Connect with us

Polícia

Grafiteiro de monumento no CT do Bahia, “Scank” é morto no Imbuí; polícia apura rivalidade de torcida


O grafiteiro Jailson Galdino Souza dos Santos, conhecido no meio artístico como Scank, foi executado na madrugada desta quinta-feira (13/2). A vítima, que tinha 27 anos, estava na companhia de um amigo identificado pelas iniciais A.J.dos.S, espancado pelos criminosos. De acordo com a Polícia Militar, o homicídio e tentativa ocorreram na localidade conhecida como Bate Facho, área considerada perigosa no bairro do Imbuí, em Salvador. 

O comandante da 39ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Boca do Rio/Imbuí), major Antônio Batista de Macedo, disse que as guarnições foram acionadas por volta das 2h40 e fizeram rondas no local para encontrar os autores do crime, sem sucesso. Scank morreu na hora, enquanto seu amigo foi socorrido para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) localizada no bairro Guilherme Marback. O estado de saúde não foi informado. 

A.J conversou informalmente com os policiais militares. Segundo o oficial, ele teria alegado que estava na região para comprar vinho junto com Jailson. “Ele deu essa versão, mas acabou confessando que é usuário de drogas. Estamos apurando todas as informações”, destacou o major.

Oficialmente, o caso está sendo apurado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), por meio da 1ª Delegacia (DH/Atlântico). A Polícia Civil não confirma, mas surge uma versão para o assassinato: os dois rapazes seriam torcedores de um clube de futebol e foram surpreendidos pelos homens armados, que seriam rivais. Essa informação deve ou não ser confirmada no decorrer das apurações. 

PASSAGENS PELA POLÍCIA

Em 2014, Scank foi detido em flagrante pela Guarda Civil Municipal de Salvador (GCMS) por praticar atos de vandalismo junto com outros amigos. Eles estavam pichando estabelecimentos comerciais durante a madrugada em espaços públicos no centro de Salvador.

A pichação é considerada vandalismo e crime ambiental, que estipula pena de detenção de 3 meses a 1 ano, e multa, para quem pichar, grafitar ou por qualquer meio conspurcar edificação ou monumento urbano. Existe ainda uma lei municipal que institui sanções para atos de vandalismo em Salvador, onde o vândalo terá que pagar uma multa que varia entre R$ 1 mil e R$ 1.000.000, que será graduada de acordo com o dano constatado.

TRABALHO

Scank é conhecido por diversos trabalhos de grafite espalhados pela cidade. Ele foi responsável, inclusive, pela pintura de uma das vacas da CowParade, comprada e exposta atualmente no Centro de Treinamento do Bahia, Evaristo de Macedo, no município de Dias D’ávila. Na época, inclusive, ele chegou a compartilhar o feito com uma postagem no Facebook e recebeu diversos elogios. Fonte: AratuOn

Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Investigação da PF aponta que incêndios no pantanal começaram em 4 fazendas de grande porte no MS

Foto : Chico Ribeiro/Governo de Mato Grosso do Sul

Uma investigação da Polícia Federal, iniciada em junho, aponta que os incêndios que já destruíram 25 mil hectares do Pantanal no Mato Grosso e Mato Grosso do Sul começaram em quatro fazendas de grande porte em Corumbá (MS). 

A suspeita é de que produtores rurais tenham colocado fogo na vegetação com o objetivo de transformar em área de pastagem. 

As fazendas apontadas pela PF como suspeitas de origem das chamas são: Califórnia, que pertence Hussein Ghandour Neto e tem 1.736 hectares; Campo Dania, cujos donos são Pery Miranda Filho e a mãe dele, Dania Tereza Sulzer Miranda, com 3.061,67 hectares; São Miguel, de Antônio Carlos Leite de Barros (33.833,32 hectares), além de Bonsucesso, de Ivanildo da Cunha Miranda (32.147,06 hectares). (Metro1)

Continue Reading

Polícia

Casos de feminicídio têm redução de 85,7% no mês de agosto, diz SSP

Foto: Divulgação

Sem nenhum caso contabilizado em Salvador e nas 13 cidades da Região Metropolitana de Salvador (RMS), a Bahia registrou apenas uma ocorrência de feminicídio em agosto, no interior do Estado.

De acordo com levantamento realizado pela Secretaria de Segurança Pública (SSP), o crime de feminicídio registrou queda de 85,7%, no mês em comparação ao mesmo período do ano passado.

Conforme a pasta, em 2019, no oitavo mês do ano, a polícia havia contabilizado sete ocorrências contra mulheres. Dos sete, seis foram em cidades do interior e um caso ocorreu na capital baiana. Na RMS, não houve registros nos dois períodos

“É um trabalho muito difícil, mas que desempenhamos com total dedicação. Assim que sabemos da situação vulnerável da mulher, aproximamos e iniciamos um acompanhamento. Não podemos atuar dentro dos lares, educando aqueles que imaginam a mulher como objeto, mas seguiremos repreendendo essas práticas machistas”, declarou a comandante da Operação Ronda Maria da Penha de Lauro de Freitas, tenente Luana Queiroz Braga. (A Tarde)

Continue Reading

Polícia

Justiça mantém prisão de PMs acusados de sequestrar advogado para extorquir R$ 15 mil

Foto: Divulgação

O juiz Horácio Moraes Pinheiro, da Vara de Auditoria Militar, negou pedido para revogar a prisão preventiva dos policiais militares Gustavo Nascimento Martinez e Edson Barbosa Júnior, acusados de sequestrar o advogado Deivisson Santos de Almeida e cobrar R$ 15 mil para libertá-lo.

O magistrado seguiu parecer do Ministério Público da Bahia (MP-BA), que defendeu a manutenção da prisão da dupla, que responde a ação penal pelo crime de extorsão mediante sequestro. No pedido, a defesa dos PMs alegou que a fase de instrução processual acabou porque réus já passaram por interrogatório, “não mais se justificando a manutenção da medida restritiva, mormente em razão de preencherem os demais requisitos legais para obtenção da suas liberdades.”

Para o juiz, no entanto, o crime pelo qual os dois são acusados é de “extrema gravidade”, e a prisão deles é “necessária para garantia da ordem pública”. Além disso, os réus teriam usado a estrutura da PM para realizar o sequestro, como uma viatura descaracterizada do Setor de Operação de Inteligência da Polícia Militar – Operação Apolo e armamento. Por isso, a continuidade da prisão é vista pelo magistrado como forma de aplicar a lei penal militar. 

Na decisão, o juiz afirmou, ainda, que a violência em Salvador está em “índice alarmante” e, por isso, é preciso a atuação da Justiça para manter custodiadas “as pessoas que se envolvem na prática de tais delitos – especialmente quando decorrente, em tese, de ação daqueles dos quais a sociedade espera proteção -, sob pena de o sentimento de impunidade desencadear uma série de novos delitos e aumentar a sensação de insegurança dos cidadãos.”

Caso sejam condenados, os PMs podem pegar de seis a 15 anos de prisão.

O CRIME
Segundo a denúncia do Ministério Público, aceita pela Justiça em junho deste ano, o caso aconteceu na noite de 30 de março deste ano. Gustavo e Edson abordaram, em via pública, o advogado Deivisson Santos de Almeida. 

Os PMs, narra o MP-BA, roubaram inicialmente R$ 850 da vítima e a obrigaram, ameaçando-a com uma arma, a entrar na viatura descaracterizada que utilizaram para fazer o sequestro. Eles exigiram, então, R$ 20 mil para libertar o advogado com vida. A vítima conseguiu entrar em contato com uma terceira pessoa e levantou a quantia de R$ 15 mil, que foi entregue aos sequestradores nas imediações do restaurante Rancho do Cupim, no bairro de Pituaçu. Após pagamento do valor, o advogado foi liberado. (Bahia Notícias)

Continue Reading

Siga-nos no Instagram:

Facebook