Connect with us

Economia

Caixa libera saque de novas parcelas do Auxílio Emergencial e FGTS neste sábado


A Caixa Econômica Federal (CEF) libera hoje (8) saques e transferências de novas parcelas do Auxílio Emergencial e do saque emergencial de até R$ 1.045 do FGTS.

As novas parcelas referentes ao Auxílio Emergencial são destinadas aos beneficiários do programa nascidos em abril e que estão nos lotes 1 a 5. Saques e transferências também serão liberados para os nascidos entre janeiro e abril, que estão entre os que tiveram o pedido liberado no último dia 3.

Trabalhadores nascidos em fevereiro, que tiveram o depósito de até R$ 1.045 do FGTS feito em poupança social digital do banco no último dia 6 de julho, também terão saques e transferências liberados.

Para fazer o pagamento desses valores, 770 agências estarão abertas das 8h às 12h neste sábado. (Metro1)

Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Auxílio Emergencial: Caixa paga nova parcela a 5,6 milhões de trabalhadores


A Caixa Econômica Federal (CEF) paga nesta sexta-feira (18) mais uma parcela do Auxílio Emergencial a 5,6 milhões de trabalhadores. Neste grupo, estão 1,6 milhão de trabalhadores que fazem parte do Bolsa Família, e 4 milhões de trabalhadores, que fazem parte do Cadastro Único e aqueles inscritos por meio de aplicativo, site ou pelos Correios.

Para o público do Bolsa Família, a parcela paga já é a primeira referente ao Auxílio Emergencial Residual, de R$ 300. Os pagamentos para esse grupo são feitos da mesma forma que o Bolsa.

Para os demais, seguem os pagamentos de R$ 600, e a ajuda será creditada em conta poupança social digital da Caixa, que poderá ser usada inicialmente para pagamento de contas e compras por meio do cartão virtual. Saques e transferências para quem receber o crédito nesta sexta serão liberados a partir de 8 de outubro (veja nos calendários mais abaixo).

VEJA QUEM RECEBE NESTA SEXTA-FEIRA:

  • 1,6 milhão de trabalhadores do Bolsa Família aprovados no programa, cujo número do NIS termina em 2
  • 4 milhões de trabalhadores do Cadastro Único e inscritos via site e app, nascidos em julho, recebem a próxima parcela:
    – aprovados no primeiro lote recebem a quinta parcela;
    – aprovados no segundo lote recebem a quarta parcela;
    – aprovados no terceiro e quarto lotes recebem a terceira;
    – aprovados no quinto e sexto lotes recebem a segunda;
    – aprovados no sétimo lote recebem a primeira parcela;
    – aprovados no primeiro lote, mas que tiveram o benefício suspenso, recebem a quinta parcela;
    – aprovados em outros lotes, que receberam a primeira parcela em meses anteriores mas tiveram o pagamento reavaliado em agosto, recebem todas as parcelas restantes, até a quinta.

Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial ou pelo site auxilio.caixa.gov.br.

Fonte:G1.

Continue Reading

Economia

MEC alerta que corte de verbas ameaça parar 29 instituições federais

Foto : Isac Nóbrega/PR

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirmou ao Ministério da Economia que pode ter que parar aulas em 29 institutos federais por causa de um corte de R$ 1,57 bilhão no orçamento da pasta deste ano. A paralisação afetaria 175 mil alunos.

O alerta de Ribeiro está registrado em ofícios obtidos pelo Estadão. O ministro atribuiu o pedido de bloqueio dos recursos à Secretaria de Governo, comandada por Luiz Eduardo Ramos, articulador político do Palácio do Planalto. 

A tesourada, ainda em discussão no governo, também afetaria programas que são bandeiras da gestão de Jair Bolsonaro, como a implementação de escolas cívico-militares e a alfabetização infantil. (Metro1)

Continue Reading

Economia

Guedes: “Preço do arroz subiu porque condição de vida dos pobres melhorou”


O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta terça-feira (15/9) que o preço do arroz registrou forte alta em meio à crise do novo coronavírus porque a condição de vida dos mais pobre está melhorando. No ano, a inflação do arroz acumula alta de 19,2%.

Guedes destacou que houve uma “enxurrada de dinheiro” paga a famílias de baixa renda durante a pandemia, como o auxílio emergencial de R$ 600 e o saque emergencial do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

“A pauta de consumo dos mais vulneráveis e dos mais frágeis é justamente a alimentação e a construção da casa própria. Então está havendo um boom da construção na baixa renda e nos supermercados”, disse, em videoconferência com a Telecomunicações do Brasil.

“Os mais pobres estão comprando, estão indo no supermercado, estão comprando material de construção. Então, na verdade, isso é um sinal de que eles estão melhorando a condição de vida”, afirmou Guedes.

“O preço do arroz está subindo porque eles estão comprando mais – está todo mundo comprando mais. Além disso, tem as exportações e subiu o dólar também”, contemporizou o ministro da Economia, na live.

Ele disse também que está vindo uma “supersafra” de arroz a partir de janeiro e que a alta de preço é temporária, um problema transitório. “Isso reflete um aquecimento de demanda e ali na frente se dissolve”, ressaltou.

*Metropoles

Continue Reading

Siga-nos no Instagram:

Facebook