Conecte-se agora

Educação

PF investiga irregularidades no Enem na Bahia e no Rio


A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (9) uma operação para investigar atos irregulares cometidos durante a aplicação de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), de acordo com o Correio.

Com o nome de “Thoth”, o deus egípcio da escrita e da sabedoria, a operação pretende buscar provas sobre problemas que teriam acontecido no último domingo (3), quando foram aplicadas as provas de Linguagens, Ciências Humanas e Redação. 

A assessoria da PF informou que foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão expedidos pela 12ª Vara Federal de Fortaleza, nas casas de mulheres que aplicaram os exames.

Ela foram identificadas depois de um levantamento feito em cooperação com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Os celulares das duas aplicadoras foram apreendidos e devem ser levados à perícia. 

Embora os mandados tenham sido cumpridos na capital do Ceará, a PF informou também que continua investigando, com o apoio do Inep, casos relatados na Bahia e no Rio de Janeiro. 

As suspeitas podem ser indiciadas pelo crime de fraude em certames de interesse público. Se forem condenadas, elas podem ter que cumprir até cinco anos de prisão, além de multa. 

O segundo dia de provas do Enem acontece amanhã (10), quando os candidatos serão avaliados nas áreas de Ciências da Natureza e Matemática.  (Metro1)

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Weintraub diz que quem aponta erro no Sisu é de esquerda


O ministro da Educação, Abraham Weintraub, publicou um vídeo nas redes sociais na tarde de hoje (24) para responder aos candidatos sobre um possível erro no cálculo das notas de corte do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). O ministro negou que haja equívocos e, sem apresentar provas nem responder aos questionamentos, acusou os autores dos relatos de serem ligados a um partido “radical de esquerda”.

Segundo relatos nas redes sociais o sistema estaria permitindo a inclusão de candidatos nas duas opções de curso no Sisu, o que não deveria acontecer, além de exibir duas notas de corte diferentes para quem concorre a uma vaga com e sem bônus.

Segundo o ministro, os relatos estão sendo divulgados de forma “maldosa”, para “assustar” as pessoas. Ao lado dele, um funcionário da Secretaria de Educação Superior (Sesu) do MEC também minimizou a situação e disse que o boletim do candidato mostra as duas opções escolhidas pelo candidato e a classificação do estudante em cada um deles.

Na tarde de hoje, o Ministério Público Federal (MPF) pediu à Justiça a suspensão do Sisu, do Programa Universidade para Todos (Prouni) e do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies)  pelos erros no Enem. No vídeo publicado hoje, Weintraub não comentou o pedido feito à Justiça pelo MPF. (M1)

Continue Lendo

Educação

Justiça impede divulgação de resultados no Sisu


A Justiça Federal em São Paulo determinou a suspensão da etapa de seleção do Sisu após o fim do período de inscrição, que ocorre amanhã (26). A decisão é fruto de um pedido da Defensoria Pública da União.

A DPU solicitou a suspensão devido aos erros no cálculo da nota do Enem de cerca de 6 mil candidatos, revelados neste mês, após a divulgação dos desempenhos individuais.

A decisão da Justiça determina ainda que o Inep, instituto responsável pelo Enem, comprove em um prazo de cinco dias que a revisão das notas em que foram identificadas incosistências foi considerada para a readequação das notas de todos os candidatos ao exame e que todos os participantes que requisitaram a revisão tiveram seus gabaritos verificados e obtiveram uma resposta.

O juiz responsável pela decisão, Hong Kou Hen, indeferiu pedido da Defesonria para adiar o encereamento das inscrições. Ele explica em sua decisão que apenas a decisão após essa etapa deve ser suspensa, o que vai impedir a divulgação da lista dos aprovados.

O juiz Hong Kou Hen indeferiu pedido da Defensoria para prorrogar o período de inscrições. Segundo sua decisão, apenas a seleção após essa etapa deve ser suspensa, o queimpedirá a divulgação da lista de aprovados. (Metro1)

Continue Lendo

Educação

Cerca de 70% das inscrições do Sisu foram feitas por celular, diz MEC


De acordo com informações do Ministério da Educação (MEC), desde o início das inscrições do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), na última terça-feira (21/1), cerca de 70% das inscrições foram feitas por dispositivos móveis como celulares e tablets. Até o início da tarde de ontem (22) o MEC registrou 2.095.174 inscrições realizadas por 1.108.434 pessoas.

Foram cerca de sete mil inscrições por minuto. Cada candidato pode sinalizar o interesse em até dois cursos. Por meio do Sisu é possível ingressar em faculdade pública com a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que foi divulgada na semana passada. 
Os estudantes que queiram concorrer a uma vaga não podem ter zerado a redação do Enem 2019. A inscrição é gratuita e deve ser feita na página do participante.

Diferentemente dos anos anteriores, este ano o sistema está em nuvem para viabilizar acesso simultâneo dos estudantes, além da adaptação do portal para aparelhos móveis. Candidatos que acessaram o site do Sisu para realizar a inscrição relataram erros no carregamento do site e lentidão no sistema. O MEC reconheceu os problemas no acesso à página e explicou que isso aconteceu em virtude da adaptação.

Veja o cronograma do Sisu:

– Período de inscrições: 21 jan a 26 jan.
– Resultado da chamada regular: 28 jan.
– Matrícula da chamada regular: 29 jan a 4 fev.
– Prazo para participar da lista de espera: 29 jan a 4 fev.
– Convocação dos candidatos em lista de espera pelas instituições a partir desta data: 7 fev a 30 abr.

Continue Lendo

Mais Lidas