Connect with us

Tecnologia

Compartilhar ‘print’ de conversas no WhatsApp sem autorização pode gerar indenização

A 3ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que terceiros só podem ter acesso às mensagens trocadas no WhatsApp mediante consentimento dos participantes ou autorização judicial. Compartilhar a captura de tela de uma conversa sem autorização pode gerar indenização.

De acordo com o jornal ‘O Globo’, com esse entendimento, a Turma negou provimento a um recurso especial ajuizado por um homem que divulgou mensagens de um grupo do qual participava no WhatsApp, sem a autorização dos outros usuários.

O autor das capturas de tela e outros integrantes do grupo faziam parte da diretoria de um clube de futebol, e a divulgação das conversas gerou uma crise interna. Por conta do vazamento, ele foi condenado pelas instâncias ordinárias a pagar indenização de R$ 5 mil a um dos ofendidos.

De acordo com a relatora da ação, ministra Nancy Andrighi, a simples gravação da conversa por um dos interlocutores sem a ciência do outro não representa afronta ao ordenamento jurídico. A divulgação, no entanto, é um problema, avalia a ministra. Isso porque as conversas pelo WhatsApp são resguardadas pelo sigilo das comunicações.

Exceção

O voto da relatora ainda prevê uma exceção à regra: a ilicitude poderá ser descaracterizada quando a divulgação das mensagens for feita no exercício da autodefesa: quando tiver como objetivo resguardar um direito próprio do receptor. Não foi o que aconteceu no caso julgado. Fonte: Bahia.ba

Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Ataque hacker corta linhas telefônicas de clientes, informa a Vivo

A operadora Vivo informou nesta quinta-feira (21), que a empresa prestadora de serviço de atendimento ao clientes, a Atento, sofreu um ciberataque no início da semana, por isso, alguns de seus clientes estão com a linha de telefone fixo inoperante.

Em nota ao Metro1, a operadora Vivo explicou que assim que tomou conhecimento do ataque à Atento “imediatamente desativou as conexões existentes com a prestadora de serviço”. Ainda segundo o comunicado, “a empresa adotou medidas de contingência com a sua equipe de atendimento próprio e segue interagindo com todos os clientes com as soluções digitais do App Vivo, o atendimento automatizado na central telefônica e as lojas”. (Metro1)

Continue Reading

Tecnologia

Investimentos do 5G vão universalizar internet no Brasil, diz ministro das Comunicações

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, disse nesta sexta (8) que o leilão do 5G vai garantir internet para todos os lugares do Brasil e acabar com os “desertos digitais”.

“Todos os locais no Brasil, as pequenas vilas, todos eles receberão internet”, enfatizou ao participar da inauguração de um complexo de laboratórios de conectividade no Centro de Pesquisa de Desenvolvimento Tecnológico em Telecomunicações (CPQD), em Campinas.

O leilão das quatro faixas de frequência por onde trafegam os dados do 5G está previsto para acontecer no dia 4 de novembro. A tecnologia permite o envio de uma quantidade maior de dados com um tempo menor de resposta, permitindo a conexão de diversos equipamentos e máquinas. Fonte: Metro1.

Continue Reading

Bahia

Instagram volta a apresentar instabilidade

O Instagram voltou a apresentar instabilidade nesta sexta-feira, 8. É a segunda vez que isso ocorre na semana. No Twitter, brasileiros e estrangeiros relataram dificuldades para usar a rede social, como congelamento do feed e novos stories travados no aplicativo.

Também há relatos de problemas para acessar a plataforma pelo navegador no PC. Ao contrário do que ocorreu na última segunda-feira, 4, a aparente pane não parece ter atingido o Whatsapp e o Facebook. A empresa Facebook é proprietária das três plataformas.

Na última semana, os três serviços ficaram indisponíveis por mais de cinco horas. A pane ocorreu um dia depois de uma ex-funcionária do Facebook revelar sua identidade após vazar documentos para as autoridades nos quais alega que a empresa sabia que suas plataformas estavam alimentando o ódio e prejudicando a saúde mental de crianças e adolescentes. (ATarde)

Continue Reading

Siga-nos no Instagram:

Facebook

Mais Lidas