Connect with us

Bahia

Detran-BA reforça que motoristas podem dirigir com CNH vencida sem risco de punições

Devido a demanda de pedidos para renovação da carteira de habilitação (CNH), o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-BA) reforçou ontem (16) que condutores com documento vencido desde 19 de fevereiro podem continuar dirigindo, por tempo indeterminado, sem o risco de multa ou remoção do veículo.

A renovação da CNH tem sido o serviço mais procurado no Detran-BA, por meio de agendamento no SAC Digital, representando cerca de 40% das solicitações. A regra da validade da carteira, entretanto, foi flexibilizada por causa da pandemia da Covid-19. 

“Entendemos que muitos motoristas possam ficar com receio de rodar com a CNH fora da validade, mas não existe motivo para se preocupar. A resolução do Contran é a garantia que eles não precisam trocar a carteira, a não ser nos casos de quem pretende incluir atividade remunerada ou está com CNH que venceu antes de 19 de fevereiro”, ressalta o diretor-geral do Detran-BA, Rodrigo Pimentel. Fonte: Metro1

Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bahia

Rui Costa diz que Consórcio Nordeste deve se reunir para discutir desistência da compra da vacina russa contra Covid-19

Foto: Reprodução/Facebook/Embaixada da Rússia no Brasil

O governador da Bahia, Rui Costa, disse na noite desta terça-feira (3), que o Consórcio Nordeste deve se reunir nesta semana para discutir se vai continuar com a comprar das doses da Sputnik V, vacina russa contra a Covid-19. A informação foi divulgada durante o Papo Correria, programa em que o gestor responde perguntas nas redes sociais.

Rui Costa também afirmou que o Consórcio do Nordeste não fez o pagamento das vacinas, porque existe uma clausula que condiciona a remuneração com a entrega das doses, juntamente com a autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“Caso a Anvisa e o Ministério da Saúde continuarem colocando barreiras, não faz sentido comprar a Sputnik. Compramos no primeiro semestre”, disse Rui Costa.

“Faremos uma nova reunião essa semana. Conversei com o presidente do Consórcio Nordeste essa semana para tomar uma decisão, dada os sucessivos obstáculos da Anvisa e a própria declaração do ministro, afirmou o governador.

Sputnik V

O contrato fechado com o Consórcio Nordeste prevê 37 milhões de doses da vacina Sputnik V. Neste primeiro momento, a Anvisa autorizou a importação excepcional de doses da Sputnik V para seis estados do Nordeste e cada estado receberia uma quantidade suficiente para duas doses de 1% da população.

Conforme ocorrerem as autorizações, os outros estados do Nordeste, do Norte e de outras regiões, que celebraram contrato com o Fundo Soberano Russo, irão receber as doses da vacina, até completar a quantidade contratada.

Os seguintes estados fizeram pedidos à Anvisa para importação da Sputnik V:

  • Bahia – 300 mil doses;
  • Maranhão – 141 mil doses;
  • Sergipe – 46 mil doses;
  • Ceará – 183 mil doses;
  • Pernambuco – 192 mil doses;
  • Piauí – 66 mil doses;
  • Rio Grande do Norte – 71 mil doses;
  • Mato Grosso – 71 mil doses;
  • Rondônia – 36 mil doses;
  • Pará – 174 mil doses;
  • Amapá – 17 mil doses;
  • Paraíba – 81 mil doses;
  • Goiás – 142 mil doses;
  • Alagoas – 67 mil doses;
  • Amazonas – 84 mil doses;
  • Minas Gerais – 428 mil doses;

Vacina aprovada com restrições

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou no dia 4 de julho, com restrições, o pedido de importação excepcional das vacinas Sputnik V e Covaxin contra a Covid-19. A decisão vale apenas para lotes específicos de imunizantes trazidos de fora e não configura autorização de uso emergencial pela agência.

Em razão de “incertezas técnicas” presentes na documentação das vacinas Sputnik V e Covaxin, a Anvisa decidiu pela aprovação da importação, mas desde que sejam seguidos protocolos para uso controlado dos imunizantes.

Fonte: G1 Bahia

Continue Reading

Bahia

Ufba reforça medidas de segurança após episódios de assaltos e tiroteio

Foto: Marina Silva/Arquivo CORREIO

Um novo episódio de violência expôs a falta de segurança nos campi da Universidade Federal da Bahia (Ufba). Na sexta-feira (30), dois homens armados acessaram o campus de Ondina sob o pretexto de se dirigir a uma das agências bancárias, mas acabaram seguindo para a área do Instituto de Física. No local, assaltaram uma professora da universidade e seu auxiliar, tomando os celulares. 

O monitoramento eletrônico identificou a movimentação dos suspeitos e alertou a segurança, que enviou uma equipe para verificação. Ao realizar a abordagem, os vigilantes foram rendidos pelos assaltantes, que fugiram em seguida. Em nota, a Ufba informou que não houve feridos nem agressão às vítimas.

Esse foi mais um caso de violência nos últimos dias, e que acabaram motivando a instituição a reforçar a segurança, criando inclusive um novo posto de monitoramento (ver detalhes abaixo). 

Após a ocorrência de sexta, a professora foi acompanhada à 7ª delegacia (7ª DT/Rio Vermelho) para prestar queixa. A Coordenação de Segurança da universidade entregou à polícia as imagens das câmeras de vigilância, possibilitando a identificação dos autores, que ainda não foram capturados.

Procurada pelo CORREIO, a Polícia Civil informou que qualquer ocorrência dentro da Ufba deve ser atendida pela Polícia Federal. A assessoria da PF não foi localizada até a publicação desta reportagem. 

Violência em alta
O caso da última sexta-feira não foi isolado: aconteceu três dias após um tiroteio ocorrido no mesmo campus, em que um grupo fortemente armado entrou na universidade para fugir da polícia.

Os criminosos se deslocavam da comunidade do Calabar em direção ao campus de São Lázaro, na Federação, quando adentraram em um matagal da universidade. Eles acabaram rendendo três funcionários da manutenção e roubaram os uniformes da empresa, para se passarem pelos servidores. 

O alvoroço foi grande. Em pouco tempo, o local estava repleto de viaturas e homens da Polícia Militar pertencentes à Rondesp, da BPS Calabar, da 41ª CIPM Federação, do Pelotão de Emprego Tático Operacional (Peto) e do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope). Moradores da região puderam ouvir os disparos de metralhadoras e fuzis entre criminosos e policiais.

Um dos bandidos acabou ferido e foi encaminhado ao Hospital Geral do Estado (HGE), mas não resistiu aos ferimentos. Os outros quatro envolvidos conseguiram escapar. A polícia ainda investiga o caso.

Novas medidas de segurança
Pensando em conter a violência em suas dependências, a Ufba decidiu adotar, já a partir desta terça-feira (3), novas medidas de segurança. Entre elas está um novo posto de monitoramento, onde serão identificados os veículos que pretendam transitar na universidade, seja na área dos bancos, ou em direção às unidades estudantis em Ondina.

A universidade ainda disse lamentar “a proliferação descontrolada de armas de fogo, que muito contribui para a violência e a insegurança da população”, e afirmou que espera conter futuros episódios como os ocorridos na última semana.

Fonte: Correio

Continue Reading

Bahia

Vítima de agressões, chef comenta exoneração de ex-gestor: ‘O mundo mudou’

Foto: Reprodução/Correios

Ainda abalada depois da agressão que recebeu do ex-titular da Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), Fábio Vilas Boas, a chef de cozinha e proprietária do restaurante Preta, Angeluci Figueiredo, falou sobre o caso depois que soube do pedido de exoneração do secretário. O cardiologista entregou uma carta com o pedido de exoneração na tarde desta terça-feria (3) e a solicitação foi aceita pelo governador Rui Costa.

“No fundo, eu não queria isso, mas tenho minha consciência tranquila. Sempre o tratei bem, como um amigo que visita um outro em uma casa. Sempre o acolhi da melhor forma em todas as vezes que ele foi ao Preta”, disse Angeluci ao Alô Alô Bahia. O restaurante fica na Ilha dos Frades e só pode ser acessado pelo mar.

Depois de ser chamada de “vagabunda” e receber ameaças de difamação pelo Whatsapp por Vilas Boas ao avisá-lo do cancelamento da reserva, ocasionado pelo mau tempo, a chef decidiu levar as agressões à público juntamente com um texto dirigido a ele. Em certo trecho, ela escreve: “Vou reiterar a misoginia: o senhor chamaria de vagabundo um homem branco, dono de um restaurante, pelo fato de esse homem ter sido impedido de lhe atender num domingo de chuvas e ventos fortes?”.

Ao Alô Alô, Angeluci explicou a razão de ter divulgado as mensagens e a carta. “O mundo mudou, a gente tem que trabalhar a empatia e revelei o que aconteceu não mais por mim, mas por todas as mulheres que já foram de alguma forma assediadas e não tiveram chance de serem ouvidas”, disse a empresária, que mantém uma equipe de 20 funcionários.

Fonte: Correios

Continue Reading

Siga-nos no Instagram:

Facebook

Mais Lidas