Connect with us

Educação

Professor de Libras cria plataforma que auxilia surdos durante pandemia de covid-19


As ferramentas tecnológicas surgem com o principal objetivo de tornar o nosso dia a dia mais fácil, não só por reduzir o tempo das nossas atividades ou pela interatividade criada, mas também pelo bem-estar gerado ao usuário – falando daqueles que as utilizam da forma correta, claro. 

E dentro dessa realidade, esse bem-estar pode ser responsável também por gerar a inclusão das minorias. E é com esse objetivo que o projeto Libras Inter Conect surge, aqui mesmo na Bahia. O criador da plataforma é um alagoano de 28 anos, mas com um coração baiano. 

“Já me considero baiano, porque desde que cheguei aqui todos me receberam de braços abertos”, explica Aisamaque Souza, que é professor de Libras do Instituto Federal Baiano (IF), no campus de Itapetinga. A plataforma que está em desenvolvimento surge para auxiliar pessoas surdas em meio à pandemia de covid-19, levando um “atendimento mais humanizado, que rompe as barreiras comunicacionais entre os profissionais da saúde e as pessoas Surdas”, define Aisamaque. 

O Libras Inter Conect deve chegar aos usuários no início de agosto, primeiro para as cidades de Itapetinga, Teixeira de Freitas e Uruçuca. Agora passa pelas últimas fases de teste da plataforma, que vai conectar, simultaneamente, e ao vivo, um médico, um intérprete de Libras e o paciente, tudo à distância. “Ela surge para colocar o intérprete  como centro dessa ferramenta de comunicação. Dentro do app, o médico aciona um intérprete que esteja disponível e o sistema redireciona para que ele faça a tradução para a pessoa surda”, explicou o criador do programa, que lembra que essa ferramenta é única para quem tem a deficiência auditiva.

Bom, e não precisar ter aquela preocupação se ‘o conteúdo da consulta médica será traduzido da forma correta’. Aisamaque tranquiliza lembrando que todo o intérprete de Libras, ao assumir a função, segue um código de ética profissional. Além de explicar com clareza as orientações técnicas que o médico passará, mantém “o sigilo entre o profissional da saúde e paciente”, concluiu.

  “Quando me refiro a pessoas Surdas falo quanto ao fator de identidade, surdos com S maiúsculo, demonstrando que houve um processo de lutas e conquista”, explica Aisamaque, sobre a utilização da expressão 

O projeto pôde ser elaborado depois que Aisamaque, juntamente com um grupo de profissionais do IF, inscreveu o aplicativo em um edital promovido pelo Conif, o Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. Entre os profissionais que ajudaram no desenvolvimento da plataforma, está a docente de Libras Renata Cristina dos Reis, 34. Para ela, além do auxílio durante as consultas, essa ferramenta ajuda a comunidade surda a cumprir o papel responsável durante a pandemia. 

A professora Renata se juntou ao programa em janeiro desse ano (Foto: Divulgação)

“Uma parte da comunidade surda ou deficiência auditiva do Brasil não tem acesso à informações corretas ou orientações de como evitar o novo coronavírus. Isso impacta no cumprimento do distanciamento social. Portanto, esse projeto poderá facilitar o acesso às informações”, afirma Renata, que foi diagnosticada com surdez tardiamente, quando tinha dois anos de idade, e não sabe se a deficiência foi de nascença ou algum acidente. Atualmente ela leciona no campus de Teixeira de Freitas.

 ” Uma forma de transformar e nos deixar em uma situação de independência”, afirmou Renata

O site que também será lançado junto ao app, informa à população surda, por exemplo, dados sobre a pandemia, boletins e outras dicas básicas de prevenção da covid-19. A professora completa lembrando que o isolamento também dificulta o contato dos Surdos com intérpretes de maneira geral, e o Libras Inter Conect ajuda nesta reaproximação.

O outro papel desenvolvido por Renata na formulação do projeto, é uma espécie de curadoria, que seleciona os profissionais que farão a tradução para Língua Brasileira de Sinais. Segundo ela, as qualificações técnicas devem apresentar, no mínimo, fluência verbal e gramatical das duas linguagens, e “experiência e convivência sobre a identidade e cultura surda”, disse Renata.

Pós covid

A ferramenta chega como uma solução momentânea em meio à pandemia. Mas a sua funcionalidade pode ser facilmente aplicada em outras situações, e auxiliar os Surdos em diversas vertentes da sociedade. Antes de desenvolver o Inter Conect, Aisamaque atuou de 2010 a 2017 como intérprete, sempre no setor educacional. Ele acredita que essa ferramenta possa ampliar o alcance da Língua Brasileira de Sinais, já que em áreas, como a saúde, por exemplo, esse tipo de auxílio é pouco utilizado.       

“Na área da saúde ainda não há inclusão, pensando nisso, consideramos que as pessoas Surdas estão sendo excluídas e segregadas socialmente por não terem atendimento e comunica adequada para elas”, avaliou Aisamaque. Para ele, a intenção é expandir para as “duas principais áreas sociais, que são educação e segurança pública”, define. “Esses sistemas precisam muito de intérpretes, que possibilitem a inclusão social. Nosso projeto tem a pretensão suprir a área da saúde primeiro, mesmo após a pandemia, mas também ocupar esses dois espaços”, finalizou.

O pensamento é compartilhado por Renata, que ver o Inter Conect como um meio de transformação, para dar “independência a essas pessoas”, explicou. “Não precisaria chamar alguém da família ou amigos para lhe auxiliar na comunicação, ele poderá utilizar o Libras Inter Conect e comunicar diretamente”, completou. Renata finaliza lembrando da entrada no projeto, a convite do amigo e professor, que lhe encheu os olhos principalmente por conhecer toda a história da comunidade surda, muito pela “dificuldade de linguística e de comunicação”. 
 Fonte: Correio24horas

Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Enem 2020 é adiado para janeiro e fevereiro de 2021


As provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 foram adiadas mais uma vez e serão aplicadas em janeiro e fevereiro de 2021. O anúncio foi feito hoje (8) pelo Ministério da Educação. A nova data para o Enem 2020 foi definida mais de quatro meses após a suspensão das aulas presenciais e fechamentos das escolas em todo o Brasil por causa da disseminação do coronavírus.

O anúncio foi feito pelo secretário-executivo do Ministério da Educação (MEC), Antonio Paulo Vogel, e o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes, durante coletiva de imprensa, em Brasília. Ao todo, 5,8 milhões de pessoas foram inscritas. Destes, 96 mil candidatos farão a prova de forma digital.  (Metro1)

Continue Reading

Educação

MEC anuncia Enem em 17 e 24 de janeiro de 2021


O Ministério da Educação (MEC) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) anunciaram nesta quarta-feira (8) que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) será aplicado nos dias 17 e 24 de janeiro de 2021. O Enem digital será nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro. 

A reaplicação do Enem será no dia 24 de fevereiro e 25 de fevereiro. E os resultados serão divulgados no dia 29 de março de 2021. 

O Estadão antecipou, na manhã desta quarta-feira,que o Enem seria realizado em janeiro. O mês foi defendido por secretários de educação e universidades em reuniões com o governo. 

Em coletiva de imprensa na tarde desta quarta-feira, o presidente do Inep, Alexandre Lopes, disse estar “tranquilo para executar o Enem em janeiro”. 

A prova, inicialmente prevista para novembro deste ano, foi adiada por causa da pandemia do coronavírus. Escolas de todo o país tiveram atividades presenciais suspensas para evitar a propagação do vírus. 

Mais de 5,8 milhões de estudantes estão inscritos nessa edição do Enem. Em enquete realizada a pedido do ex-ministro Abraham Weintraub, a maior parte dos estudantes (49,7%) votou para que o Enem fosse apenas em maio do ano que vem. Outros 35,3% optaram por janeiro. Fonte: Correio24horas

Continue Reading

Educação

Inscrições para o Sisu começam nesta terça-feira


As inscrições para a edição 2020 do segundo semestre do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) começam amanhã (7). Estudantes interessados em concorrer a vagas em instituições públicas de ensino superior devem acessar o site do programa até esta sexta-feira (10). 

Pela primeira vez, além dos cursos de graduação presenciais, o Sisu vai ofertar vagas na modalidade a distância (EaD). Podem participar da seleção candidatos que prestaram as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2019 e não tiraram nota zero na redação. Quem fez a prova na condição de treineiro está fora do processo.

A classificação é de acordo com o desempenho obtido nas provas. Para determinados cursos, algumas instituições exigem nota mínima para ingresso. As informações estão nos editais elaborados por cada universidade na adesão ao programa.

Segundo cronograma divulgado pelo Ministério da Educação (MEC), o resultado do Sisu será divulgado no dia 14 de julho. Quem não for aprovado em nenhuma opção de curso ainda poderá se inscrever na lista de espera. A solicitação também é feita pelo site do programa entre os dias 14 e 21 de julho. (Metro1)

Continue Reading