Connect with us

Economia

Auxílio Emergencial: Tudo o que foi divulgado sobre a 3ª parcela, confira


A Caixa Econômica Federal começa a pagar nesta semana a terceira parcela do Auxílio Emergencial de R$ 600. Esta semana começam a receber os beneficiários do Bolsa Família com NIS final de 1 a 3, de forma escalonada.

Se você quer entender um pouco mais sobre o funcionamento da terceira parcela do Auxílio e o que já está confirmado. Acompanhe!

Terceira Parcela do Auxílio Emergencial

Previsto para ser liberado neste semana, o calendário segue sendo aguardado por milhares de brasileiros, entretanto o pagamento do terceiro lote já tem algumas informações divulgadas.

Assim como na segunda parcela, o pagamento da terceira funcionará com três calendários distintos um dos outro.

  • Calendário para beneficiários do Bolsa Família
  • Calendário para trabalhados informais que vão receber em poupança digital
  • Calendário de saque em dinheiro e transferência para outros bancos

Outra informação já confirmada é a de que os trabalhadores informais e os demais públicos que não envolvam o Bolsa Família poderão sacar o auxílio em dinheiro apenas 10 dias após a liberação do depósito em conta poupança social digital no app Caixa Tem.

Seguindo a ordem de pagamento o cronograma se estenderá até o inicio do mês de julho.

Calendário deve sair essa semana

Após mais uma semana de expectativas frustradas com a não divulgação do calendário de pagamento da terceira parcela do auxílio emergencial, os beneficiários esperam que o cronograma seja divulgado na próxima semana. O presidente da República, Jair Bolsonaro, sinalizou, através de uma live nas redes sociais, que o Governo Federal deve divulgar o calendário ainda está semana.

Calendário do Bolsa Família

Os primeiros contemplados do terceiro lote serão os beneficiários do Bolsa Família, especificamente os brasileiros com final 1 do NIS. Confira à seguir o calendário de pagamento da terceira parcela do Bolsa Família:

  • dia 17: NIS final 1
  • dia 18: NIS final 2
  • dia 19: NIS final 3
  • dia 22: NIS final 4
  • dia 23: NIS final 5
  • dia 24: NIS final 6
  • dia 25: NIS final 7
  • dia 26: NIS final 8
  • dia 29: NIS final 9
  • dia 30: NIS final 0

Beneficiários podem NÃO receber a terceira parcela

Para poder pagar a terceira parcela, o governo irá fazer uma reanálise de todos os cadastros que já foram aprovados e se eles ainda estão cumprindo os requisitos necessários. Você que recebe o Auxílio Emergencial, e, nesse meio tempo conseguiu um trabalho formal, a informação irá constar na Carteira de Trabalho e o sistema irá analisar os dados do benefício e irá vetar o pagamento.

Essa regra também vai valer para quem começar a receber outro benefício entre o recebimento da primeira e segunda parcela do Auxílio Emergencial, como, por exemplo, uma aposentadoria, nesse caso também o auxílio de R$ 600 será cortado.

Confira à seguir os motivos que podem impedir que você receba a próxima parcela:

  • Quem já conseguiu um emprego formal durante a pandemia;
  • Quem começou a receber outro benefício entre as parcela do auxílio, como aposentadoria ou seguro-desemprego;
  • A renda da família ficou acima de três salários mínimos (R$ 3.135,00) ou a renda mensal por pessoa da família passou a ser maior que meio salário mínimo (R$ 522,50).

O que é preciso para receber o auxílio?

  • Ser maior de 18 anos de idade;
  • Não ter emprego formal ativo;
  • Não ser titular de benefício previdenciário ou assistencial, de seguro-desemprego ou de programa de transferência de renda federal, com exceção do Bolsa Família*;
  • Ter renda familiar mensal per capita de até meio salário mínimo ou a renda familiar mensal total seja de até três salários mínimos;
  • Não ter recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70.

Além disso, o beneficiário tem que se encaixar em um dos três perfis:

  • Ser microempreendedor individual (MEI);
  • Ser contribuinte individual do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social);
  • Ser trabalhador informal, autônomo ou desempregado, de qualquer natureza, inclusive o intermitente inativo, inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) até 20 de março de 2020 ou que cumpra, nos termos de autodeclaração, o requisito de renda mensal per capita de até meio salários mínimo ou renda familiar mensal de até três salários mínimos.

Como contestar pedido negado

Confira o passo a passo necessário para que você possa contestar novamente caso seu benefício tenha sido negado

  1. Abra o aplicativo Caixa Auxílio Emergencial.
  2. Informe os dados cadastrais. É importante que as informações sejam iguais aos dados registrados na Receita Federal.
  3. O aplicativo irá mostrar o motivo da não aprovação do benefício. Selecione a opção Nova Solicitação, se precisa realizar alguma alteração cadastral, ou Contestação, caso discorde do motivo apresentado pelo sistema.
  4. Se você escolheu a opção Nova Solicitação é só seguir o fluxo normal de preenchimento dos dados, com muita atenção, até completar o cadastro. Após finalizar esta etapa o status da solicitação voltará para “Em análise” e a Dataprev fará novamente a análise do cadastro.
  5. Se você escolheu a opção Contestação o aplicativo irá informar que esse processo poderá ser feito somente uma vez. Confirme o(s) motivo(s) da contestação e aperte em Continuar. Aparecerá na tela a declaração sobre a veracidade das informações prestadas e, após a leitura, clique em Continuar.
  6. O pedido de contestação será finalizado e os dados passarão novamente por análise da Dataprev. O trabalhador poderá acompanhar pelo aplicativo o retorno da análise.

Ao refazer a solicitação do benefício o pedido entrará novamente em análise e será processado pela Dataprev mais uma vez, afim de garantir que o solicitante se encaixa em todos os critérios estipulados para receber o benefício.

Fonte: Jornal Contábil.

Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Caixa libera mais um saque do auxílio de R$ 600; veja quem tem direito


A Caixa libera neste sábado (11) o saque da primeira parcela do auxílio emergencial de R$ 600 para mais um grupo de beneficiários. Poderão retirar o dinheiro agora os nascidos em junho do 3º lote de aprovados que não estão inscritos no Bolsa Família.

O pagamento do auxílio emergencial segue dois calendários diferentes. Primeiro, os depósitos são feitos em poupança digital, e o dinheiro só pode ser usado para pagamento de boletos e compras online, por exemplo (não pode ser sacado diretamente). Para esse lote de beneficiários, os depósitos ocorreram nos dias 16 ou 17 de junho. Em um segundo calendário, o dinheiro é liberado para saque e transferência de acordo com o mês de aniversário.

A regra não vale para quem é do Bolsa Família e tem direito ao auxílio. Essas pessoas não acumulam os dois pagamentos (recebem apenas o que for mais vantajoso) e o saque é autorizado conforme o calendário do Bolsa Família, que leva em conta o dígito final do NIS (Número de Identificação Social).

O governo alterou o calendário de saques do 3º lote de aprovados. Quem pode retirar e transferir o dinheiro a partir de hoje são os aniversariantes de junho. Na segunda-feira (13), será a vez dos nascidos entre julho e setembro.

Veja a seguir o calendário completo atualizado:

Auxílio emergencial de R$ 600
3º lote de aprovados

Mês de aniversárioDepósitoSaques e transferências
Janeiro16/jun6/jul
Fevereiro16/jun7/jul
Março16/jun8/jul
Abril16/jun9/jul
Maio16/jun10/jul
Junho16/jun11/jul
Julho17/jun13/jul
Agosto17/jun13/jul
Setembro17/jun13/jul
Outubro17/jun14/jul
Novembro17/jun14/jul
Dezembro17/jun14/jul

Fonte: Caixa Econômica Federal

O governo ainda não divulgou quando as demais parcelas serão pagas para esse grupo. Ao todo, são 4,9 milhões de beneficiários neste lote. Só os nascidos em junho representam 400 mil trabalhadores com direito ao auxílio. (UOL)

Continue Reading

Economia

Maia cobra governo para enviar projeto do Renda Brasil ao Congresso


O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), cobrou nesta quinta-feira (9) o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) o envio da proposta do anunciado programa “Renda Brasil”.

Anunciado pela equipe econômica como um substituto ao Bolsa Família há cerca de um mês, até o momento, o governo ainda não apresentou as bases para o programa.

Em transmissão ao vivo com o banco de investimentos BTG Pactual, Maia cobrou o envio de uma proposta, em vez de discurso, para que o Congresso inicie o debate.

“O governo precisa parar de fazer discurso sobre o tal Renda Brasil e apresentar o programa ao Congresso. O Congresso tendo espaço, tendo a proposta do governo, vai organizar de forma rápida esse debate e vai, claro, avançar, dentro da realidade fiscal brasileira”.

O presidente da Câmara alertou também que o governo tem cerca de 60 dias para fazer o debate do novo programa, ou será pressionado a renovar o benefício de R$ 600 do auxílio emergencial.

Maia disse não ser a favor da prorrogação do auxílio emergencial até o fim do ano, mas ponderou que se o governo não entrar logo no debate, será pressionado a manter o benefício pela sociedade e por parlamentares.

“Se o governo deixar tudo para a última hora, é claro que a pressão da sociedade e dos deputados e deputadas e senadores e senadoras será grande por mais algum período de R$ 600”.

No início de junho, o ministro Paulo Guedes (Economia) se reuniu com deputados federais e anunciou a intenção de criar o chamado Renda Brasil para substituir o atual Bolsa Família.

A intenção é incluir os informais identificados pelo governo e que hoje são beneficiados pelo auxílio emergencial de R$ 600. Guedes, entretanto, não deu mais detalhes sobre a iniciativa na reunião com deputados no início de junho e ainda não apresentou as diretrizes do programa.

A ideia surgiu no ano passado, com a equipe do governo Bolsonaro trabalhando em uma transformação do Bolsa Família. Já havia a previsão de mudar o nome do programa para Renda Brasil.

Segundo integrantes da equipe econômica disseram à reportagem, diversas áreas do ministério estão fazendo estudos para aprimorar o desenho de programas sociais e usar melhor os recursos destinados a eles. Fonte: Yahoo.

Continue Reading

Economia

Governo antecipa saques Auxílio Emergencial para 2 milhões de beneficiários do 3º lote


O governo federal divulgou um novo calendário de saque da primeira parcela do Auxílio Emergencial de R$ 600 para o terceiro lote de beneficiários, inscritos no aplicativo e site entre 1º e 26 de maio. Com a mudança, serão antecipados os saques e transferências para os nascidos entre agosto e dezembro. Esse grupo, de 2 milhões de pessoas, terá acesso ao benefício a partir da próxima segunda-feira (13). Veja calendário ao final da reportagem.

O novo calendário foi divulgado em portaria do “Diário Oficial da União” desta sexta-feira (10), e revoga a portaria com o calendário anterior, anunciado em 15 de junho.

O saque do terceiro lote começou na última segunda-feira (6) para quem é nascido em janeiro. De lá para cá, a cada dia da semana, o saque foi sendo disponibilizado para nascidos nos meses seguintes. Nesta sexta, por exemplo, o saque ficou disponível para nascidos no mês de maio. Ao todo, o lote inclui 5,9 milhões de beneficiários.

De acordo com o calendário inicial, na próxima segunda (13), somente os 400 mil inscritos no programa que nasceram em julho teriam direito ao saque. No entanto, o novo calendário garante o saque também para quem nasceu nos meses de agosto e setembro, que só teriam acesso ao benefício a partir de terça e quarta-feira, respectivamente. Ao todo, 1,2 milhão de pessoas poderão sacar no mesmo dia.

Além disso, os nascidos em outubro, novembro e dezembro, que receberiam os benefícios quinta (16), sexta-feira e sábado, respectivamente, poderão todos fazer os saques a partir de terça-feira (14). Em vez dos 400 mil nascidos em agosto que poderiam fazer o saque a partir de terça, agora mais 800 mil beneficiários do terceiro lote terão acesso ao saque no mesmo dia.

Veja abaixo como ficou o calendário:

Já a segunda parcela para os aprovados do terceiro lote ainda não tem data definida.

Balanço

Segundo a Caixa, 65,2 milhões de beneficiários já receberam o Auxílio Emergencial dentro das parcelas 1, 2 e 3, totalizando R$ 121,1 bilhões.

Dos 109,1 milhões de cadastros no programa, 107,7 milhões foram processados. Cerca de 800 mil ainda esperam por reanálise, todos inscritos no app e site do auxílio, enquanto cerca de 1,3 milhão ainda estão em primeira análise.

Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial ou pelo site auxilio.caixa.gov.br.

Fonte: G1.

Continue Reading