Conecte-se agora

Brasil

Najila é indiciada por calúnia e extorsão em “caso Neymar”


A Polícia Civil de São Paulo anunciou nesta terça-feira (10\9) uma reviravolta no caso de estupro envolvendo o jogador Neymar. Najila Trindade foi indiciada pelos crimes de denunciação caluniosa, fraude processual e extorsão. A decisão foi tomada pela titular do 11º DP, Monique Lima, após a conclusão dos dois inquéritos, que tramitavam em conjunto com a 6ª Delegacia de Defesa da Mulher. 

De acordo com o UOL, o ex-marido de Najila, Estivens Alves, também foi indiciado. Ele é suspeito de fraude processual e por divulgar material com conteúdo erótico da ex-mulher, já que Estivens mandou as imagens a um repórter em troca de publicações na internet. 

O caso de estupro envolvendo o atacante Neymar foi arquivado em 8 de agosto, após um pedido do Ministério Público de São Paulo. Caso haja novas provas, o inquérito poderá ser reaberto a qualquer momento.

Durante entrevista coletiva na época, a promotora Flávia Merlini afirmou que os laudos do Instituto Médico Legal (IML) não constataram nenhum sinal de violência em Najila. O único presente seria uma lesão no dedo, ocorrida no dia seguinte ao suposto estupro, quando a modelo brigou com Neymar no quarto do hotel. Fonte: Aratu On

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Bolsonaro passa por exame para investigar possível câncer de pele


O presidente Jair Bolsonaro passou, na tarde desta quarta-feira, por um procedimento dermatológico no Hospital da Força Aérea. De acordo com ele, está sendo investigado um possível câncer de pele. Foi realizada uma cauterização de sinais na região próxima à orelha. Os sinais estariam trazendo preocupação, mas, segundo avaliação médica, não seriam “nada de mais”, relatou um integrante do governo ao GLOBO.

Bolsonaro deixou o Palácio do Planalto às 16h10 rumo ao Hospital da Base Aérea. Em junho, o presidente já havia passado por consulta com dermatologista no mesmo hospital. A Secretaria de Comunicação informou a ida ao médico se tratava apenas de uma consulta de rotina. Bolsonaro deixou o hospital às 17h25 e seguiu para o Palácio do Alvorada. Lá, comentou a possibilidade do câncer de pele.

— Tenho pele clara, pesquei muito na minha vida, fiz muita atividade. Então, a possibilidade de câncer de pele existe — disse Bolsonaro.

Questionado se estava bem, Bolsonaro afirmou, em tom de brincadeira, que o vice-presidente Hamilton Mourão continua no cargo:

— Por enquanto,  o Mourão continua vice, pode ter certeza.

O presidente tinha uma viagem marcada nesta quarta para Salvador, onde visitaria as obras do aeroporto. Questionado por que a viagem foi cancelada, Bolsonaro disse que foi por “questão de estafa”. Fonte: GLOBO.

Continue Lendo

Brasil

Petrobras quer vender fatias de Braskem e Gaspetro em Bolsa


O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, afirmou nesta quarta (11) que a empresa pretende vender em Bolsa suas fatias na petroquímica Braskem e na Gaspetro, empresa que participa de distribuidoras estaduais de gás canalizado.

Ele disse ainda que a estatal recebeu, em média, cinco ofertas não vinculantes por cada refinaria do primeiro lote de quatro unidades postas à venda. As ofertas finais, porém, só deverão ser entregues no início de março de 2020.

Até 2024, a empresa prevê arrecadar entre US$ 20 bilhões e US$ 30 bilhões (cerca de R$ 82 a R$ 123 bilhões, pela cotação atual) com a venda de ativos, segundo plano de negócios anunciado na semana passada. A Braskem não está incluída nesse valor.

Castello Branco disse que a ideia é oferecer as ações das empresas em Bolsa ainda em 2020. A Petrobras tem 30% da Braskem e 51% da Gaspetro. O executivo reconheceu, porém, que os planos da estatal enfrentarão resistência dos sócios.

No caso da Braskem, a Petrobras tem mais pressa para se desfazer do ativo do que a sócia Odebrecht, que falou em três anos. “Nós somos 100% opostos a essa ideia. Nessa concepção, parece ideia de quem não quer vender nada”, disse o presidente da estatal.

“Foi-se o tempo em que eles [Odebrecht] mandavam na Petrobras”, afirmou o executivo, em café da manhã com jornalistas na sede da empresa.

A Petrobras quer encerrar o acordo de acionistas com a Odebrecht e mudar todas as ações da Braskem para ordinárias, com direito a voto, com o objetivo de melhorar a governança e elevar o valor da petroquímica em Bolsa.

No caso da Gaspetro, a Petrobras enfrentará resistência da japonesa Mistui, que comprou 49% da empresa em 2015. “A Mitsui tem preferência por participações minoritárias”, disse Castello Branco. A Gaspetro tem participação em 19 distribuidoras estaduais de gás.

A venda da fatia na empresa respeita ainda acordo com o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) que determina a saída da estatal dos segmentos de distribuição e transporte de gás natural.

O presidente da Petrobras diz que a opção por vender as ações em Bolsa é “mais democrática e mais transparente”. O modelo foi usado na venda do controle da BR Distribuidora, por meio de duas operações, em 2017 e 2019, que reduziram a fatia estatal a 37,5%. 

O plano de venda de ativos para os próximos cinco anos inclui, além das refinarias e da Gaspetro, usinas térmicas, campos de petróleo, gasodutos marítimos e ativos na América do Sul. Podem ser incluídos ainda a Braskem, nova venda de ações da BR e ativos na Bolívia.

Os processos de venda das refinarias já foram iniciados. “Recebemos várias e boas propostas”, afirmou Castello Branco nesta quarta. “Eu diria que, em média, cinco propostas por refinaria”, disse, referindo-se às quatro primeiras unidades postas à venda – no Rio Grande do Sul, no Paraná, em Pernambuco e na Bahia.

O processo, porém, está ainda em fase de análise, pelos interessados, das informações financeiras e operacionais de cada unidade. A estatal agendou para 6 de março o prazo para receber as propostas firmes. 

A empresa defende a venda de ativos como maneira de levantar recursos para reduzir suas dívidas e investir nos campos gigantes do pré-sal. Para os próximos cinco anos, prevê instalar 13 novas plataformas de produção de petróleo.

Duas serão no campo de Búzios, a maior descoberta de petróleo do país e principal área oferecida no megaleilão do pré-sal, em novembro. A área já tem quatro plataformas em operação e, de acordo com o diretor de Exploração e Produção da companhia, Carlos Alberto Pereira de Oliveira, terá 12 no total.

No leilão de novembro, consórcio formado pela Petrobras e pelas chinesas CNOOC e CNODC se comprometeram a pagar bônus de R$ 68,2 bilhões pelo direito de explorar a totalidade das reservas no campo.
*Bahia Notícias.

Continue Lendo

Brasil

Alvo da Lava Jato, Oi nega ter sido beneficiada por fatos apontados em investigação


Envolvida na nova fase da Operação Lava Jato, a “Mapa da Mina”, o grupo Oi/ Telemar ressalta que é a “principal interessada” no esclarecimento de eventuais atos que possam ter lhe gerado prejuízo. O grupo de telefonia é suspeito de repassar R$ 132 milhões a empresas de Fábio Luis Lula da Silva, um dos filhos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

A PF deflagrou a operação na manhã de terça-feira (10), com mandados de busca e apreensão em São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal e Bahia.

Em resposta, a Oi afirma que tem participado de forma colaborativa com o envio de todas as informações já solicitadas pela investigação. “A gestão da companhia reitera que não compactua com nenhuma irregularidade e não tem medido esforços para assegurar que quaisquer ações que eventualmente possam ter prejudicado a companhia sejam integralmente apuradas”, diz em nota.

Além disso, a empresa defende que os fatos apontados na investigação não representam nenhum benefício ou favorecimento a seus negócios.

De acordo com o G1, o MPF aponta que os repasses foram realizador entre 2004 e 2016, período em que o grupo teria sido beneficiado por medidas do governo federal. Ao longo desses anos, os presidentes da República em exercício foram Lula e Dilma Rousseff (PT).

*Bahia Notícias.

Continue Lendo

Mais Lidas