Connect with us

Bahia

Recrutamento de voluntários para teste da vacina da Covid-19 em Salvador começa nesta sexta-feira


A vacina para prevenir a Covid-19 desenvolvida em Oxford, na Inglaterra, será testada em Salvador, e o recrutamento de voluntários começa nesta sexta-feira (10). As aplicações irão avaliar a eficácia e segurança da vacina contra o coronavírus.

O processo que começa nesta sexta envolve o recrutamento e seleção dos voluntários para a vacina. Os pré-requisitos são: ter idades entre 18 e 55 anos – podem se candidatar profissionais da saúde ou pessoas que tenham alta exposição ao vírus, ou pessoas não tenham contraído a Covid-19.

O recrutamento é feito via internet, no site do Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino. Lá, o candidato fará um cadastro e, caso as respostas estejam dentro dos critérios exigidos, ele será convidado a participar do estudo, que começou no dia 20 de junho, na cidade de São Paulo.

Em Salvador, a seleção e o acompanhamento dos voluntários será no Hospital São Rafael. Os candidatos serão acompanhados por profissionais. De acordo com o Instituto D’Or, que viabiliza a ação, o estudo é “simples-cego” e randomizado, ou seja, os voluntários não sabem se receberão a vacina de Oxford ou a vacina controle.

O estudo tem aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep). Além de Salvador e de São Paulo, a cidade do Rio de Janeiro também participa do estudo no país. Com isso, o Brasil deve ter cinco mil voluntários para o teste da vacina do coronavírus.

Vacina de Oxford
O processo de desenvolvimento da vacina foi acelerado pelo uso da tecnologia, que já vem sendo testada há alguns anos pela Universidade de Oxford em estudos de outras vacinas candidatas para diferentes agentes infecciosos, como Ebola e MERS.

De acordo com o Instituto D’Or de Pesquisa e Ensin, estima-se que já tenham sido administradas mais de 9 mil doses de vacinas candidatas contra diferentes vírus, com boas respostas imunológicas utilizando esta plataforma. (G1/BA)

Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bahia

TSE forma maioria e cassa mandato do deputado estadual Marcell Moraes


O Tribunal Superior Eleitoral decidiu pela cassação do deputado estadual Marcell Moraes (PSDB), nesta terça-feira (27). Ele foi acusado de abuso de poder econômico nas eleições de 2018 e terá a cassação do diploma, que culmina na perda do mandato e ficará inelegível por 8 anos, contados a partir de 2018. 

No processo, o deputado estadual é acusado de realizar em 2018, no período pré-eleitoral, campanhas de vacinação e castração de cães e gatos, a preços baixos ou gratuitamente, em vários municípios baianos. A partir disto, o então candidato à reeleição para a AL-BA realizava a maciça exposição de sua imagem, atrelada aos serviços prestados.

“O grande estado da Bahia teve seu mapa esquadrinhado por campanhas de vacinação e castração. Fazia em áreas públicas com enorme divulgação, a procedimento veterinários por preços módicos. Em um ano  eleitoral, eleitores da Bahia tiveram acesso gratuito a serviços caros, sempre com a imagem do deputado e nome do deputado estadual. É patente o caráter do abuso e da desigualdade. Distribuir uma benesse que custa R$ 1 mil reais por R$ 53 reais”, pontuou o vice-procurador Geral da República, Humberto Jacques, representando o Ministério Público Eleitoral. 

A defesa de Marcell pontuou que o mero exercício filantrópico, antes até do período de campanha não geram abuso de poder. “Em nenhum os serviços foram gratuitos. Não há provas cabais que os eventos eram financiados pelo recorrido. Se baseia no depoimento de uma única testemunha. Não houve gravidade para desequilibrar o pleito eleitoral”, pontuou o advogado.

Votaram a favor do recurso e pela cassação os ministros Sérgio Banhos, Edson Fachin, Alexandre de Moraes, Luis Felipe Salomão, Mauro Campbell e Tarcísio Vieira. Ainda falta votar o presidente da Corte Luis Roberto Barroso.

OTSE julgou o recurso do Ministério Público Eleitoral (MPE) contra decisão do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) que absolveu Marcell em ação de investigação judicial eleitoral por abuso de poder econômico. 

DEPUTADOS NA BERLINDA

Em 2020 já foram cassados 3 deputados estaduais. Além de Marcell, Targino Machado (DEM), também foi cassado pelo TSE. Além deles, Pastor Tom também foi alvo de cassação, por não preencher a ficha de filiação partidária no momento de registrar a candidatura e também por não comunicar oficialmente à Justiça Eleitoral que tinha outro mandato, à época, como vereador em Feira de Santana. (BN)

Continue Reading

Bahia

Assinatura do contrato da ponte Salvador – Itaparica ocorre em 12 de novembro


Os presidentes das duas empresas chinesas que vão ser reponsáveis pela obra da ponte que vai ligar Salvador a Ilha de Itaparica desembarcam no estado em 12 de novembro para a assinatura do contrado da obra. A informação foi divulgada pelo governador Rui Costa (PT) e o secretário da Infraestrutura, Marcus Cavalcanti, durante transmissão do Papo Correria nesta terça-feira (20). 

Uma solenidade vai ser realizada com a presença de Rui Costa, representantes do governo estadual, e os presidentes das empresas vencedoras.

A assinatura foi atrasada pela pandemia da Covid-19, ressaltou o governador, ao comemorar que finalmente vai ocorrer. 

Rui comentou que não será governador do estado quando a obra for finalizada, mas destacou que “pretende deixar os pilares”. (BahiaNotícias)

Continue Reading

Bahia

Criança recebe primeiro transplante de medula óssea pelo SUS na Bahia


O último ano foi certamente o mais complicado da curta vida de Isabela Cerqueira, 4 anos. Diagnosticada com neuroblastoma, um tipo de câncer raro que estava no nível 4, o mais avançado da doença, ela precisava de um transplante de medula óssea para buscar sua cura. Veio a primeira barreira: nenhum hospital público da Bahia realizava o procedimento em crianças com idade inferior a 14 anos.

Com uma grande mobilização de profissionais, a menina, ainda tão nova, entrou para a história e se tornou a primeira paciente que passou pelo procedimento através do Sistema Único de Saúde (SUS) em território baiano e, agora, vê suas chances de sobreviver decolarem. O procedimento foi feito no Hospital Martagão Gesteira, que também se tornou a primeira unidade pública do estado a fazer o transplante em uma criança tão nova.

Após a cirurgia, a pequena foi encaminhada para uma casa de apoio, onde foi monitorada pela equipe médica da instituição. Nesta terça-feira (27), mais uma vitória: ela teve alta e reagiu bem a todo processo.

A alta é considerada pela equipe médica do Martagão e pelas autoridades de saúde pública como um momento histórico para o atendimento pediátrico pelo SUS no estado. Para a família de Isabela, a data ficará marcada como o dia do milagre da vida da menina.

Em êxtase, o pai de Isabela, o lavrador Rubem Cerqueira, 57, ficou emocionado ao falar da filha. “É difícil ter palavras, viu. Hoje é o começo de uma vida com mais qualidade para a minha filha. Estou feliz de uma forma que não sei se consigo explicar, não cabe no peito tanta alegria que sentimos agora. A doença dela foi um baque para nós, mas, com a ajuda que recebemos do hospital, tudo isso passou. Daqui pra frente, só esperamos melhora”, afirmou Rubem, que é lavrador em Licurituba, comunidade rural próxima à Serrinha.

Sem condições financeiras para pagar um transplante para a filha na rede privada, através de planos de saúde, ele também fez um agradecimentos aos médicos. “É impossível pensar em uma situação em que a gente pudesse custear esse transplante pra ela. Não temos condições para isso por conta da minha renda que é apenas de um salário mínimo. Por isso, seremos eternamente gratos aos responsáveis por cuidar da minha filha dessa forma”, concluiu.

O acontecimento traz também esperança para quem trava batalhas semelhantes à de Isabela. Isso porque o Martagão anunciou hoje que passará a disponibilizar o serviço para toda a população baiana.

O encaminhamento de pacientes será feito através do serviço social da cidade do paciente. A unidade enviará os relatórios dos pacientes, que passarão por consulta com a equipe médica do hospital para verificar se há ou não indicação para o transplante. Havendo necessidade do procedimento, a pessoa entrará na fila que será organizada pelo grau de gravidade e complexidade da patologia apresentada. 

Para quem mais precisa
Assim como Isabela, existem centenas de pacientes de baixa renda que não podem arcar com os custos de um transplante de forma particular. Segundo dados do Martagão, atualmente mais de 100 crianças aguardam para passar pelo procedimento na rede pública de saúde no estado. E é justamente para essas pessoas que as atividades do local serão destinadas. Hoje, cerca de 50% das crianças atendidas no Martagão são de famílias com renda equivalente a um salário mínimo ou menos.

As notícias para essas pessoas são boas. Segundo Natália Borges, oncopediatra do Martagão, especialista em transplante de medula óssea, o serviço está oficialmente em funcionamento.

Inicialmente, o hospital realizará o procedimento em dois pacientes por mês, número que pode ser ampliado. “Atualmente, temos dois leitos, então a nossa capacidade, hoje, é de realizar dois transplantes por mês, mas isso pode aumentar dependendo da demanda apresentada e do crescimento da equipe destinada para transplante e do aparato técnico que temos à disposição”, explicou.

A oncopediatra também falou sobre a existência de critérios de prioridade para o atendimento dos pacientes. Em resumo, crianças com doenças mais graves terão acesso ao serviço antes. “Há uma avaliação de prioridade na organização da fila para transplante. Existem algumas patologias que a gente precisa antecipar como, por exemplo, os linfomas. Eles precisam passar na frente porque são patologias que precisam de um tempo mais curto para coincidir com a etapa certa de quimioterapia. Há uma organização feita a partir dos envios dos relatórios e da gravidade e complexidade da patologia”, afirmou.

No momento, não existe uma fila para o transplante no Martagão, mas sim pacientes que têm indicação para o procedimento. O que há é uma demanda interna, já listada, de 10 pacientes que têm indicação da necessidade do transplante.

Quem já tiver o diagnóstico e a indicação de passar pelo transplante, precisa procurar o serviço social da cidade para fazer o envio dos relatórios do estado de saúde da criança ao Martagão, que serão analisados pela equipe responsável da instituição.

“A fila de transplante vai ser organizada através de um e-mail onde vamos receber esses relatórios e fazer consultas para verificar a necessidade do transplante do paciente”, informa. Para encaminhar os relatórios, os interessados precisam procurar o serviço social e solicitar o encaminhamento dos detalhes para [email protected]

Leia a matéria original em Correio

Continue Reading

Siga-nos no Instagram:

Facebook