Connect with us

Brasil

Acusado de matar Marielle usava foto de Bolsonaro em perfil do WhatsApp


No inquérito que apura as investigações do assassinato de Marielle Franco, os investigadores detalharam os dados de um dos telefones de Ronnie Lessa, o ex-policial acusado de executar a vereadora.

De acordo com a Folha de S. Paulo, a foto utilizada no perfil do Whatsapp do acusado é do presidente Jair Bolsonaro. A imagem mostra o presidente entre as bandeiras de Israel.

Ainda segundo o jornal, o filho mais novo de Jair Bolsonaro, Renan Bolsonaro, já namorou a filha de Ronnie Lessa. O presidente e o ex-policial têm casas no mesmo condomínio em um bairro nobre do Rio de Janeiro. *Varela Notícias.

Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Em 18 anos, Brasil perde área de vegetação natural próxima ao tamanho da Bahia, diz IBGE

Foto : Ueslei Marcelino/Reuters

O Brasil perdeu, entre 2000 e 2018, cerca de 500 mil km² de sua vegetação natural, segundo dados divulgados hoje (24) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A área equivale a duas vezes o estado de São Paulo, e à maior parte do estado da Bahia, que tem 567 mil km². 

A maior perda em números absolutos aconteceu na Amazônia (269,8 mil km²), onde a área verde foi substituída, principalmente, por áreas de pastagem com manejo. Mas em termos percentuais, o Pampa foi o que mais perdeu vegetação natural, com 16,8% a menos. 

Segundo os pesquisadores, todos os seis biomas – Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, Pampa e Pantanal – tiveram suas áreas reduzidas, sendo o Pantanal o menos atingido. 

A amostra não abrange o período de incêndios registrados no Pantanal este ano, que bateu recorde de focos de queimadas desde 1988, nem os da floresta amazônica no ano passado, já durante o governo do presidente Jair Bolsonaro. (Metro1)

Continue Reading

Brasil

Influencer grávida e filho morrem dias após receberem mensagens de ódio

Foto: Reprodução

A digital influencer Lary Oliveira morreu na madrugada desta quinta-feira (24) após complicações na gravidez. Ela estava no quinto mês de gravidez e esperava um menino que se chamaria Henry. Antes de morrer, Lary foi vítima de mensagens de ódio na internet.

Tudo começou no domingo (20), quando o marido de Lary, Wellington Tarcísio – que é conhecido no Instagram como “Lacostt” – revelou em seu Instagram que Lary tinha perdido o bebê que eles esperavam.

“Quando morre um bebê, é porque era um anjo muito sapeca que fugiu do céu para encontrar aquela que ele tanto queria chamar de mãe. (…) Nós, papais, não aguentamos a dor da perda de um filho, ainda mais do tão esperado filho, e Deus vê aquele amor enorme capaz de tudo por aquele anjinho, e vê também o anjinho que não aguenta de saudade de sua mãe, então ele fala: Agora vocês estão prontos, precisavam saber a dor da perda, eu tiro quando não era pra ser, mas agora lhe devolvo para aquela que te ama tanto quanto eu. E assim quando você menos espera em você ira bater dois corações, e mal sabe que o coração que em ti bate é o mesmo coraçãozinho que ao seus braços parou de bater, e dessa vez ele vem perfeito e pronto pra passar o resto da vida com você”, disse ele”.

Já na madrugada desta quinta-feira (24), o blogueiro retornou ao Instagram para informar que após as complicações e o aborto, Lary também não resistiu e morreu. 

“Nós tínhamos tantos planos, minha linda… Já não basta enterrar o nosso filho, agora vou enterrar você, minha gordinha. Saiba que te amo onde quer que eu estiver, tá?”.

Em outra publicação, Wellington revelou que Lary teve uma gravidez turbulenta. “46 internações, várias UTIS, Várias transferências, cateter, fisioterapia, entre outras coisas, ela venceu todas”, disse.

Lary era influenciadora digital no Instagram e tinha 122 mil seguidores. Recentemente, vinha falando sobre a gravidez em seus posts.

Mensagens de Ódio
Ainda segundo o marido de Lary Oliveira, a influencer teria recebido mensagens de ódio de seguidores poucos dias antes de morrer. Em outra publicação, em que os dois aparecem em vídeo, ele lamentou o tratamento por parte dos haters.

“Estava feliz comigo e com a tão sonhada gestação. Infelizmente uma pessoa podre e sem alma, sem coração, sem nada, jogou um olho gordo, inveja e desejou o mal para ela e para o nosso bebê (Hennry), e infelizmente nenhum dos dois sobreviveu, do mesmo jeito que a pessoa falou aconteceu”, disse Lacostt.

A mãe de Lary, Danny Pacheco, chegou a divulgar um vídeo em seu Instagram para mostrar a mensagem de ódio direcionada a ela que Wellington recebeu em seu Instagram. 

“Eu acho que ela vai morrer, está muito feia. O bebê deve estar morto. Nossa, como pode você jovem com essa doente, que corre o risco de morte toda hora? Meu anjo, deixa ela sozinha lá e vai viver a sua vida, essa menina não merece nada, só a morte vai dar jeito. Os dois vão morrer, você vai ver. De hoje para amanhã”, dizia a mensagem.

Aos prantos, Danny Pacheco ainda disse: “Wellington veio aqui em choque mostrar o que o ser humano acabou de mandar para eles. Então, fala para mim, até onde vai o ser humano? A pessoa é tão tola, porque vou te contar: Tudo o que você está plantando, vai colher”.

Foto: Reprodução

(Correio)

Continue Reading

Brasil

Grupo usa ‘cabeça’ de Bolsonaro em pelada e é ameaçado de morte

Foto: Divulgação

O grupo americano de arte de rua “Indecline”, liderado pelo artista espanhol Eugenio Merino, idealizou o projeto “Freedom Kick” (“Chute para liberdade” em tradução livre) que consistia em usar a cabeça de líderes mundiais “populistas”, como Trump e Putin, para jogar bola.

O presidente brasileiro Jair Bolsonaro também foi “homenageado”, e um grupo “pegou o baba” com uma réplica de silicone de sua cabeça em São Paulo. Acontece que, segundo a Folha de S. Paulo, alguns bolsonaristas não gostaram da intervenção e começaram a ameaçar de morte os integrantes do movimento.

O baba em São Paulo reuniu operários e opositores do atual governo brasileiro e foi registrado no Instagram. No final da partida, um dos membros do time entregou a cabeça de Bolsonaro para um cachorro, que saiu curtindo seu novo brinquedo antes de posar para uma foto com toda a equipe.

View this post on Instagram

Latin America has a history with dictators. In particular, the Fifth Brazilian Republic was known for killing dissidents. And Jair Bolsonaro is known for his masturbatory speeches that outline his wet dreams of reinstating this policy. He is offended by homosexuality, feminism and socialism, but gets a real hard-on with every fantasy of violence against his political opponents. But those opponents aren’t so stiff, and they bring both the joy and movement to their resistance that has made Brazilian’s such as Pele an icon the world over. In soccer, a free kick is a chance to stop play for a moment and redress a foul. In democracy, freedom of speech is the illuminating force that stops tyrants from getting away with murder. Like most muscles, it must be exercised or it will wither away. Despots use fear to keep their populations in line. Activists use joy and humor to keep them engaged. It’s an old game, and the score keeps changing, but we all keep playing. Freedom Kick is a chance for us to reset after years of foul play and unsportsmanlike conduct. Although those with power love to tout politics as a game, for so many the stakes are too high to play around. Football has always been a team effort, involving community and organization, while dictatorship is more of a solo sport. Like they say, there is only one ball. That’s a perfect metaphor for our heads of state. And our job is to kick it mercilessly until we find a way to turn each of our individual efforts into a team victory. INDECLINE x @eugeniomerinoestudio

A post shared by INDECLINE (@indeclineofficial) on

(Correio)

Continue Reading

Siga-nos no Instagram:

Facebook