Conecte-se agora


Cidades

Polícia encontra corpo de universitária que estava desaparecida em Bariri


Segundo informações da polícia, o corpo estava em uma área de canavial em Cambaratiba, distrito de Ibitinga. Homem que ajudou a jovem a trocar pneu do carro confessou o crime.

A Polícia Civil encontrou, nesta quarta-feira (25), o corpo da universitária de 19 anos que estava desaparecida em Bariri (SP) desde a manhã desta terça-feira (24).

Segundo informações da polícia, o corpo de Mariana Bazza foi localizado em uma área de canavial em Cambaratiba, distrito de Ibitinga, cidade próxima de Bariri. Ainda segundo a polícia, ela estava amarrada e amordaçada.

Corpo foi encontrado em uma área de canavial na região de Bariri  — Foto: Polícia Civil / Divulgação

Corpo foi encontrado em uma área de canavial na região de Bariri — Foto: Polícia Civil / Divulgação

Os policiais encontraram o corpo depois que o suspeito no desaparecimento, que está preso, confessou que matou a vítima. Mariana tinha 19 anos e desapareceu pouco depois de sair da academia.

Segundo as investigações, ela percebeu que o pneu do carro estava vazio e recebeu ajuda de Rodrigo Pereira Alves, de 37 anos, para trocar o pneu. Depois, não entrou mais em contato com os familiares.

Suspeito foi levado para delegacia onde, inicialmente, negou envolvimento com desaparecimento de Mariana em Bariri — Foto: TV TEM / Reprodução

Suspeito foi levado para delegacia onde, inicialmente, negou envolvimento com desaparecimento de Mariana em Bariri — Foto: TV TEM / Reprodução

Ele foi preso na noite de terça-feira após ser identificado em imagens do circuito de segurança da academia.

O vídeo mostra a jovem sendo abordada pelo suspeito, ainda na rua. Após os dois conversarem, ela vai com o carro até uma chácara do outro lado da avenida (veja abaixo). Na sequência, o veículo deixa o local. Segundo a polícia, ele era dirigido por Rodrigo Alves naquele momento.

Universitária que desapareceu recebeu ajuda de desconhecido para trocar pneu do carro

Universitária que desapareceu recebeu ajuda de desconhecido para trocar pneu do carro

Além do vídeo, o suspeito também aparece em uma foto que Mariana enviou para o namorado e familiares contanto que o pneu tinha furado e o que o rapaz estava trocando. Esse teria sido o último contato dela com eles.

Mariana enviou a foto do suspeito trocando o pneu do carro em Bariri  — Foto: TV TEM / Reprodução

Mariana enviou a foto do suspeito trocando o pneu do carro em Bariri — Foto: TV TEM / Reprodução

Depois de identificar o suspeito que aparece na foto e nas imagens, a polícia mobilizou uma operação de buscas que durou cerca de 7 horas. O suspeito foi encontrado na cidade vizinha de Itápolis, a cerca de 60 quilômetros de Bariri.

O carro de Mariana também foi encontrado em Itápolis, próximo ao cemitério da cidade. O veículo foi levado para perícia e uma faca foi encontrada debaixo do banco, mas não havia marcas de sangue aparentes.

O suspeito chegou a ser visto no cemitério, mas fugiu e só foi localizado depois no Jardim Veneza. Rodrigo estava escondido no telhado de uma casa no bairro quando foi preso em flagrante.

Polícia investiga desaparecimento de jovem de 19 anos em Bariri (SP)

Polícia investiga desaparecimento de jovem de 19 anos em Bariri (SP)

Ele foi levado para delegacia e disse que só falaria em juízo, no entanto, na manhã desta quarta-feira, o suspeito confessou que tinha matado Mariana e indicou para os policiais onde o corpo dela estava.

O suspeito foi preso em flagrante e deve passar por audiência de custódia nesta tarde no Fórum de Jaú. A jovem estudava fisioterapia em uma universidade particular de Bauru.

Homem que ofereceu ajuda para universitária desaparecida é preso escondido em telhado

Homem que ofereceu ajuda para universitária desaparecida é preso escondido em telhado

Familiares e amigos participaram de uma missa na madrugada desta quarta-feira e rezaram para que a jovem fosse encontrada. Eles também iniciaram buscas em estradas de terra entre Bariri e Itaju.

A polícia e o Corpo de Bombeiros também fizeram buscas na chácara onde Mariana entrou com o carro para trocar o pneu. O local fica em frente à academia e o suspeito trabalhava lá realizando pequenos serviços de manutenção.

jovem desapareceu após sair de academia em Bariri — Foto: Reprodução/Facebook

jovem desapareceu após sair de academia em Bariri — Foto: Reprodução/Facebook

*G1

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bahia

Prefeitura de Santa Inês declara situação de emergência por conta das chuvas


A prefeitura de Santa Inês, na Bahia, declarou ontem (12) situação de emergência por conta das fortes chuvas que caem na região. 

De acordo com o texto, chover 80 milímetros de chuva em apenas duas horas. “Contribuindo para o alagamento e enxurrada em áreas da cidade”, sinaliza. 

Há, ainda, pessoas desabrigadas e estrada vicinais estão prejudicadas. Com o decreto, todos os órgãos municipais estão autorizados a darem “ações de respostas necessárias” a minimizar os efeitos das chuvas. 

A prefeitura fica autorizada ainda a iniciar processos de desapropriação, por utilidade pública, e passa a dispensar licitação para aquisição de bens necessários às atividades de resposta às enchentes e demais danos. (Metro1)

Continue Lendo

Cidades

Após denúncias de assédio, ‘Muquiranas’ fala em ‘grupo isolado’, mas reforça conscientização


Após os relatos de assédios cometidos por foliões do bloco As Muquiranas, divulgados por meio das redes sociais e também por ouvintes da Rádio Metrópole, a agremiação afirmou ontem (27) que tomará, ao longo do ano, “medidas efetivas” para combater a prática nos próximos Carnavais. O bloco considera, no entanto, que os associados que assediam e importunam sexualmente são “um grupo pequeno e isolado de pessoas”. 

Um dos casos foi relatado pela empresária Laila Falcão, através do Instagram. Na terça (24), ela contou ter sido assediada e presenciado atitudes homofóbicas contra um amigo que a acompanhava. “Perdi as contas de quantos homens vestidos de mulher me assediaram das formas mais escrotas possíveis. Um cara enfiou a arma de água contra a minha bunda com força, o outro derramou a minha cerveja no chão quando eu reagi, o outro espirrou um jato de água na cara do meu namorado quando ele pediu que parasse. Nenhum me respeitou como mulher. ASSÉDIO É CRIME! Estava com um amigo que vestia uma camisa feminina e foi importunado com um pinto de plástico no rosto. HOMOFOBIA TBM É CRIME!”, escreveu. 

Ontem, em entrevista à Rádio Metrópole, a secretária estadual de Políticas para as Mulheres, Julieta Palmeira, chegou a defender a proibição da venda das pistolas de água, usadas muitas vezes para intimidar as mulheres.

O bloco afirma que realiza campanhas de conscientização voltadas para os associados e a comunidade, “em repúdio a todo e qualquer tipo de falta de respeito, agressão física ou verbal, intolerância, assédio e preconceito”. “Mesmo tendo ciência que não pode se responsabilizar pela índole e caráter das pessoas, o bloco entende que tem responsabilidade pela segurança dos foliões durante todo o circuito”, diz o comunicado.

Continue Lendo

Cidades

Coronel diz que encontrou Kannário em restaurante e pensou duas vezes em bater: ‘Não aguenta um tapa’


O coronel da Polícia Militar da Bahia Humberto Sturaro, em entrevista hoje (26) à Rádio Metrópole, disse que pensou duas vezes em bater no cantor Igor Kannário quando o encontrou no restaurante Boi Preto, em Salvador.

“Com todo respeito ao deputado, mas não aguenta uma tapa. Eu encontrei ele no Boi Preto e pensei duas vezes, sabia? Fiquei olhando, olhei uma, olhei duas, olhei três. O que vai acontecer? Pensei: está me devendo uma, vou cobrar agora. Assim, mas vai dizer que eu fiz porque sou coronel, porque sou polícia. Outra coisa, não é meu peso, não é meu quilo. É até uma covardia. Deixa ele seguir o caminho. Estava com a esposa. Mas pega ali, sacode pelo pescoço, vai dizer o quê? Pedir socorro?”, afirmou.

Sobre o episódio que o deputado federal provocou a PM, durante desfile no Campo Grande na última segunda-feira (24) e chamou o policial para bater nele em cima do trio, Sturaro disse que poderia conduzir o pagodeiro para a delegacia quando descesse do trio, mas que depois, na eleição, ele teria mais de 600 mil votos.

O coronel ainda pediu que o DEM, partido que Kannário faz parte, dê uma punição ao parlamentar. “Se fosse meu soldado, dentro do meu ciclo, o soldado errou. Esperando que o partido cobre isso dele. Cada ação tem uma reação”, pontuou. Fonte: Metro1

Continue Lendo

Mais Lidas