Connect with us

Economia

Auxílio Emergencial: Caixa paga benefício a 5,7 milhões nesta sexta; veja quem recebe


A Caixa Econômica Federal (CEF) paga nesta sexta-feira (31) uma nova parcela do Auxílio Emergencial a 5,7 milhões de trabalhadores. Entre eles, estão trabalhadores do Bolsa Família, além dos que estão no Cadastro Único e os que se inscreveram no programa por meio do site ou do aplicativo.

Para o público do Bolsa Família, a quarta parcela do benefício começou a ser paga no último dia 20, e segue até esta sexta. Os pagamentos para esse grupo são feitos da mesma forma que o Bolsa.

Para os demais, a ajuda de R$ 600 será creditada em conta poupança social digital da Caixa, que poderá ser usada inicialmente para pagamento de contas e compras por meio do cartão virtual. Saques e transferências para quem receber o crédito nesta sexta serão liberados a partir de 1º de agosto (veja nos calendários mais abaixo).

VEJA QUEM RECEBE NESTA SEXTA-FEIRA:

  • 1,9 milhão de beneficiários do Bolsa Família, com número NIS final 10, recebem a quarta parcela
  • 3,8 milhões de trabalhadores do Cadastro Único e inscritos via site e app, nascidos em abril, recebem a próxima parcela:
    – aprovados no primeiro lote recebem a quarta parcela;
    – aprovados no segundo lote recebem a terceira parcela;
    – aprovados no terceiro e quarto lotes recebem a segunda; e
    – novos aprovados vão receber o primeiro pagamento

Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial ou pelo site auxilio.caixa.gov.br.

Calendários de pagamento

Veja abaixo os calendários de pagamento da parcela atual.

BENEFICIÁRIOS DO BOLSA FAMÍLIA

Bolsa Família, Parcela 4 — Foto: Economia G1

BENEFICIÁRIOS FORA DO BOLSA FAMÍLIA

Lote 1, Parcela 4 — Foto: Economia G1
Lote 2, Parcela 3 — Foto: Economia G1
Lotes 3 e 4, Parcela 2 — Foto: Economia G1
Lote 5, Parcela 1 — Foto: Economia G1

Fonte: G1.

Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Custo da pandemia chega a R$ 700 bilhões no Brasil, diz jornal

Foto; Marcello Casal Jr/Agência Brasil

A pandemia do novo coronavírus vai custar ao Brasil pelo menos R$ 700 bilhões apenas em 2020. Segundo um levantamento feito pelo jornal Estadão, o valor equivale a 10% do Produto Interno Bruto (PIB) do país e a R$ 3,3 mil para cada brasileiro. Os dados foram coletados com base em estimativas do governo e dos bancos.

Ainda conforme a publicação, o “orçamento de guerra” aprovado pela Câmara de Deputados daria para pagar o Bolsa Família por 21 anos, já levando em consideração o aumento de beneficiários. O valor representa quase seis vezes o déficit esperado para este ano, que era de R$ 124,1 bilhões antes da pandemia. (VN)

Continue Reading

Economia

Veja quem recebe o auxílio emergencial nesta semana


Caixa Econômica Federal (CEF) retoma o pagamento do auxílio emergencial do governo federal na quarta-feira (12). No dia, recebem a ajuda de R$ 600 na poupança digital todos os cadastrados via site/aplicativo e inscritos no CadÚnico, nascidos em julho. Cada beneficiário receberá a parcela correspondente a data em que foi aprovado, ou seja, basta ficar ligado em quantas parcelas você já recebeu para entender qual será a próxima.

Na quinta (13), os aprovados nascidos em maio, que tiveram acesso ao dinheiro através de suas contas digitais em 5 de agosto, poderão sacar a quantia e realizar transferências, e na sexta-feira (14), nascidos em agosto recebem o dinheiro na poupança digital.

Primeiro ciclo

Com a mudança no pagamento do benefício, ele passou a ser dividido em quatro ciclos. A primeira etapa do Ciclo 1, que é o atual, é de 22 de julho e 26 de agosto, quando os beneficiários recebem o crédito em conta. Já a segunda etapa do mesmo ciclo é entre os dias 25 de julho e 17 de setembro, quando há a liberação para saques e transferências.

O beneficiário receberá a 1ª, 2ª, 3ª ou 4ª parcela, conforme a data em que teve o cadastro aprovado. Nesta quarta (12), poe exemplo, todos os aprovados nascidos em julho recebem a quantia na poupança digital e terão liberdade para sacar o dinheiro e realizar transferências a partir de 22 de agosto.

Confira o calendário completo deste primeiro ciclo

Beneficiários que receberam a primeira parcela em abril, receberão a quarta parcela; os que receberam a primeira parcela em maio, receberão a terceira parcela; os que receberam a primeira parcela de 1º de junho a 4 de julho receberão a segunda parcela. Já os cadastrados entre 17 de junho e 2 de julho receberão a primeira parcela, assim como os trabalhadores aprovados no último lote, que são os que tiveram o benefício inicialmente negado, mas recorreram entre os dias 24 de abril e 19 de julho, e foram considerados elegíveis. 

Nascidos em janeiro: depósito em 22/07 e saque em 25/07
Nascidos em fevereiro: depósito em 24/07 e saque em 1/08
Nascidos em março: depósito em 29/07 e saque em 1/08
Nascidos em abril: depósito em 31/07 e saque em 8/08
Nascidos em maio: depósito em 5/08 e saque em 13/08
Nascidos em junho: depósito em 07/08 e saque em 22/08
Nascidos em julho: depósito em 12/08 e saque em 27/08
Nascidos em agosto: depósito em 14/08 e saque em 1/9
Nascidos em setembro: depósito em 17/08 e saque em 05/09
Nascidos em outubro: depósito em 19/08 e saque em 12/09
Nascidos em novembro: depósito em 21/08 e saque em 12/09
Nascidos em dezembro: depósito em 26/08 e saque em 17/09. Fonte: UOL.

Continue Reading

Economia

Governo estuda manter auxílio emergencial com valor menor até março


A ala política do governo estuda prorrogar o pagamento do auxílio emergencial até março de 2021, segundo reportagem do portal UOL. De acordo com a publicação, a ideia é que o benefício, atualmente em R$ 600, seja reduzido para um valor entre R$ 200 e R$ 300. A medida, entretanto, é vista com ressalvas pelo Ministério da Economia e precisa ser votada pelo Congresso.

O pagamento do auxílio emergencial está garantido até agosto, e o governo avalia eventuais consequências políticas na popularidade do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) caso ele seja extinto, sem uma alternativa viável. Sem a clareza sobre a duração da pandemia, estudos para definir a extensão do auxílio já estão em curso.

Ainda segundo o po UOL, a extensão do auxílio emergencial seria uma forma de compensar um atraso no Renda Brasil, o grande programa social do governo Bolsonaro. O governo não deve concluir tão rapidamente quanto gostaria os projetos e adequações de sistemas para criar o Renda Brasil, que deve unificar o Bolsa-Família, o abono salarial, o salário-família e o seguro defeso. A ideia é criar uma marca social para Bolsonaro porque o Bolsa-Família é uma herança do PT.

Continue Reading