Connect with us

Polícia

Integrantes de quadrilha são presos enquanto jogavam bola


“Eu gostava de traficar, mas pegar o que é dos outros e tirar a vida de alguém nunca fiz não. Nunca matei ninguém não”, disse o suspeito de homicídio, Taylor Werley Carmo Silva, 23 anos. Ele foi preso nesta terça-feira, 3, em Candeias, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), enquanto jogava bola em um campo de futebol, juntamente com o comparsa Jadeilton Bispo Pereira, 21 anos, que estava com um arma calibre 38, com numeração suprimida, munições de drogas. Eles são apontados pela polícia como integrantes de uma quadrilha especializada no roubo de carros.

Os dois foram apresentados na manhã desta quarta-feira, 4, na sede da Polícia Civil, na praça da Piedade, no centro de Salvador. Segundo a delegada Glória Isabel Santos do Departamentos de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP), Taylor Werley possui dois mandatos de prisão em aberto, ambos emitidos pela comarca judicial de Feira de Santana (a 109 km de Salvador), pelos crimes de tentativa de homicídio e um homicídio consumado, praticados em 2016 no mesmo município.

“Em uma disputa por área de tráfico de drogas, ele matou o rival Ramilson dos Santos Silva, vulgo ‘Dadai’, que atuava no bairro Aviário, lá em Feira de Santana. No caso, Taylor chegou na porta da casa do de Dadai e pediu para que uma criança (parente dele) chamasse o homem que foi morto quando saiu. A criança também foi atingida pelos disparos, mas não morreu”, disse a delegada Glória Isabel.

Um dos comparsas de Taylor, identificado até o momento como Elvis, também foi assassinado durante uma retaliação da facção rival de Dadai. Após esse evento, Taylor saiu fugido de Feira, com medo de ser morto, e se escondeu no município de Candeias, na Região Metropolitana de Salvador (RMS). Ele foi preso durante a operação Tentáculos, deflagrada ontem na RMS. A ação, que é coordenada pelo DCCP já vem investigando há algum tempo a quadrilha no qual Taylor e Jadeilton integravam. A polícia não divulgou quantos mais são envolvidos para não atrapalhar nas investigações.

Embora a operação tenha iniciado ‘oficialmente’ com a prisão da dupla, a delegada Maria Selma Lima, diretora dos Departamentos de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP) contou que um carro, modelo Strada, foi recuperado no dia 31 de agosto, em um depósito em Feira. O veículo teria sido furtado pela então quadrilha. “Conseguimos acompanhar esse veículo através de tecnologia de rastreamento e de identificação facial da Secretaria de Segurança Pública (SSP) e entregamos o carro ao dono e prendemos o sujeito que estava no local”, explicou Maria Selma.

A diretora do DCCP ainda alertou que a operação continuará ainda neste mês de setembro em Salvador e na RMS. “Temos um avanço significante na redução dos números de carros roubados comparando o mês de agosto do ano passado com o deste ano”, explicou, ainda acrescentando que “os números são de 18,7% na região da orla de Salvador; 17,3 na área central de Salvador; e 17,3% na zona do subúrbio da capital baiana. É preciso também que a população ajude ainda mais nesta redução através de denúncias”.

Taylor será encaminhado para a penitenciária de Feira de Santana e Jadeilton para o sistema carcerário de Candeias. (ATarde)

Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Investigação da PF aponta que incêndios no pantanal começaram em 4 fazendas de grande porte no MS

Foto : Chico Ribeiro/Governo de Mato Grosso do Sul

Uma investigação da Polícia Federal, iniciada em junho, aponta que os incêndios que já destruíram 25 mil hectares do Pantanal no Mato Grosso e Mato Grosso do Sul começaram em quatro fazendas de grande porte em Corumbá (MS). 

A suspeita é de que produtores rurais tenham colocado fogo na vegetação com o objetivo de transformar em área de pastagem. 

As fazendas apontadas pela PF como suspeitas de origem das chamas são: Califórnia, que pertence Hussein Ghandour Neto e tem 1.736 hectares; Campo Dania, cujos donos são Pery Miranda Filho e a mãe dele, Dania Tereza Sulzer Miranda, com 3.061,67 hectares; São Miguel, de Antônio Carlos Leite de Barros (33.833,32 hectares), além de Bonsucesso, de Ivanildo da Cunha Miranda (32.147,06 hectares). (Metro1)

Continue Reading

Polícia

Casos de feminicídio têm redução de 85,7% no mês de agosto, diz SSP

Foto: Divulgação

Sem nenhum caso contabilizado em Salvador e nas 13 cidades da Região Metropolitana de Salvador (RMS), a Bahia registrou apenas uma ocorrência de feminicídio em agosto, no interior do Estado.

De acordo com levantamento realizado pela Secretaria de Segurança Pública (SSP), o crime de feminicídio registrou queda de 85,7%, no mês em comparação ao mesmo período do ano passado.

Conforme a pasta, em 2019, no oitavo mês do ano, a polícia havia contabilizado sete ocorrências contra mulheres. Dos sete, seis foram em cidades do interior e um caso ocorreu na capital baiana. Na RMS, não houve registros nos dois períodos

“É um trabalho muito difícil, mas que desempenhamos com total dedicação. Assim que sabemos da situação vulnerável da mulher, aproximamos e iniciamos um acompanhamento. Não podemos atuar dentro dos lares, educando aqueles que imaginam a mulher como objeto, mas seguiremos repreendendo essas práticas machistas”, declarou a comandante da Operação Ronda Maria da Penha de Lauro de Freitas, tenente Luana Queiroz Braga. (A Tarde)

Continue Reading

Polícia

Justiça mantém prisão de PMs acusados de sequestrar advogado para extorquir R$ 15 mil

Foto: Divulgação

O juiz Horácio Moraes Pinheiro, da Vara de Auditoria Militar, negou pedido para revogar a prisão preventiva dos policiais militares Gustavo Nascimento Martinez e Edson Barbosa Júnior, acusados de sequestrar o advogado Deivisson Santos de Almeida e cobrar R$ 15 mil para libertá-lo.

O magistrado seguiu parecer do Ministério Público da Bahia (MP-BA), que defendeu a manutenção da prisão da dupla, que responde a ação penal pelo crime de extorsão mediante sequestro. No pedido, a defesa dos PMs alegou que a fase de instrução processual acabou porque réus já passaram por interrogatório, “não mais se justificando a manutenção da medida restritiva, mormente em razão de preencherem os demais requisitos legais para obtenção da suas liberdades.”

Para o juiz, no entanto, o crime pelo qual os dois são acusados é de “extrema gravidade”, e a prisão deles é “necessária para garantia da ordem pública”. Além disso, os réus teriam usado a estrutura da PM para realizar o sequestro, como uma viatura descaracterizada do Setor de Operação de Inteligência da Polícia Militar – Operação Apolo e armamento. Por isso, a continuidade da prisão é vista pelo magistrado como forma de aplicar a lei penal militar. 

Na decisão, o juiz afirmou, ainda, que a violência em Salvador está em “índice alarmante” e, por isso, é preciso a atuação da Justiça para manter custodiadas “as pessoas que se envolvem na prática de tais delitos – especialmente quando decorrente, em tese, de ação daqueles dos quais a sociedade espera proteção -, sob pena de o sentimento de impunidade desencadear uma série de novos delitos e aumentar a sensação de insegurança dos cidadãos.”

Caso sejam condenados, os PMs podem pegar de seis a 15 anos de prisão.

O CRIME
Segundo a denúncia do Ministério Público, aceita pela Justiça em junho deste ano, o caso aconteceu na noite de 30 de março deste ano. Gustavo e Edson abordaram, em via pública, o advogado Deivisson Santos de Almeida. 

Os PMs, narra o MP-BA, roubaram inicialmente R$ 850 da vítima e a obrigaram, ameaçando-a com uma arma, a entrar na viatura descaracterizada que utilizaram para fazer o sequestro. Eles exigiram, então, R$ 20 mil para libertar o advogado com vida. A vítima conseguiu entrar em contato com uma terceira pessoa e levantou a quantia de R$ 15 mil, que foi entregue aos sequestradores nas imediações do restaurante Rancho do Cupim, no bairro de Pituaçu. Após pagamento do valor, o advogado foi liberado. (Bahia Notícias)

Continue Reading

Siga-nos no Instagram:

Facebook