Connect with us

Economia

Vacinação em massa contra a Covid-19 vai garantir retomada da economia, afirma Guedes


O ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu hoje (25) a vacinação em massa da população contra a Covid-19 para a recuperação da atividade econômica neste ano.

“A volta segura ao trabalho é importante, e a vacinação em massa é decisiva. A vacinação em massa é um fator crítico de sucesso para o bom desempenho da economia logo à frente”, afirmou o ministro, em entrevista à imprensa sobre o resultado da arrecadação de impostos de 2020.

Ao contrário do discurso adotado por parte do governo, que defendeu a volta ao trabalho apesar do aumento no número de casos da doença e de mortes, Guedes pediu que as pessoas se cuidem. (Metro1)

Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Governo pretende entregar ao Congresso projeto para privatizar os Correios


O governo enviará ao Congresso, nos próximos dias, um projeto de lei para desestatizar os Correios. A informação foi confirmada pelo Ministério das Comunicações, e divulgada pelo jornal O Globo.

Nesta semana, o governo enviou uma medida provisória para privatizar a Eletrobras. Agora, a mesma iniciativa com os Correios sinaliza apoio à agenda de privatizações defendida pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, em um momento no qual a pauta liberal é questionada após a decisão do presidente Jair Bolsonaro de trocar o comando da Petrobras.

A venda dos Correios depende da regulamentação de um trecho da Constituição. Fonte: Metro1

Continue Reading

Economia

Isenção de impostos prometida por Bolsonaro só dará alívio de R$ 0,34 no preço do diesel


O anúncio feito pelo presidente Jair Bolsonaro de isentar a cobrança de PIS e Cofins no preço do diesel por dois meses está longe de absorver a alta no preço do combustível neste ano.

Segundo cálculos do Instituto de Estudos Estratégicos de Petróleo (Ineep), da Federação Única dos Petroleiros (FUP), a redução no preço final é de cerca de R$ 0,34 com a isenção dos impostos federais. No ano, o diesel acumula alta de R$ 0,56.

Assim, absorve pouco mais da metade do aumento desde janeiro.

Bolsonaro ainda disse ontem que “algo vai acontecer” na estatal, em resposta ao reajuste promovido na gasolina e no diesel pela manhã. (Metro1)

Continue Reading

Economia

Bolsonaro diz que impostos federais sobre gás e diesel serão zerados a partir de março


O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quinta-feira (18/2), durante sua live semanal nas redes sociais, que o governo decidiu zerar os impostos federais que incidem sobre o gás liquefeito de petróleo (GLP) – o gás de cozinha – e o óleo diesel. A suspensão sobre o gás será definitiva. Já a interrupção na cobrança federal sobre o diesel terá duração de dois meses. As medidas foram decididas em uma reunião do presidente com a equipe econômica, ocorrida durante a tarde, e passam a valer no próximo mês. 

“A partir de 1º de março agora, não haverá mais qualquer tributo federal no gás de cozinha, ad eternum. Então, não haverá qualquer tributo federal no gás de cozinha, que está, em média, hoje em dia, R$ 90, na ponta da linha, para o consumidor lá. E o preço na origem está um pouco abaixo de R$ 40. Então, se está R$ 90, os R$ 50 aí é ICMS, imposto estadual, e é também para pagar ali a distribuição e a margem de lucro para quem vende na ponta da linha”, disse o presidente.

No caso do diesel, Bolsonaro explicou que o corte no imposto será temporário até que o governo encontre uma forma de eliminar a cobrança de forma definitiva. O presidente também criticou reajustes recentes no preço dos combustíveis por parte da Petrobras e chegou a indicar que haverá mudanças na estatal em breve. 

“Por que por dois meses? Porque, nesses dois meses, vamos estudar uma maneira definitiva de buscar zerar esse imposto no diesel. Até pra ajudar a contrabalancear esse aumento, no meu entender, excessivo, da Petrobras. Mas eu não posso interferir nem iria interferir na Petrobras. Se bem que alguma coisa vai acontecer na Petrobras nos próximos dias. Você tem que mudar alguma coisa.”

Atualmente, o único imposto federal incidente sobre o GLP e o diesel é o PIS/Cofins, que é de R$ 2,18 por botijão e cerca de 35 centavos por litro do diesel, segundo informações da Agência Nacional de Petróleo (ANP). A Cide, outro imposto federal cobrado sobre combustíveis, já está zerada tanto para o diesel quanto para o GLP. (AratuOn)

Continue Reading

Siga-nos no Instagram:

Facebook

Mais Lidas