Connect with us

Brasil

Bolsonaro diz que Brasil adotou postura de centro-direita na ONU


O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (7) que o voto do Brasil contra a resolução que condena o embargo econômico a Cuba é resultado de uma mudança em direção à centro-direita na política externa do governo brasileiro. Pela primeira vez em 27 anos, o Brasil cedeu às pressões dos Estados Unidos. Nas últimas semanas, o governo americano pediu duas vezes que o Brasil mudasse seu posicionamento histórico de rechaço a medidas econômicas unilaterais.

Em transmissão nas redes sociais, Bolsonaro ressaltou que Cuba é uma ditadura de esquerda e que, por isso, deve ser tratada “como tal”. Para ele, sob seu comando, o Brasil tornou-se um país mais democrático. “Pela primeira vez, o Brasil acompanhou os Estados Unidos na questão do embargo para Cuba. Afinal de contas, aquilo é uma democracia? Não é. É uma ditadura. Então, tem de ser tratada como tal. O Brasil vai mudando a sua posição mais ao centro-direita. Como disse na semana passada, o meu governo é o mais democrático que eu tenho conhecimento ao longo dos últimos anos”, disse.

Para convencer o Brasil, os Estados Unidos argumentaram que, ao condenar o embargo contra Cuba, o país passaria a mensagem de que a nação caribenha pode continuar interferindo impunemente na Venezuela. Mesmo países que têm relação muito próxima aos Estados Unidos e dependem pesadamente de ajuda econômica americana resistiram às pressões de Washington. A Colômbia e a Ucrânia, por exemplo, abstiveram-se na votação.

Apesar de ter afirmado que o seu governo é o mais democrático dos últimos anos, Bolsonaro voltou a atacar a atividade da imprensa, incluindo a Folha de S.Paulo, e anunciou que o Poder Executivo não assinará também a revista “Carta Capital”. Para ele, os dois veículos publicam “notícias desnecessárias”. Na semana passada, Bolsonaro anunciou o corte das assinaturas e, em tom de ameaça, disse que os anunciantes “devem prestar atenção”.

“A partir do ano que vem, não tem mais Folha de S.Paulo na Presidência.E também não vai ter mais a revista Carta Capital, contrato assinado no ano passado. Para que assinar uma revista dessa? Só tem mentira. Não é nem Fake News. Fake News tem uma certa inteligência muitas vezes. Ali é mentira deslavada, uma revista que, lamentavelmente, não presta para nada”, disse. 

O presidente ressaltou que a revista “não interessa para o governo” e que, por ser de esquerda, defende o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele disse que também não repassará verba de publicidade nem para ela nem para a revista “Istoé”. “Agora, ficou ruim para essas revistas. Não tem mais verba oficial para elas. Acabou a mamata. Essas revistas têm de criticar mesmo. Falam um monte de abobrinha sobre o meu governo”, disse. “Não é perseguindo a Folha nem perseguindo a Carta Capital. Notícias desnecessárias que tem ali. Estamos economizando dinheiro para contribuintes”, ressaltou. *Bahia Notícias.

Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Contran: Renovação da CNH segue suspensa por prazo indeterminado


 O diretor-geral do Contran (Conselho Nacional de Trânsito), Frederico de Moura Carneiro, afirmou nesta sexta-feira (25), durante participação na Live JR, que o prazo para renovação das carteiras de habilitação vencidas durante a pandemia do novo coronavírus segue suspenso por tempo indeterminado.

“Tivemos uma medida que interrompeu os prazos de vencimento da CNH desde o dia 29 de fevereiro por conta da decretação do estado de calamidade pública. Todos os Detrans das 27 Unidades da Federação ficaram com as atividades paralisadas. Os condutores não tinham condições de dar seguimento”, afirmou ele.

Carneiro destacou que a retomada dos prazos acontecerá “gradativamente”. “Alguns Estados já estão normalizados, mas enquanto houver um Detran que não esteja 100% funcionando, não podemos revogar essa interrupção”, disse aos jornalistas Celso Freitas, Eduardo Ribeiro e Luiz Gustavo.

Diante da situação, Carneiro orienta que os motoristas de Estados com o Detran já aberto procurem pela renovação o mais rápido possível. “A partir do momento em que a gente voltar para a regra normal, vai haver uma enxurrada de acessos aos órgãos de trânsito”, previu.

Mudanças no Código de Trânsito
Carneiro também defendeu a ampliação da validade da CNH (Carteira Nacional de Habilitação) de cinco para até 10 anos. Ele avaliou que a proposta aprovada pelo Congresso segue a evolução das condições de saúde dos condutores.

“Dos 18 aos 50 anos, o condutor não desenvolve doenças que comprometam a capacidade de condução de um veículo. A partir dos 40, a vista começa a ficar mais comprometida”, avaliou ele.

Para Carneiro, o Código de Trânsito prevê que qualquer indício de doença por parte do motorista pode reduzir o prazo. “O médico que faz o exame pode prescrever que o exame tem a validade limitada, de modo a garantir a aptidão desse condutor”, explicou.

(R7)

Continue Reading

Brasil

Eleições 2020: Brasil bate recorde de candidatos inscritos


 O número de candidatos inscritos na Justiça Eleitoral bateu neste ano o recorde visto em 2016: são mais de 517.786 solicitações, segundo atualização do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) às 14h28. É a maior quantidade de candidatos em eleições no Brasil.

Desse número, porém, nem todos foram deferidos. O registro de candidatura termina às 19h deste sábado (26). O TSE ainda levará alguns dias para registrar todas as candidaturas aprovadas ou rejeitadas. Em 2016, o tribunal recusou 5,62% dos pedidos.

Há quatro anos, o motivo mais frequente da cassação ou de indeferimento dos pedidos era justamente a falta de um dos requisito de registro (77,21% das recusas).

Em 2012, houve 482.868 candidatos nas eleições municipais.

Recorde nas capitais
O recorde era previsto uma vez que, considerando a atas das convenções partidárias, as capitais registravam 24.133 candidatos a vereador aprovados pelos partidos. O número de candidatos ainda pode mudar, já que a Justiça Eleitoral precisa aprovar o registro das candidaturas e pode haver desistências.

O número mais alto de candidaturas até então tinha sido registrado em 2016, com 18.934 candidatos a vereador nas 26 capitais. Se confirmados todos os candidatos de 2020, o aumento será de 27% e estas eleições terão o maior número dos últimos 20 anos. As informações das eleições municipais anteriores são do repositório de dados do TSE.

O que explica o aumento?
Para Bruno Carazza, autor do livro “Dinheiro, Eleições e Poder”, esse aumento se deve, principalmente, ao fim das coligações para eleições proporcionais (vereador, deputado estadual e deputado federal). Esta é a primeira eleição em que tal mudança passa a valer, apesar de a emenda da reforma política que fez a alteração ter sido promulgada em 2017. Ele lembra, porém, que as coligações ainda são permitidas nas eleições majoritárias (prefeito, presidente, governador e senador).

“Os partidos vão ter que lançar muita gente para tentar ganhar o maior número de votos possível e tentar emplacar alguém na Câmara Municipal. Isso acabou gerando uma pulverização de candidaturas, e cada partido tende a ter um incentivo de lançar muitos candidatos porque assim tem mais chances de conseguir os votos para o quociente eleitoral”, diz o professor do Ibmec e da Fundação Dom Cabral.

O quociente eleitoral define quantos votos cada partido precisa alcançar para conseguir uma cadeira no Legislativo (exceto no Senado, que faz parte da eleição majoritária). Para chegar a esse número, a Justiça Eleitoral calcula o total de votos válidos (excluindo votos brancos e nulos) e verifica o número de vagas em disputa. Se forem 100 mil votos e dez cadeiras, por exemplo, o quociente eleitoral é 10 mil.

Carazza destaca, porém, que não houve redução do limite de candidaturas lançadas por cada partido (atualmente 150% do número de vagas de cada Câmara Municipal). Para ele, isso permite o registro de muitos candidatos, o que deve ocorrer neste ano. “O candidato é apenas uma pessoa em uma multidão. Isso cria uma barreira para o candidato que não é uma celebridade, não é religioso, não é militar, não é rico, não é próximo das cúpulas partidárias.”

“A mudança facilitou o processo eleitoral porque o eleitor não vota em uma coligação, só vota em um partido. Por outro lado, com muitos candidatos, é muito difícil para o eleitor conseguir filtrar e identificar um candidato bom. O ideal teria sido acabar com a coligação e abaixar o limite de candidatos que o partido poderia lançar. Isso iria forçar o partido a ter um processo de seleção, de triagem, debate interno, talvez até uma prévia”, destaca.

Carazza afirma ainda que os partidos devem manter essa estratégia nas eleições de 2022, já que as siglas também precisam de votos para cumprir os requisitos mínimos da cláusula de desempenho. A cláusula de desempenho também foi aprovada na reforma eleitoral de 2017 e restringe o acesso ao Fundo Partidário e ao tempo de propaganda gratuita no rádio e na TV. As exigências ficam mais rígidas a cada eleição até 2030 e têm como objetivo diminuir a fragmentação partidária no Brasil – considerada uma das maiores do mundo.

“Em 2022, isso é mais forte ainda porque conjuga dois efeitos dessa reforma: o fim das coligações [em eleições proporcionais] e a cláusula de desempenho. Os partidos vão precisar atingir um patamar mínimo de votos ainda mais elevado do que foi em 2018. Se agora vai crescer, então é esperável que em 2022 vá crescer ainda mais.”

(G1)

Continue Reading

Brasil

Dona de casa entra na Justiça para ter auxílio emergencial de US$ 1 mil citado por Bolsonaro


O calendário das parcelas do auxílio emergencial até dezembro foi liberado. Até o momento, os cadastrados por meio do aplicativo, site e CadÚnico tem cinco parcelas liberadas, com o calendário já definido, enquanto os inscritos do Bolsa Família contam com todas as parcelas liberadas até o dia 23 de dezembro.

Para os demais grupos, os que estão fora do Bolsa Família, o calendário está previsto para sair no dia 28 de setembro, próxima segunda-feira. A confirmação veio por meio do ministro da Cidadania Onyx Lorenzoni.

Veja quantas parcelas o beneficiário do auxílio emergencial irá receber, de acordo com o mês em que o cidadão teve o auxílio emergencial aprovado:

  • Quem recebeu a última parcela de R$ 600 em agosto: vai receber 4 parcelas de R$ 300 nos meses de setembro, outubro, novembro e dezembro;
  • Quem recebeu a última parcela de R$ 600 em setembro: vai receber 3 parcelas de R$ 300 nos meses de outubro, novembro e dezembro;
  • Quem recebeu a última parcela de R$ 600 em outubro: vai receber 2 parcelas de R$ 300 nos meses de novembro e dezembro;
  • Quem recebeu a última parcela de R$600 em novembro: vai receber apenas 1 parcela de R$ 300, em dezembro.
  • Pagamentos
  • A Caixa Econômica Federal (CEF) realiza nesta sexta-feira, 25 de setembro, o pagamento de mais uma parcela do auxílio emergencial a 5,6 milhões de beneficiários.

Do total de cidadãos com o direito ao auxílio, estão:

  • 1,6 milhão de trabalhadores que fazem parte do Bolsa Família, cujo número do NIS é terminado em 7.
  • 4 milhões de trabalhadores que estão no Cadastro Único, inscritos por meio de aplicativo, site ou pelos Correios, aniversariantes em setembro.

Calendário 

Ciclo 2

Quem recebeu o crédito da primeira parcela em abril de 2020 – receberá a quinta parcela

Quem recebeu o crédito da primeira parcela em maio de 2020 – receberá a quarta parcelaQuem recebeu o crédito da primeira parcela em junho de 2020 – receberá a terceira parcela

Quem recebeu o crédito da primeira parcela em julho de 2020 – receberá a segunda parcela

Depósito do dinheiro 

  • 28 de agosto – nascidos em janeiro
  • 2 de setembro – nascidos em fevereiro
  • 4 de setembro – nascidos em março
  • 9 de setembro – nascidos em abril
  • 11 de setembro – nascidos em maio
  • 16 de setembro – nascidos em junho
  • 18 de setembro – nascidos em julho
  • 23 de setembro – nascidos em agosto
  • 25 de setembro – nascidos em setembro
  • 28 de setembro – nascidos em outubro e novembro
  • 30 de setembro – nascidos em dezembro

Liberação de saque e transferência

  • 19 de setembro – nascidos em janeiro
  • 22 de setembro – nascidos em fevereiro
  • 29 de setembro – nascidos em março
  • 1º de outubro – nascidos em abril
  • 3 de outubro – nascidos em maio
  • 6 de outubro – nascidos em junho
  • 8 de outubro – nascidos em julho
  • 13 de outubro – nascidos em agosto
  • 15 de outubro – nascidos em setembro
  • 20 de outubro – nascidos em outubro
  • 22 de outubro – nascidos em novembro
  • 27 de outubro – nascidos em dezembro

Ciclo 3

Quem recebeu o crédito da primeira parcela em maio de 2020 – receberá a quinta parcela

Quem recebeu o crédito da primeira parcela em junho de 2020 – receberá a quarta parcela

Quem recebeu o crédito da primeira parcela em julho de 2020 – receberá a terceira parcela

Depósito do dinheiro

  • 9 de outubro – nascidos em janeiro e fevereiro
  • 16 de outubro – nascidos em março e abril
  • 23 de outubro – nascidos em maio e junho
  • 30 de outubro – nascidos em julho e agosto
  • 6 de novembro – nascidos em setembro e outubro
  • 13 de novembro – nascidos em novembro e dezembro

Liberação de saque e retirada

  • 29 de outubro – nascidos em janeiro e fevereiro
  • 3 de novembro – nascidos em março e abril
  • 10 de novembro – nascidos em maio e junho
  • 12 de novembro – nascidos em julho e agosto
  • 17 de novembro – nascidos em setembro e outubro
  • 19 de novembro – nascidos em novembro e dezembro

Ciclo 4

Quem recebeu o crédito da primeira parcela em junho de 2020 – receberá a quinta parcela

Quem recebeu o crédito da primeira parcela em julho de 2020 – receberá a quarta e a quinta parcelas

Depósito do dinheiro

  • 16 de novembro – nascidos em janeiro e fevereiro
  • 18 de novembro – nascidos em março e abril
  • 20 de novembro – nascidos em maio e junho
  • 23 de novembro – nascidos em julho e agosto
  • 27 de novembro – nascidos em setembro e outubro
  • 30 de novembro – nascidos em novembro e dezembro

Liberação de saque e retirada

  • 26 de novembro – nascidos em janeiro e fevereiro
  • 1º de dezembro – nascidos em março e abril
  • 3 de dezembro – nascidos em maio e junho
  • 8 de dezembro – nascidos em julho e agosto
  • 10 de dezembro – nascidos em setembro e outubro
  • 15 de dezembro – nascidos em novembro e dezembro

Calendário da 6ª parcela

O Governo Federal liberou entre 17 e 30 de setembro o pagamento do auxílio emergencial, já com o valor de R$300, para os beneficiários do Bolsa Família. Quem for mãe chefe de família, o pagamento será dobrado, com valor de R$600.

As famílias beneficiárias do programa Bolsa Família não têm alteração nas datas de pagamento de seus benefícios. Dessa forma, quem se encaixa nas regras do auxílio emergencial e recebeu a primeira parcela logo em abril terá direito ao saque da sexta parcela.

O cronograma de pagamento segue o Número de Identificação Social (NIS) final do beneficiário. Quem não é cadastrado no Bolsa Família ainda não tem datas de pagamento. Para quem não recebe o Bolsa Família, o governo não divulgou as datas de pagamento.

Veja o calendário:

  • 17 de setembro: NIS terminado em 1
  • 18 de setembro: NIS terminado em 2
  • 21 de setembro: NIS terminado em 3
  • 22 de setembro: NIS terminado em 4
  • 23 de setembro: NIS terminado em 5
  • 24 de setembro: NIS terminado em 6
  • 25 de setembro: NIS terminado em 7
  • 28 de setembroNIS terminado em 8
  • 29 de setembro: NIS terminado em 9
  • 30 de setembro: NIS terminado em 0

7ª, 8ª e 9ª parcela

O governo de Jair Bolsonaro anunciou a prorrogação de mais quatro parcelas de R$ 300 do auxílio emergencial em agosto. Até agora, apenas os beneficiários do Bolsa Família tiveram o calendário confirmado. O calendário desse grupo é o mesmo do Bolsa Família, que foi divulgado no início do ano pelo governo.

Sétima parcela

Número final do NISDia do recebimento
NIS final 119 de outubro
NIS final 220 de outubro
NIS final 321 de outubro
NIS final 422 de outubro
NIS final 523 de outubro
NIS final 626 de outubro
NIS final 727 de outubro
NIS final 828 de outubro
NIS final 929 de outubro
NIS final 030 de outubro

Oitava parcela

Número final do NISDia do recebimento
NIS final 117 de novembro
NIS final 218 de novembro
NIS final 319 de novembro
NIS final 420 de novembro
NIS final 523 de novembro
NIS final 624 de novembro
NIS final 725 de novembro
NIS final 826 de novembro
NIS final 927 de novembro
NIS final 030 de novembro

Nona parcela

Número final do NISDia do recebimento
NIS final 110 de dezembro
NIS final 211 de dezembro
NIS final 314 de dezembro
NIS final 415 de dezembro
NIS final 516 de dezembro
NIS final 617 de dezembro
NIS final 718 de dezembro
NIS final 821 de dezembro
NIS final 922 de dezembro
NIS final 023 de dezembro

Calendário para os demais

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, afirmou que o calendário do auxílio emergencial de R$ 300 deve ser divulgado até a próxima segunda-feira, dia 28 de setembro. Ainda segundo ele, o pagamento ainda deve começar a ser feito ainda este mês.

O ministro deu a declaração durante reunião em Palmas, onde liberou recursos para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) em Tocantins. “A gente pretende, no máximo até segunda-feira, fazer a publicação. Desde o início a gente sempre manteve o cronograma do Bolsa Família porque são 14 milhões e 274 mil famílias que são as famílias mais vulneráveis do Brasil”, afirmou.

(Notícias Concursos)

Continue Reading

Siga-nos no Instagram:

Facebook