Conecte-se agora

Mundo

Irã admite abate de avião ucraniano com míssil e reconhece erro


O presidente do Irã, Hassan Rouhani, afirmou hoje (11) que o país “lamenta profundamente” ter abatido um avião civil ucraniano, sublinhando tratar-se de “uma grande tragédia e um erro imperdoável”. O líder supremo do Irã foi informado ontem (10) das investigações e exigiu que a informação fosse tornada pública. O avião foi confundido com um míssil de cruzeiro.

“O inquérito interno das forças armadas concluiu que lamentavelmente mísseis lançados devido a erro humano provocaram a queda horrível do avião ucraniano e a morte de 176 inocentes”, admitiu Rouhani, numa mensagem divulgada na rede social Twitter.

“As investigações continuam para identificar e levar à justiça” os responsáveis, acrescentou, classificando o abate do avião como “uma grande tragédia e um erro imperdoável”. 

Em um segundo tweet, Rouhani diz que o Irã “lamenta profundamente esse erro desastroso”. “Os meus pensamentos e orações vão para todas as famílias de luto. Ofereço as minhas mais sinceras condolências”, acrescentou.

Também o ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Javad Zarif, apresentou “as desculpas” do país pela catástrofe envolvendo o Boeing 737 da companhia Ukrainian Airlines, depois de as forças armadas terem igualmente reconhecido que o avião foi abatido por erro.

“Dia triste”, escreveu Mohammmad Javad Zarif no Twitter. Um “erro humano em tempos de crise causada pelo aventureirismo norte-americano levaram ao desastre”, acrescentou.

“O nosso profundo arrependimento, desculpas e condolências ao nosso povo, às famílias das vítimas e às outras nações afetadas” pelo drama, disse o ministro.

O Estado-maior das forças armadas do Irã garantiu à população do país que “o responsável” pela tragédia do Boeing, abatido na quinta-feira (9) nos arredores de Teerã, vai ser imediatamente apresentado à Justiça militar.

“Garantimos que ao realizar reformas fundamentais nos processos operacionais ao nível das forças armadas, vamos tornar impossível a repetição de tais erros”, acrescentou, em comunicado.

A agência de notícias iraniana Fars adianta que o aiatolá Ali Khamenei, líder supremo do Irã, foi informado das conclusões das forças armadas nesta sexta-feira e, depois de uma reunião com a cúpula de segurança do país, decidiu que a informação deveria ser anunciada publicamente.

Em uma comunicação publicada em sua página na internet, ele exortou que se faça o necessário para “evitar a repetição de acidentes”, eliminando qualquer tipo de negligência. Ele também apelou às forças armadas que “investiguem as prováveis falhas e culpas no doloroso incidente”.

Avião confundido com míssil
Mais cedo, a televisão estatal iraniana difundiu uma declaração militar que atribuía o abate da aeronave a um erro.

O avião ucraniano voou perto de “um centro militar sensível” da Guarda Revolucionária. Devido às tensões com os Estados Unidos, os militares estavam no nível mais elevado de prontidão. “Nestas condições, devido a um erro humano e de uma forma não intencional, o avião foi atingido”.

O avião ucraniano foi confundido com um míssil de cruzeiro, revelou mais tarde um comandante da Guarda Revolucionária na televisão estatal iraniana. O aparelho foi abatido por um míssil de curta distância, revelou o responsável da divisão aérea Amirali Hajizadeh, dizendo que o míssil explodiu ao lado do avião.

“Quem me dera poder morrer e não assistir a um acidente como este”, acrescentou Hajizadeh.

Um soldado teria disparado sem ordem devido a um “congestionamento de telecomunicações”, disse o general.

Até o momento, o Irã negava que um míssil fosse responsável pelo acidente. No entanto, os Estados Unidos e o Canadá afirmaram, citando informações dos respectivos serviços de segurança, que o acidente foi causado por um míssil iraniano.

O presidente ucraniano exige que o Irã assuma inteiramente as responsabilidades. “Esperamos do Irã garantias da sua abertura para uma completa e transparente investigação, trazendo os responsáveis à Justiça, a entrega dos corpos, o pagamento de uma indemnização e desculpas oficiais através dos canais diplomáticos”, adiantou Volodymyr Zelenskiy.

Fonte: AgênciaBrasil.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acidente

Acidente de helicóptero mata Kobe Bryant, astro do basquete americano


De acordo com o site americano “TMZ”, Kobe Bryant, astro da NBA e dos Los Angeles Lakers, morreu aos 41 anos na tarde deste domingo. A publicação afirma que o helicóptero particular do ex-jogador caiu na cidade de Calabasas, na Califórnia, nos Estados Unidos, e pegou fogo. Ainda não há confirmação oficial da morte da lenda do basquete.

O que se sabe até o momento, ainda segundo o site americano, é que a esposa do jogador, Vanessa, e os filhos, a princípio, não estão entre as vítimas.

Mais informações em instantes.

(GE)

Continue Lendo

Mundo

Estados Unidos confirmam segundo caso de coronavírus


Uma sexagenária que voltou de Wuhan em 13 de janeiro e vive em Chicago está infectada com o coronavírus chinês. A informação é de autoridades sanitárias americanas, que relataram que este é o segundo caso confirmado no país e que há mais 50 casos sob investigação.

O chefe de saúde pública de Chicago disse em entrevista coletiva que a senhora está hospitalizada para evitar a disseminação e  “clinicamente estável”.

A diretora do Centro de Controle e Prevenção de Doenças, Nancy Messonnier, relatou que além dos dois casos confirmados 11 pessoas avaliadas no país receberam diagnóstico negativo e outros 50 pacientes estão em análise.
*Metro1.

Continue Lendo

Mundo

Aumenta número de mortos pelo Coronavírus; cidades ficam em quarentena


Sobe para 25 o número de mortes pelo Coronavírus, na China. De acordo com a agência estatal (CGTN), a 25ª vítima veio a óbito na noite de quinta-feira (23). Além disso, o número de casos confirmados também aumentou, chegando a 835, assim como o de suspeitas, que alcançou 1.072 pessoas.

O vírus não só atacou na China. O Ministério de Saúde do Japão já confirmou dois casos no país, uma das vítimas foi um homem de 40 anos, morador de Wuhan, cidade chinesa, que visitava Tóquio. Agências de notícias da Coréia do Sul também noticiaram um caso de infecção.

Na tentativa de impedir uma epidemia, duas cidades chinesas, Wuhan e Huaggang, foram colocadas em quarentena. Todos os transportes foram interrompidos e seus acessos bloqueados.

Segundo estudos do “Science China Life Sciences”, o vírus pode estar relacionado a uma sopa de morcego que é consumida na cidade de Wuhan.

Além dos casos da Coréia do Sul, China e Japão, o Coronavírus atacou em outros cinco países, sendo eles Cingapura, Estados Unidos, Tailândia, Taiwan e Vietnã. Ainda que o vírus tenha chegado a outros países, a Organização Mundial de Saúde (OMS) descartou fazer um alerta de emergência global.

Quatro estados do Brasil tiveram suspeitas de vítimas do Coronavírus, mas todos as suspeitas foram descartadas.
*Varela Notícias.

Continue Lendo

Mais Lidas