Connect with us

Educação

Inep anula questão do Enem 2019


O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela elaboração e aplicação do Enem, anunciou nesta terça-feira (19), a anulação de uma das questões do exame deste ano. A pergunta pertence à prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias e a correspondência.

Segundo o Inep, a questão não tem problemas no enunciado ou nas alternativas; o motivo da anulação foi o fato de ela já ter aparecido no Enem 2018, no chamado Caderno de Questões Braille e Ledor. “O caderno Ledor é preparado para os aplicadores que atuam como ledores para os participantes que, por algum motivo, solicitam auxílio para a leitura da prova como recurso de acessibilidade”, explicou

Por fim, o instituto explica que o restante da prova não será afetado pela anulação devido ao método de correção conhecido como Teoria de Resposta ao Item (TRI)

Leia a nota na integra:

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) informa a anulação de uma questão da prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias da aplicação regular do Enem 2019: questão 90 do Caderno Azul; questão 78 do Caderno Amarelo; questão 66 do Caderno Branco e questão 72 do Caderno Rosa.

O Inep identificou que a referida questão fez parte do Caderno de Questões Braile e Ledor da aplicação do Enem 2018 (questão 56 do Caderno Laranja). O caderno Ledor é preparado para os aplicadores que atuam como ledores para os participantes que, por algum motivo, solicitam auxílio para a leitura da prova como recurso de acessibilidade.

O cálculo estatístico da nota do Enem, de acordo com a metodologia da Teoria da Resposta ao Item (TRI), considera a combinação da coerência do padrão de resposta com o pressuposto da cumulatividade, e ainda, as características (parâmetros de complexidade) de cada item. Por isso, a anulação de um item, ou mesmo a aplicação

 de provas com itens diferentes, não compromete o processo de estimação da nota das participantes.

Respeitando a comparabilidade garantida pela TRI, as questões que compõem as provas acessíveis podem sofrer ligeira alteração comparadas à prova de aplicação regular devido às especificidades deste público. As provas do Caderno Braile e Ledor, por exemplo, contém a descrição de gráficos, imagens, esquemas e outros recursos visuais utilizados e questões que inviabilizam ou dificultam demasiadamente a compreensão por parte dos participantes com algum tipo de deficiência visual são substituídas”, disse. *Varela Notícias.

Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

MEC anuncia repasse de R$ 200 milhões para universidades e institutos


O Ministério da Educação (MEC) anunciou nesta sexta-feira, 3, o repasse de cerca de R$ 200 milhões para investimentos em infraestrutura e equipamentos nas universidades e institutos federais. As instituições receberão de R$ 800 mil a R$ 4 milhões, de acordo com o projeto selecionado.

O secretário-executivo do MEC, Antonio Paulo Vogel, explicou que os recursos serão investidos em três frentes: segurança, com ações para combate a incêndio e pânico, acessibilidade e vigilância monitorada; redução de despesas futuras, como aquisição de placas de energia fotovoltaica e retomada de obras; e investimentos em equipamentos de tecnologia de informação e comunicação.

De acordo com Vogel, parte do montante também será utilizado para compra de equipamentos para escolas médicas, em campi sem hospitais universitários.

Inovação

Além disso, o MEC anunciou que vai incrementar o orçamento da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii). Ampliado de R$ 28 milhões para R$ 50 milhões, o orçamento que vai possibilitar a abertura de um edital para o credenciamento de novas universidades e institutos federais como unidades de inovação Embrapii.

O objetivo do projeto é estimular a relação entre as instituições de ensino e empresas privadas na pesquisa aplicada à indústria, com o desenvolvimento de projetos que atendam às demandas do setor. “A ideia é que a universidade sirva cada vez mais ao setor produtivo”, disse o secretário de Educação Superior do MEC, Wagner Vilas Boas.

Segundo ele, até um terço do valor dos projetos desenvolvidos pelas unidades de inovação pode ser financiado com recursos públicos. O restante vem do setor empresarial. Atualmente, 17 unidades de pesquisa de universidades e institutos federais são credenciados à Embrapii e a previsão é que o novo edital seja lançado até setembro. Fonte: AgênciaBrasil.

Continue Reading

Educação

Renato Feder é escolhido por Bolsonaro para assumir Ministério da Educação


O secretário de Educação do Paraná, Renato Feder, é o mais cotado para assumir a pasta após a saída precoce de Carlos Alberto Decotelli. De acordo com a coluna Radar, da revista Veja, o presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) já escolheu o gestor paranaense para ocupar a pasta. Feder era o secretário da área no governo do Paraná e é visto por aliados do governo como um nome apaziguador. Diante do caos no ministério criado pelo ex-ministro Abraham Weintraub, o nome de Feder começou a ser ventilado nos bastidores de Brasília.

Em entrevistas recentes, o secretário demonstrou a intenção de restabelecer o diálogo entre o MEC e as secretarias estaduais e municipais de educação, além de reforçar a importância da autonomia das universidades federais.

Feder colocou a votação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) no Congresso como uma das medidas essenciais para o início do trabalho no cargo, caso seja escolhido. Avaliou ainda que, mesmo em meio à pandemia de Covid-19, o orçamento na educação não precisa aumentar. Ele é mestre em Economia pela Universidade de São Paulo (USP) e graduado em Administração pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). (Metro1) 

Continue Reading

Educação

Bolsonaro diz que educação no Brasil está horrível e que pode escolher novo ministro nesta quinta


O presidente Jair Bolsonaro afirmou que a educação no Brasil “está horrível” e que pode escolher o novo ministro da pasta ainda hoje (2). A declaração, transmitida em redes sociais de simpatizantes, foi dada na saída do Palácio da Alvorada, durante conversa do mandatário com um grupo de apoiadores.

Uma apoiadora que se identificou como representante de escolas particulares disse a Bolsonaro que a educação “está definhando no Brasil”. “Está definhando? A educação está horrível no Brasil”, respondeu o presidente. Em seguida, Bolsonaro comentou o processo de escolha do novo titular do MEC. “Talvez escolha hoje o ministro da Educação. Deu problema com o Decotelli”, disse o presidente.

Após apenas cinco dias no cargo, Carlos Decotelli pediu demissão do Ministério da Educação na terça (30), devido às revelações de diversas irregularidades em seu currículo. Fonte: Metro1

Continue Reading