Conecte-se agora

Bahia

Sem radar, número de mortes nas rodovias baianas aumentam 11%


O estado da Bahia reduziu cerca de 1% dos números de acidentes nas estradas entre o período de agosto a dezembro de 2019. Apesar do resultado ser positivo, as mortes aumentaram 11%. Os dados foram divulgados nesta última quinta-feira (12) pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Segundo o balanço apresentados pela PRF, o número de acidentes entre 1º de agosto a 10 de dezembro de 2018 foi de 1.215, resultando cerca de 161 mortes. Em 2019, o número de acidentes reduziu para 1.196, mas o a quantidade de óbitos aumentaram para 179.

O presidente, Jair Bolsonaro, determinou no dia 15 de agosto a suspensão da fiscalização por radares eletrônicos nas rodovias federais do país. A 1ª Vara da Seção Judiciária do Distrito Federal concedeu nesta quarta-feira (11) tutela provisória para que a fiscalização voltasse a ser feitas nas estradas.
*Varela Notícias.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bahia

Bahia poderá ter ventos de até 61 Km/h nesta semana, alerta Marinha


Ondas de 3 a 5 metros e ventos de até 61 Km/h (33 nós), em alto-mar, poderão atingir a Bahia entre esta quinta-feira e sábado (23 e 25/1). Conforme alerta da Marinha do Brasil, por meio do Centro de Hidrografia da Marinha (CHM), isso se deve à formação de um ciclone subtropical, entre o norte do estado do Rio de Janeiro e o sul do Espírito Santo.

As cidades baianas afetadas serão Caravelas e Ilhéus, ambas no sul do estado.

A Marinha do Brasil mantém todos os avisos de mau tempo em vigor em seu site. Adicionalmente, as informações meteorológicas podem ser visualizadas na página do Serviço Meteorológico Marinho no Facebook e por meio do aplicativo “Boletim ao Mar”, disponível para download na internet, tanto para o sistema Android quanto para iOS, desenvolvido em parceria entre a Marinha do Brasil e o Instituto Rumo ao Mar (Rumar).
*Aratu On.

Continue Lendo

Bahia

Marinha alerta para ciclone na Bahia


O Centro de Hidrografia da Marinha, o Instituto Nacional de Meteorologia, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais e o Centro Integrado de Meteorologia Aeronáutica da FAB alertam para a formação de um ciclone com possíveis características subtropicais a partir do dia 23.

Ele pode ser classificado como Depressão Subtropical e está associado a uma zona de convergência sobre uma região em que a temperatura da superfície do mar está entre 26C e 27C. Caso a intensidade dos ventos alcance ou supere 63 km/h (34 nós), ele muda. 


Passará a ser considerado uma Tempestade Subtropical e batizada de “Kurumí”, expressão em tupi-guarani que significa “menino”. A nomenclatura será oficialmente estabelecida por meio de Aviso Especial publicado no site do CHM, conforme a relação de nomes das Normas da Autoridade Marítima no 19.

A provável área de formação do ciclone subtropical será em alto-mar, entre o Norte do Rio de Janeiro e o Sul do Espírito Santo, com deslocamento inicialmente para o Sul, afetando as condições de tempo e mar entre os estados de Santa Catarina e Bahia, a partir do dia 23 pela manhã. 


São esperados ventos com direção de Nordeste a Norte e intensidade de até 87 km/h (47 nós) em alto-mar, entre o Rio de Janeiro, ao norte de Arraial do Cabo (RJ) e a Bahia, ao sul de Caravelas (BA), entre o dia 23 pela manhã e o dia 25.

Também são esperados ventos com direção de Nordeste a Norte e intensidade de até 61 km/h (33 nós) em alto-mar, na Bahia, entre as cidades de Caravelas e Ilhéus, entre o dia 23 pela manhã e o dia 25.

(Verdinho Notícias)

Continue Lendo

Bahia

Marinha alerta para ventos de até 87 km/h na Bahia durante ciclone


A Marinha do Brasil emitiu um alerta na noite de ontem (21) para o índice de ventos fortes na Bahia por conta da passagem de um ciclone no litoral do estado. Segundo o comando militar, a partir desta quinta-feira (23), o fenômeno pode apresentar características subtropicais, quando poderá ser classificado como Depressão Subtropical. A formação do ciclone está associada ao estabelecimento de uma zona de convergência sobre uma região em que a temperatura da superfície do mar está sendo observada entre 26ºC e 27ºC. Caso a intensidade dos ventos observados alcance ou supere 63 km/h (34 nós), o fenômeno será reclassificado como Tempestade Subtropical “Kurumí”, expressão em tupi-guarani que significa “menino”.

De acordo com a Marinha, a provável área de formação do ciclone subtropical será em alto-mar, entre o Norte do estado do Rio de Janeiro e o Sul do estado do Espírito Santo, com deslocamento inicialmente para Sul, afetando as condições de tempo e mar entre os estados de Santa Catarina e Bahia, a partir de quinta-feira pela manhã.

São esperados ventos com direção de Nordeste a Norte e intensidade de até 87 km/h (47 nós) em alto-mar, entre o estado do Rio de Janeiro, ao Norte de Arraial do Cabo (RJ) e o estado da Bahia, ao Sul de Caravelas (BA), entre o dia 23 pela manhã e o dia 25. Também são esperados ventos com direção de Nordeste a Norte e intensidade de até 61 km/h (33 nós) em alto-mar, no estado da Bahia, entre as cidades de Caravelas (BA) e Ilhéus (BA), entre o dia 23 pela manhã e o dia 25. 

Os ventos poderão ocasionar agitação marítima resultando em ondas de direção de Sudeste a Leste e
altura entre 3,0 e 4,0 metros em alto-mar, entre o estado de Santa Catarina, ao Norte de Laguna (SC) e o
estado do Rio de Janeiro, ao Sul de Arraial do Cabo (RJ), entre o dia 23 pela manhã e o dia 25. Também é
esperada agitação marítima resultando em ondas de direção de Nordeste a Norte e altura entre 3,0 e 4,0
metros em alto-mar, entre o estado do Rio de Janeiro, ao Norte de Arraial do Cabo (RJ) e o estado da Bahia,
ao Sul de Caravelas (BA), entre o dia 23 pela manhã e o dia 25. 

O alerta foi emitido por meio do Centro de Hidrografia da Marinha (CHM), em colaboração com o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (CPTEC/INPE) e o Centro Integrado de Meteorologia Aeronáutica da Força Aérea Brasileira (CIMAER/FAB).

Continue Lendo

Mais Lidas