ana Rosa.

Daniel Cagnin obteve outra medalha no judô. Ele ficou com a prata na categoria até 66 kg após ser derrotado na decisão por Wander Mateo, da República Dominicana. A terceira medalha do dia foi o bronze de Jeferson Santos Júnior na categoria até 73 kg.

Hipismo

O Brasil garantiu mais uma medalha de ouro no hipismo nesta edição do Pan. A conquista veio com Marlon Zanotelli na prova individual de saltos. Uma medalha inédita.

Medalhas no atletismo

O Brasil teve um dia de conquistas no atletismo. A primeira foi protagonizada por Ederson Vilela na prova dos 10 mil metros. Ele completou a corrida com o tempo de 28min27s44, a melhor marca da carreira, para ficar com o ouro. O segundo colocado foi o norte-americano Reid Buchanan e o terceiro Lawi Lalang, também dos EUA.

Outro ouro veio na prova do revezamento 4×100 metros feminino. Com o tempo de 43s04, Andressa Fidelis, Vitória Rosa, Lorraine Martins e Rosangela Santos conseguiram terminar a prova em primeiro. Canadá ficou com a prata e Estados Unidos com o bronze.

Também no masculino o Brasil foi ouro no revezamento 4×100 metros. Rodrigo Nascimento, Jorge Henrique Vides, Derick Souza e Paulo André Oliveira superaram as equipes de Trinidad e Tobago (prata) e dos Estados Unidos (bronze).

Na prova dos 200 metros rasos Vitória Rosa garantiu a prata. A brasileira, que já havia conquistado um bronze nos 100 metros rasos, completou a prova de hoje em 22s62, ficando atrás da campeã olímpica Shelly-Ann Fraser-Price, da Jamaica, que conseguiu o tempo de 22s43. Fonte: Aratu Online

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Rússia é banida por doping e país está fora de competições esportivas por quatro anos


A Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) decidiu nesta segunda-feira (9/12) excluir a Rússia de competições oficiais por quatro anos em consequência da falsificação de dados dos controles entregues à entidade. Com a punição, o país não disputará os Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, no Japão, e os Jogos de Inverno de Pequim-2022, na China, além de outros grandes eventos esportivos. A entidade deve incluir a Copa do Mundo.

Na última segunda-feira (2/12), o Comitê de Compliance da Wada, um dos principais painéis da entidade, sugeriu medidas drásticas contra o esporte russo, o que foi aprovado com unanimidade nesta segunda pelo Comitê Executivo, após uma reunião em Lausanne, na Suíça.

A informação foi divulgada nesta segunda (9/12). “A lista completa de recomendações (de sanções por parte do Comitê de Revisão de Conformidade) foi aprovada por unanimidade dos 12 membros do Comitê Executivo”, declarou o porta-voz James Fitzgerald aos jornalistas presentes na sede da Wada.

Atletas russos que provarem que não fizeram parte do esquema e que estão limpos em exames antidoping poderão competir individualmente sob a bandeira neutra, como aconteceu nos Jogos de Inverno de 2018, disputados em Pyeongchang, na Coreia do Sul. E também nos Jogos do Rio, no atletismo. A Rússia tem 21 dias para recorrer da decisão da Wada e o caso pode parar na Corte Arbitral de Esporte (CAS, na sigla em inglês).

A decisão da Wada poderá trazer fortes consequências para a Uefa e para a Fifa. Se não puder mais receber grandes eventos esportivos por um período de quatro anos, a Rússia não poderá mais receber jogos da Eurocopa do próximo ano, a ser realizada em diversas cidades espalhadas pelo continente, incluindo São Petersburgo. A mesma cidade já foi escolhida pela Uefa para receber a final da Liga dos Campeões em 2021. A Wada também vai explicar essa situação em breve.
*Aratu On.

Continue Lendo

Esporte

Bahia perde para o Fortaleza e termina o Brasileirão em 11º


Na tarde de hoje (8), o Bahia perdeu por 2×1 para o Fortaleza, no Castelão, e encerrou sua participação no Brasileirão 2019 com derrota. Os gols da partida foram marcados por Osvaldo e Tinga, para o Fortaleza, e Artur, para o Bahia.

A equipe cearense saiu na frente do placar com gol do atacante Osvaldo aos 12 minutos do 1º tempo. O Bahia conseguiu melhorar e empatou ainda na primeira etapa, gol de falta do atacante Artur.

No entanto, a lei do ex surgiu no Castelão. O lateral-direito Tinga, que já defendeu as cores do Bahia, recebeu passe de Gabriel Dias e deu números finais ao placar.

Com o resultado, o tricolor baiano ficou com 49 pontos e terminou a competição na segunda parte da tabela, no 11º lugar. O Esquadrão está garantido na Copa Sul-Americana 2020. (M1)

Continue Lendo

Esporte

Bahia fecha o Brasileirão 2019 com média de público de 26 mil pagantes


Com o jogo diante do Vasco na última quinta-feira (5), o Bahia encerrou a sua participação como mandante no Campeonato Brasileiro. Apesar dos últimos jogos em Salvador não animarem em termos de resultado, os tricolores têm o que comemorar: a massiva presença nas arquibancadas.

De acordo com números do site GloboEsporte.com, a média de público do Esquadrão de Aço foi de 26.338 pagantes, o que significa uma ocupação média de 55% da capacidade e a sexta maior presença da competição, sendo superada pelas torcidas de Palmeiras, São Paulo, Fortaleza, Corinthians e Flamengo.

A maior presença aconteceu no jogo contra o Flamengo, com 43.099 pessoas. Já a menor assistência foi no encontro com a Chapecoense, com o total de 16.836 torcedores.

O número desta temporada é o maior desde que o Esquadrão de Aço retornou para a Série A. Em 2018 a média fechou em 19.315, enquanto em 2017 foi de 21,540.
*Bahia Notícias.

Continue Lendo

Mais Lidas