Conecte-se agora

Brasil

Ganhador da Mega da Virada não se empolga: “Se velho tiver emoção, morre”


Marcos Nonato Arraes é um dos vencedores da Mega-Sena da Virada – dos R$ 304,2 milhões do prêmio total, ele levará R$ 2,9 milhões para casa. O pecuarista de 70 anos foi um dos compradores das 26 cotas do bolão realizado em uma casa lotérica de Juscimeira (MT), mas disse que não houve emoção em sua reação. O motivo? A idade. “A emoção é… Não tem emoção, a gente é acostumado a trabalhar, né. Velho não pode ter emoção, porque se velho tiver emoção, morre. Eu jogo há muito tempo, faz muito tempo que eu jogo. Tenho filho, tem família. Vamos ver o que meus filhos vão fazer, tenho cinco filhos”, contou.

A entrevista do pecuarista foi realizada pelo programa “MT1”, da TV Centro América, afiliada da Globo em Cuiabá. Marcos Nonato Arraes fez aniversário hoje, no dia em que falou com a repórter, mas disse que o prêmio não é um presente maior do que sua esposa. “Vou passar mais uma que você não sabe: hoje é meu aniversário. É bom demais, né? Velho não pode fazer aniversário porque fica muito alegre e é perigoso morrer. Toda a vida, a vida é essa, né? O presente maior que eu ganhei foi a minha velha há 46 anos”, respondeu ele. Ele não quer deixar a região de Juscimeira. “Faz 40 anos que eu moro aqui. Não saio daqui. Quem jogou e não ganhou tem de continuar jogando. Uma hora ganha, né?

Segundo a emissora, ele pagou R$ 107,94 pelo bilhete e receberá um prêmio de R$ 2,9 milhões pela cota adquirida. O bolão com 26 apostas foi organizado por Jaqueline, funcionária da lotérica. No entanto, ela não comprou uma das cotas. “Eu vim fazer mais um joguinho e agradecer à menina [Jaqueline], dar uma gorjeta para ela”, afirmou Marcos. A moça foi chamada pela repórter e disse que fez todas as 26 apostas na máquina. “Não precisa, não. A gente fica feliz por cada um deles, todos os ganhadores”, relatou. (Uol)

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Após motim da PM, número de assassinatos no Ceará já passa de 120


O Ceará já registra 122 assassinatos desde a paralisação dos policiais militares, iniciada há seis dias, de acordo com balanço divulgado neste domingo pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do estado.

Da tarde do último sábado (22) até a manha deste domingo (23), 34 Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs), que englobam homicídio doloso/feminicídio, lesão corporal seguida de morte e latrocínio, foram registrados.

168 policiais militares já foram afastados pelo governo do estado por participação no motim. Os agentes sairão da folha de pagamento a partir de fevereiro. Fonte: Metro1

Continue Lendo

Brasil

Cid Gomes deixa hospital após ser baleado e ficará com projéteis alojados no corpo


O senador licenciado Cid Gomes recebeu alta médica e deixou hoje (23) o hospital onde estava internado por cinco dias, depois de ser baleado durante um motim de policiais militares em Sobral, interior do Ceará.

De acordo com o G1, a assessoria dele informou que ele continuará a reabilitação em sua casa, em Fortaleza, mas não realizará procedimentos para a retirada dos projéteis do corpo.

Cid foi atingido quando tentava furar um bloqueio feito no 3º Batalhão da Polícia Militar da cidade com uma retroescavadeira. A Polícia Federal investiga o caso. (Metro1)

Continue Lendo

Brasil

Bolsonaro: ‘Respeitamos o Legislativo, mas quem executa o Orçamento somos nós’


O presidente da República, Jair Bolsonaro, disse, na noite de ontem (22), que vai buscar a manutenção do veto que garante ao Executivo federal definir o destino de R$ 30 bilhões do orçamento deste ano, de acordo com o jornal O Globo.

“Estamos lutando em Brasília pela manutenção de um veto de R$ 30 bilhões. Se o veto for derrubado, quem vai fazer a destinação é o Poder Legislativo. Respeitamos o Poder Legislativo, mas quem executa o orçamento somos nós”, afirmou o mandatário, depois de uma pizzaria no Guarujá, no litoral de São Paulo, onde passa o Carnaval.

As regras do orçamento impositivo chanceladas pelo Congresso preveem que parlamentares passem a ser os responsáveis por definir o destino de cerca de R$ 30 bilhões do total de recursos deste ano. Bolsonaro vetou esse trecho e o Congresso chegou a se articular para derrubar o veto.

Na semana passada, foi anunciado um acordo em que o governo aceitava ceder aos parlamentares o direito de indicar a ordem da execução das emendas no Orçamento. Na última terça-feira, durante cerimônia no Palácio do Planalto, o ministro chege do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, deixou claro ser contra este acordo.

“Nós não podemos aceitar esses caras chantagearem a gente o tempo todo. Foda-se”, disse o ministro, em frase ouvida pelos ministros Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) e Paulo Guedes  (Economia), e captada pela transmissão ao vivo da presidência pela internet. (Metro1)

Continue Lendo

Mais Lidas