Connect with us

Economia

Veja como pode ser o benefício Renda Brasil


Veja como pode ser o benefício Renda Brasil. O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o governo criará um novo programa social, Renda Brasil, que, além do público atual do Bolsa Família, também incluirá trabalhadores que hoje exercem atividades informais.

Em evento virtual promovido pela Associação Brasileira de Indústria de Base (Abdib), o ministro disse querer “dignificar” essas atividades e que é preciso dar ferramentas para os trabalhadores saírem da assistência social.

“Qualquer brasileiro que cair, em qualquer momento, ele cai no Renda Brasil. Mas se ele não tiver mutilações físicas, defeitos que o impeçam… Às vezes é um idoso, mutilado, que vende bala no sinal, aí talvez não consiga ser empregado e merece ser amparado no Renda Brasil. Mas o outro, mais jovem, pode ter caído emergencialmente. Temos que ter as ferramentas para ele sair da assistência social”, disse.

O ministro afirmou que o Renda Brasil reunirá programas sociais existentes e terá valor mais alto do que o Bolsa Família.

JUSTIÇA DEPOSITA R$ 2,7 BILHÕES EM PRECATÓRIOS DO INSS

Justiça deposita R$ 2,7 bilhões em precatórios do INSS. O TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) concluiu na quarta-feira (1º) os depósitos judiciais de R$ 4,6 bilhões em precatórios do governo federal para credores dos estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul. Os recursos estão, portanto, disponíveis para saque.

Desse total, cerca de R$ 2,7 bilhões foram destinados a quase 26 mil beneficiários que ganharam ações de concessão ou de revisão de benefícios previdenciários pagos pelo INSS.

Precatório é o nome dado à ordem judicial para pagamento da dívida da União com valor acima de 60 salários mínimos. Se o pagamento foi autorizado pela Justiça em 2018, o mínimo é de R$ 57.240. Para autorizações em 2019, o mínimo é de R$ 59.880.

Os precatórios da União são pagos em um único lote anual. Em 2020, o pagamento é feito para credores cujos títulos de dívida foram emitidos entre 2 de julho de 2018 e 1º de julho de 2019.

Caso a dívida judicial federal esteja abaixo de 60 salários mínimos, ela é paga após a emissão de uma RPV (Requisição de Pequeno Valor).
Embora o governo tenha até dezembro para quitar seus precatórios, o pagamento é tradicionalmente antecipado para março ou abril. Neste ano, porém, o aumento de gastos gerados pela pandemia do novo coronavírus resultou no adiamento dos repasses.

Os depósitos de precatórios e RPVs ocorrem em contas judiciais abertas no Banco do Brasil e na Caixa Econômica Federal.

Devido à pandemia, quem não tem advogado pode solicitar a transferência, desde que indique conta bancária de sua titularidade, pelo SAO (Serviço de Atermação Online) disponível na página dos JEFs (http://jef.trf3.jus.br/) na opção “parte sem advogado”. (MixVale)

Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Custo da pandemia chega a R$ 700 bilhões no Brasil, diz jornal

Foto; Marcello Casal Jr/Agência Brasil

A pandemia do novo coronavírus vai custar ao Brasil pelo menos R$ 700 bilhões apenas em 2020. Segundo um levantamento feito pelo jornal Estadão, o valor equivale a 10% do Produto Interno Bruto (PIB) do país e a R$ 3,3 mil para cada brasileiro. Os dados foram coletados com base em estimativas do governo e dos bancos.

Ainda conforme a publicação, o “orçamento de guerra” aprovado pela Câmara de Deputados daria para pagar o Bolsa Família por 21 anos, já levando em consideração o aumento de beneficiários. O valor representa quase seis vezes o déficit esperado para este ano, que era de R$ 124,1 bilhões antes da pandemia. (VN)

Continue Reading

Economia

Veja quem recebe o auxílio emergencial nesta semana


Caixa Econômica Federal (CEF) retoma o pagamento do auxílio emergencial do governo federal na quarta-feira (12). No dia, recebem a ajuda de R$ 600 na poupança digital todos os cadastrados via site/aplicativo e inscritos no CadÚnico, nascidos em julho. Cada beneficiário receberá a parcela correspondente a data em que foi aprovado, ou seja, basta ficar ligado em quantas parcelas você já recebeu para entender qual será a próxima.

Na quinta (13), os aprovados nascidos em maio, que tiveram acesso ao dinheiro através de suas contas digitais em 5 de agosto, poderão sacar a quantia e realizar transferências, e na sexta-feira (14), nascidos em agosto recebem o dinheiro na poupança digital.

Primeiro ciclo

Com a mudança no pagamento do benefício, ele passou a ser dividido em quatro ciclos. A primeira etapa do Ciclo 1, que é o atual, é de 22 de julho e 26 de agosto, quando os beneficiários recebem o crédito em conta. Já a segunda etapa do mesmo ciclo é entre os dias 25 de julho e 17 de setembro, quando há a liberação para saques e transferências.

O beneficiário receberá a 1ª, 2ª, 3ª ou 4ª parcela, conforme a data em que teve o cadastro aprovado. Nesta quarta (12), poe exemplo, todos os aprovados nascidos em julho recebem a quantia na poupança digital e terão liberdade para sacar o dinheiro e realizar transferências a partir de 22 de agosto.

Confira o calendário completo deste primeiro ciclo

Beneficiários que receberam a primeira parcela em abril, receberão a quarta parcela; os que receberam a primeira parcela em maio, receberão a terceira parcela; os que receberam a primeira parcela de 1º de junho a 4 de julho receberão a segunda parcela. Já os cadastrados entre 17 de junho e 2 de julho receberão a primeira parcela, assim como os trabalhadores aprovados no último lote, que são os que tiveram o benefício inicialmente negado, mas recorreram entre os dias 24 de abril e 19 de julho, e foram considerados elegíveis. 

Nascidos em janeiro: depósito em 22/07 e saque em 25/07
Nascidos em fevereiro: depósito em 24/07 e saque em 1/08
Nascidos em março: depósito em 29/07 e saque em 1/08
Nascidos em abril: depósito em 31/07 e saque em 8/08
Nascidos em maio: depósito em 5/08 e saque em 13/08
Nascidos em junho: depósito em 07/08 e saque em 22/08
Nascidos em julho: depósito em 12/08 e saque em 27/08
Nascidos em agosto: depósito em 14/08 e saque em 1/9
Nascidos em setembro: depósito em 17/08 e saque em 05/09
Nascidos em outubro: depósito em 19/08 e saque em 12/09
Nascidos em novembro: depósito em 21/08 e saque em 12/09
Nascidos em dezembro: depósito em 26/08 e saque em 17/09. Fonte: UOL.

Continue Reading

Economia

Governo estuda manter auxílio emergencial com valor menor até março


A ala política do governo estuda prorrogar o pagamento do auxílio emergencial até março de 2021, segundo reportagem do portal UOL. De acordo com a publicação, a ideia é que o benefício, atualmente em R$ 600, seja reduzido para um valor entre R$ 200 e R$ 300. A medida, entretanto, é vista com ressalvas pelo Ministério da Economia e precisa ser votada pelo Congresso.

O pagamento do auxílio emergencial está garantido até agosto, e o governo avalia eventuais consequências políticas na popularidade do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) caso ele seja extinto, sem uma alternativa viável. Sem a clareza sobre a duração da pandemia, estudos para definir a extensão do auxílio já estão em curso.

Ainda segundo o po UOL, a extensão do auxílio emergencial seria uma forma de compensar um atraso no Renda Brasil, o grande programa social do governo Bolsonaro. O governo não deve concluir tão rapidamente quanto gostaria os projetos e adequações de sistemas para criar o Renda Brasil, que deve unificar o Bolsa-Família, o abono salarial, o salário-família e o seguro defeso. A ideia é criar uma marca social para Bolsonaro porque o Bolsa-Família é uma herança do PT.

Continue Reading