Connect with us

Brasil

Loja do Carrefour em São Paulo é destruída durante protesto antirracista


Manifestantes atacaram uma unidade da rede de supermercados Carrefour, hoje (20), localizada dentro do Jardim Pamplona Shopping, na rua Pamplona, área central da cidade de São Paulo. O ato foi em protesto pela morte de João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, espancado até a morte por seguranças do mercado em Porto Alegre.

No momento em que os atos começaram, clientes realizavam compras no estabelecimento. Objetos foram atirados nas vidraças e foi ateado fogo no interior da loja. 

Do lado de fora, algumas pessoas também depredaram carros que estavam no estacionamento. Não há relatos de feridos. Metro1.

Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Brasil atinge marca de 6 milhões de casos de Covid-19

Foto : Marcelo Camargo/Agência Brasil/ Fotos Públicas

O Brasil ultrapassou na última sexta (200 a marca de 6 milhões de infectados pelo novo coronavírus. O país registrou 34.516 novos casos de Covid-19, e 521 óbitos. 

Segundo levantamento do consórcio de veículos de imprensa a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, o Brasil tem 168.662 mortes por coronavírus confirmadas até as 8h de hoje (21). Desde a chegada da doença no Brasil, o total de óbitos é 168.662.

O consórcio é formado por O GLOBO, Extra, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo. 

Leia a matéria original em Metro1

Continue Reading

Brasil

Assassinato no Carrefour: delegada nega racismo, mas não explica motivo de crime


Delegada responsável pela investigação do assassinato no Carrefour, em Porto Alegre, Roberta Bertoldo, da  2ª Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa de Porto Alegre, afirmou que o crime não foi racismo. A vítima do homicídio foi  João Alberto Silveira Freitas, um homem negro de 40 anos que foi espancado até a morte por seguranças do mercado. 

De acordo com a Folha, a autoridade policial não explicou o motivo de não enquadrar o fato em racismo. Nesta sexta (20), Dia da Consciência Negra, o vice-presidente Hamilton Mourão lamentou o espancamento de João Alberto, mas também disse que não considerar que o episódio tenha sido provocado por racismo.

João Alberto Silveira Freitas conhecido Beto. “Ele ganhou esse apelido da madrinha com um aninho de idade”, disse o pai dele, João Batista Rodrigues Freitas.

Para o pai, a morte do filho foi um episódio de racismo. “Foi um episódio de racismo. Basta ver a força da agressão. Primeira coisa que perguntei foi: ele estava roubando? Se não estava, por que ser agredido? E por que ser agredido brutalmente pelos seguranças? Aliás, não posso chamá-los de seguranças porque isso desmerece os profissionais que são seguranças de verdade”, disse à reportagem. Fonte: Metro1

Continue Reading

Brasil

Mourão admite que governo é responsável por parcela do desmatamento na Amazônia

Foto : Bruno Batista/VPR

O vice-presidente Hamilton Mourão se pronunciou hoje (20) sobre comércio ilegal de madeira no Brasil. Segundo ele, o Governo tem culpa no desmatamento na Amazônia. “Tudo que acontece ou deixa de acontecer é culpa do governo”, afirmou.

Para combater situação, o representante afirma que o Governo tem como estratégia “estrangular o comércio” com a Operação Verde Brasil, que, de acordo com ele, já fez apreensão de 175 mil metros cúbicos de madeira desmatada ilegalmente.

“Ilegalidade prospera no mundo inteiro. São vários aspectos de crimes transnacionais que as nações têm se unido para combater. Faz parte das ameaças do século 21”, disse, ainda sobre o tráfico da madeira da Amazônia no mundo.

Leia a matéria original em Metro1

Continue Reading

Siga-nos no Instagram:

Facebook