Connect with us

Tecnologia

WhatsApp permite acelerar aquele áudio gigante do seu amigo; veja como usar nova função

Foto:ilustrativa/Pexels

Se você não gosta de gente que se empolga e manda áudio de dois minutos no WhatsApp, seus problemas acabaram. Alguns usuários do Twitter informaram nesta quinta-feira (20/5) que já foram agraciados com a nova mudança do aplicativo de conversa, que permite acelerar os áudios.

Na versão que muitos usuários brasileiros estão encontrando nesta semana, é possível ajustar a velocidade para 1x, 1,5x e 2x. Segundo o Estadão, essa opção já está disponível na versão web e no aplicativo para iOS, da Apple, além de já ter sido liberada desde o início do mês para algumas contas da versão beta do app. Usuários de Android terão que aguardar mais algumas semanas, informou o WhatsApp.

A inclusão no aplicativo foi discreta, sem nenhum anúncio da empresa, diferente do que aconteceu com outras funcionalidades. Para mudar a velocidade, basta clicar no ícone de reprodução do áudio e um botão vai aparecer no lugar da foto do contato, indicando o modo de aceleração. Para trocar, basta clicar nesse ícone para alterar a reprodução.

Leia a matéria original em AratuOn

Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

WhatsApp é multado em 225 milhões de euros por uso de dados pessoais

O aplicativo de mensagens WhatsApp foi multado em 225 milhões de euros, equivalente a R$ 1,37 trilhão, nesta quinta-feira (2), pela autoridade digital irlandesa após investigação solicitada pelo comitê europeu de proteção de dados sobre as mudanças no uso de informações pessoais.

Segundo informações da AFP, a punição é a maior já imposta pela agência reguladora da Irlanda e a segunda maior de um regulador digital na Europa, atrás apenas da multa de 746 milhões de euros imposta ao grupo Amazon em julho, por violação das normas sobre a informação privada dos usuários.

Iniciada em dezembro de 2018 pela comissão irlandesa de proteção de dados, a investigação procurava determinar se o mensageiro “cumpriu suas obrigações de transparência” ao informar os usuários sobre como seus dados seriam usados.

Ainda de acordo com as informações, entre as obrigações estariam relatar como as informações são compartilhadas entre WhatsApp e outras empresas do grupo Facebook.

Neste caso, o regulador irlandês tem jurisdição, já que o Facebook tem sua sede europeia no país.

“O WhatsApp tem o compromisso de fornecer um serviço seguro e privado. Trabalhamos para garantir que as informações que fornecemos sejam transparentes e completas e continuaremos fazendo isso”, disse um porta-voz do WhatsApp em um comunicado. Fonte: Bahia Notícias

Continue Reading

Economia

Xiaomi entra no setor de fabricação de veículos elétricos

A fabricante de smartphones e produtos eletrônicos Xiaomi é mais uma empresa chinesa a entrar no ramo de produção de veículos elétricos.

“A empresa Xiaomi Auto foi registrada oficialmente em 1º de setembro”, anunciou o diretor executivo do grupo, Lei Jun.

A empresa terá um capital de 10 bilhões de dólares, informou.

Como demonstração da importância que o grupo dará a esta nova atividade, Lei Jun contratou em julho 500 engenheiros no país.

Até o momento não foram divulgadas datas para a comercialização dos carros.

Os veículos de nova energia (híbridos, elétricos, com bateria de combustível e célula de combustível) estão no auge na China, um país na vanguarda neste campo graças, sobretudo, a uma população ultraconectada e a uma política de incentivos por parte das autoridades.

As montadoras nacionais e estrangeiras competem para capitar uma parte deste mercado.

A Xiaomi não é a primeira empresa chinesa a entrar no setor. Vários grupos, como XPeng e Li Auto, que entrou na Bolsa no ano passado nos Estados Unidos, também anunciaram projetos no setor.

A Xiaomi, segunda maior produtora mundial de smartphones, também produz tablets, smartwatches, fones de ouvido, patinetes, entre outros. (AFP)

Continue Reading

Tecnologia

Compartilhar ‘print’ de conversas no WhatsApp sem autorização pode gerar indenização

A 3ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que terceiros só podem ter acesso às mensagens trocadas no WhatsApp mediante consentimento dos participantes ou autorização judicial. Compartilhar a captura de tela de uma conversa sem autorização pode gerar indenização.

De acordo com o jornal ‘O Globo’, com esse entendimento, a Turma negou provimento a um recurso especial ajuizado por um homem que divulgou mensagens de um grupo do qual participava no WhatsApp, sem a autorização dos outros usuários.

O autor das capturas de tela e outros integrantes do grupo faziam parte da diretoria de um clube de futebol, e a divulgação das conversas gerou uma crise interna. Por conta do vazamento, ele foi condenado pelas instâncias ordinárias a pagar indenização de R$ 5 mil a um dos ofendidos.

De acordo com a relatora da ação, ministra Nancy Andrighi, a simples gravação da conversa por um dos interlocutores sem a ciência do outro não representa afronta ao ordenamento jurídico. A divulgação, no entanto, é um problema, avalia a ministra. Isso porque as conversas pelo WhatsApp são resguardadas pelo sigilo das comunicações.

Exceção

O voto da relatora ainda prevê uma exceção à regra: a ilicitude poderá ser descaracterizada quando a divulgação das mensagens for feita no exercício da autodefesa: quando tiver como objetivo resguardar um direito próprio do receptor. Não foi o que aconteceu no caso julgado. Fonte: Bahia.ba

Continue Reading

Siga-nos no Instagram:

Facebook

Mais Lidas