Connect with us

Política

Dilma critica “voucher” de novo programa habitacional do Governo: “Política dos puxadinhos”


A ex-presidenta Dilma Rousseff criticou a reformulação do programa habitacional que substitui o Minha Casa Minha Vida, criado no governo Lula e mantido em seu mandato. Segundo a petista, o voucher prometido pelo Governo Federal à população não será suficiente para arcar com novos imóveis, e, na prática, vai servir para reformar a casa onde já vivem “precariamente”.

“É a volta da política dos puxadinhos”, escreveu a candidata derrotada ao Senado em 2018 na tarde desta sexta-feira (13), em seu perfil oficial no Twitter.

De acordo com o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, o programa é voltado para as famílias com renda mensal de até R$ 1,2 mil por mês, mas que o valor exato será determinado de acordo com cada região. Em entrevista concedida ao Estadão em outubro, o líder da pasta garantiu que não vai “enganar” os beneficiados com um voucher que não seja suficiente para “construir”.

Nos seus posts, Dilma cita a ex-ministra do mesmo ministério em seu governo, Miriam Belchior, que diz que a iniciativa do Governo Federal deve atender apenas “7 mil famílias”.
*BNews.

Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

“Se tiver voto eletrônico em 2022, vai ser a mesma coisa”, diz Bolsonaro ao comentar ataque ao Congresso americano

Foto: Marcello Camargo / Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse aos seus apoiadores nesta quinta-feira (7/1), que o Brasil enfrentará um cenário semelhante ao visto nos Estados Unidos, caso o Brasil não adote o voto impresso na eleição presidencial de 2022. A declaração veio após extremistas apoiadores do presidente Donald Trump invadirem a sede do Congresso americano para interromper a confirmação da eleição nesta quarta-feira (6). O republicano foi derrotada pelo democrata Joe Biden, que assumirá o comando do país no dia 20 de janeiro. 

“E aqui no Brasil, se tivermos o voto eletrônico em 22, vai ser a mesma coisa. A fraude existe. A imprensa vai dizer ‘sem provas, ele diz que a fraude existe’. Eu não vou responder esses canalhas da imprensa mais. Eu só fui eleito porque tive muito voto em 2018″, afirmou. 

Ele ainda repetiu, mesmo sem provas, as acusações de fraude nas eleições americanas feitas por Trump. “O pessoal tem que analisar o que aconteceu nas eleições americanas agora. Basicamente qual foi o problema, a causa dessa crise toda: falta de confiança no voto. Então lá, pessoal votou e potencializaram o voto pelos correios, por causa da tal da pandemia e houve gente que votou três, quatro vezes, mortos votaram, foi uma festa lá. Ninguém pode negar isso daí”.

O voto em urna eletrônica no Brasil foi adotado em 1996 e, desde então, nunca foi comprovada nenhuma fraude ao sistema eleitoral no país. 

Leia a matéria original em AratuOn

Continue Reading

Política

Brasil está uma maravilha, afirma Bolsonaro após dizer que país está quebrado


Um dia após dizer que o Brasil está quebrado, o presidente Jair Bolsonaro disse a apoiadores na manhã des hoje (6) que o país está “uma maravilha”. O vídeo com a declaração foi publicado por um canal simpático ao presidente.

“Confusão ontem, você viu? Que eu falei que o Brasil estava quebrado. Não, o Brasil está bem, está uma maravilha. A imprensa sem vergonha, essa imprensa sem vergonha faz uma onda terrível aí. Para imprensa bom estava Lula, Dilma, gastava R$ 3 bilhões por ano para eles”, afirmou.

Ontem (5), ele disse a apoiadores pela manhã que o Brasil está quebrado e que ele não consegue fazer nada. Ele também afirmou que uma das explicações para o desemprego no país é que parte dos brasileiros não tem preparação para fazer “quase nada”. (Metro1)

Continue Reading

Política

MP-RJ quer investigar Flávio Bolsonaro por lavagem de dinheiro


O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) quer prosseguir o trabalho de investigação contra o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) após denunciá-lo pelo dinheiro desviado em seu gabinete, por meio de rachadinha. Segundo o jornal Estadão, os procuradores estudam uma denúncia por por lavagem de dinheiro.

Em documento encaminhado ao Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), os promotores disseram que, além “dos componentes e estrutura ora descritos, ressalva-se a continuidade das investigações para apurar outros possíveis integrantes e/ou núcleos da organização criminosa, em especial a possibilidade da existência de eventual núcleo financeiro destinado, precipuamente, a lavar dinheiro por intermédio de ‘laranjas’ e empresas como a Bolsotini Chocolates e Café Ltda”.

Nessa próxima etapa, o MP deve envolver também Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), vereador do Rio. Na apuração contra o vereador do Rio, segundo filho do presidente Jair Bolsonaro, que ainda não avançou tanto quanto a do senador, há vários ex-funcionários investigados no processo que apura as “rachadinhas” na Assembleia. É o caso dos parentes de Ana Cristina Siqueira Valle, segunda mulher do presidente da República. Ela própria também está sob investigação, já que trabalhou para o então enteado, no gabinete da Câmara Municipal da capital fluminense. Fonte: Metro1

Continue Reading

Siga-nos no Instagram:

Facebook

Mais Lidas