Connect with us

Brasil

Caixa paga hoje abono salarial para nascidos em setembro


A Caixa Econômica Federal inicia nesta terça-feira (15) o pagamento do abono salarial para os trabalhadores nascidos em setembro que ainda não receberam por meio de crédito em conta. Para trabalhadores da iniciativa privada, os valores podem ser sacados com o Cartão do Cidadão e senha nos terminais de autoatendimento, unidades lotéricas e nos correspondentes Caixa Aqui, além das agências.

Segundo o banco estatal, mais de 734 mil trabalhadores nascidos em setembro têm direito ao saque do benefício, totalizando R$ 567 milhões em recursos disponibilizados neste lote.

Já para os funcionários públicos, vale o dígito final do número de inscrição do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep). A partir desta terça-feira, fica disponível o crédito para inscritos com final 2.

Os trabalhadores que nasceram entre julho e dezembro recebem o abono salarial do PIS ainda neste ano. Os nascidos entre janeiro e junho terão o recurso disponível para saque em 2021.

Os servidores públicos com o final de inscrição do Pasep entre 0 e 4 também recebem em 2020. Já as inscrições com final entre 5 e 9, recebem no ano que vem. O fechamento do calendário de pagamento do exercício 2020/2021 será no dia 30 de junho de 2021.

Quem tem direito

Tem direito ao abono salarial 2020/2021 o trabalhador inscrito no Programa de Integração Social (PIS) há pelo menos cinco anos e que tenha trabalhado formalmente por pelo menos 30 dias em 2019, com remuneração mensal média de até dois salários mínimos. Também é necessário que os dados tenham sido informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) ou eSocial, conforme categoria da empresa.

Recebem o benefício pela Caixa os trabalhadores vinculados a entidades e empresas privadas. Em todo o calendário 2020/2021, a Caixa deve disponibilizar R$ 15,8 bilhões para 20,5 milhões de trabalhadores. 

As pessoas que trabalham no setor público tem inscrição no Pasep e recebem o benefício pelo Banco do Brasil (BB). Neste caso, o beneficiário pode optar por realizar transferência (TED) para conta de mesma titularidade em outras instituições financeiras nos terminais de autoatendimento do BB ou no portal do banco, ou ainda efetuar o saque nos caixas das agências. 

Para o exercício atual, o BB identificou abono salarial para 2,7 milhões trabalhadores vinculados ao Pasep, totalizando R$ 2,57 bilhões. Desse total, aproximadamente 1,2 milhão são correntistas ou poupadores do BB e aqueles com final de inscrição de 0 a 4 receberam seus créditos em conta antecipadamente no dia 30 de junho, no montante de R$ 580 milhões, segundo a instituição financeira.

Abono Salarial anterior

Cerca de dois milhões de trabalhadores que não realizaram o saque do abono salarial do calendário anterior (2019/2020), finalizado em 29 de maio deste ano, ainda podem sacar os valores. O prazo vai até 30 de junho de 2021. O saque pode ser realizado nos canais de atendimento com Cartão e Senha Cidadão, ou nas agências da Caixa.

A consulta do direito ao benefício, bem como do valor disponibilizado, pode ser realizada por meio do aplicativo Caixa Trabalhador, pelo atendimento Caixa ao Cidadão (0800 726 0207) e no site do banco.

No caso do Pasep, cerca de 360 mil trabalhadores não sacaram o abono referente ao exercício 2019/2020, pago até 29 de maio de 2020. De acordo com a Resolução do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat), esses recursos ficam disponíveis para saque por cinco anos, contados do encerramento do exercício. Os abonos não sacados são disponibilizados automaticamente para o próximo exercício, sem necessidade de solicitação do trabalhador. (Agência Brasil)

Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Brasil ultrapassa marca de 136 mil mortes por coronavírus


O Brasil contabiliza 136.035 mortes e 4.503.002 casos de coronavírus confirmados até as 13h deste sábado (19). A informação foi divulgada pelo consórcio de veículos de imprensa formado por G1, O Globo, Extra, O Estado de S.Paulo, Folha de S.Paulo e UOL. Bahia, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Roraima divulgaram novos dados desde o último balanço consolidado, divulgado às 20h de sexta-feira (18).

Até então, o país registrava 826 mortes pela Covid-19 confirmadas em 24 horas, chegando ao total de 135.857 óbitos desde o começo da pandemia. Com isso, a média móvel de novas mortes no Brasil em 7 dias até a noite de sexta foi de 769 óbitos, uma variação de -6% em relação aos dados registrados em 14 dias.

Segundo o levantamento, este é o atual panorama de casos:

– Subindo (2 estados): RJ e PE.
– Em estabilidade, ou seja, o número de mortes não caiu nem subiu significativamente (12): PR, RS, MG, SP, GO, MS, RO, AP, PA, BA, MA e PI.
– Em queda (12 estados e o DF): SC, ES, DF, MT, AC, AM, RR, TO, AL, CE, PB, RN e SE. Fonte: Metro1

Continue Reading

Brasil

Desemprego na pandemia bate recorde e atinge 13,7 milhões, aponta IBGE

Foto : Divulgação

A taxa de desemprego no Brasil subiu de 13,2% na terceira semana de agosto para 14,3% na quarta semana do mês, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Covid (Pnad Covid-19) divulgados hoje (18) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Esse foi o resultado mais alto da série histórica da pesquisa, iniciada em maio.
    
Em uma semana,  o estimado é que 1,1 milhão a mais de pessoas saiu a procura de trabalho no país, o que totaliza o número de 13,7 milhões de desempregados. O total de ocupados também apresentou decréscimo, cerca de 500 mil pessoas a menos em relação à terceira semana de agosto. 

Ainda segundo dados da pesquisa, a Bahia está entre os estados com maior taxa de desocupação (15,9%). Os outros estados são Alagoas, Rio Grande do Norte, Maranhão, Amazonas e Roraima, todos com taxas de desemprego entre 14,7% e 17%. (Metro1)

Continue Reading

Brasil

Brasil terá maior fábrica de vacinas da América Latina

Foto : Itamar Crispim/Fiocruz

A Fundação Oswaldo Cruz e a Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado do Rio de Janeiro (Codin) assinaram ontem (17) acordo para instalação da maior fábrica de vacinas da América Latina. As informações são da Agência Brasil.

As vacinas contra meningite, hepatite e tríplice bacteriana, que atualmente são importadas, vão passar a sair do polo. O acordo prevê a construção de nove prédios e a inauguração está prevista para 2023 e deverá gerar 5 mil empregos diretos.

O complexo será responsável por toda produção de vacinas da Fiocruz, inclusive a de covid-19, quando for aprovada. (Metro1)

Continue Reading

Siga-nos no Instagram:

Facebook