Connect with us

Educação

Enem: estudantes com covid-19 podem pedir reaplicação da prova

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021, assim como o Enem 2020, tem uma série de medidas de segurança contra a covid-19. As provas começaram a ser aplicadas no último domingo, 21, e quem apresentou algum sintoma poderá pedir a para participar da reaplicação do exame. O mesmo vale para quem apresentar sintomas da doença até o segundo dia de prova, no próximo domingo, 28.

A reaplicação será nos dias 9 e 16 de janeiro de 2022, mesma data da aplicação do exame para Pessoas Privadas de Liberdade ou sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade (Enem PPL) 2021 e para os participantes isentos da taxa de inscrição em 2020, que por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) tiveram nova oportunidade de inscrição no Enem.

A reaplicação deverá ser solicitada na Página do Participante, entre 29 de novembro e 3 de dezembro, junto com a documentação que comprove a condição de saúde do inscrito.

A documentação deve apresentar o nome completo do participante, o diagnóstico com a descrição da condição de saúde do inscrito e o código correspondente à Classificação Internacional de Doença (CID 10). O documento deve estar legível e constar a assinatura e a identificação do profissional competente, com respectivo registro do Conselho Regional de Medicina (CRM), do Ministério da Saúde (RMS) ou de órgão competente.

Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), tem direito a reaplicação o participante que apresentar sintoma de covid-19 na semana que antecede o primeiro ou o segundo dia do exame. A mesma orientação serve para quem estiver com alguma das outras doenças infectocontagiosas listadas nos editais do Enem impresso e Digital: tuberculose, coqueluche, difteria, doença invasiva por Haemophilus influenza, doença meningocócica e outras meningites, varíola, Influenza humana A e B, poliomielite por poliovírus selvagem, sarampo, rubéola e varicela.

O Inep analisará a documentação comprobatória das condições dos participantes. Quem tiver a documentação aprovada terá a participação garantida na reaplicação.

Problemas logísticos

Os candidatos que foram afetados por problemas logísticos durante a aplicação das provas também devem estar atentos ao prazo de 29 de novembro a 3 de dezembro para pedir a reaplicação do exame. São considerados problemas logísticos falta de energia elétrica, infiltrações por conta de chuvas, falhas no computador – no caso do Enem digital, entre outros que prejudiquem a realização das provas.

Enem 2021

O Enem 2021 começou a ser aplicado no dia 21 e segue no dia 28 de novembro, tanto na versão impressa quanto na versão digital. No primeiro dia do Enem, os candidatos fizeram as provas de linguagens, ciências humanas e redação. Ao todo, dos 3,1 milhões de inscritos, 74% compareceram ao exame. No segundo dia, participantes farão as provas de matemática e ciências da natureza. Por conta da pandemia, o exame adotou uma série de medidas de segurança.

O Enem seleciona estudantes para vagas do ensino superior públicas, pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para bolsas em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni), e serve de parâmetro para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Os resultados também podem ser usados para ingressar em instituições de ensino portuguesas que têm convênio com o Inep. (ATarde)

Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

ENEM: Segundo dia de aplicação, domingo tem matemática e ciências da natureza

Foto:Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Os participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021 farão neste domingo (28/10) as provas de matemática e ciências da natureza. As atividades serão aplicadas tanto para os candidatos inscritos na versão impressa quanto na versão digital do exame. As questões serão iguais nas duas modalidades. 

Assim como na prova do domingo passado (21/11), é obrigatório o uso de máscara de proteção facial. O documento de identidade e a caneta esferográfica de tinta preta fabricada em material transparente também são itens obrigatórios na prova. No Enem digital, as respostas são dadas no computador, mas os participantes recebem uma folha de rascunho para fazer os cálculos à mão, por isso, a caneta é também necessária.  

No segundo dia de prova, os participantes resolverão questões de matemática e de ciência da natureza. As provas possuem 45 questões cada. Os portões abrem às 12h e fecham às 13h. Não é permitido entrar após o fechamento dos portões. As provas começam a ser aplicadas às 13h30 e terminam às 18h30. O horário é o de Brasília.

No primeiro dia de Enem, os participantes fizeram as provas de linguagens, ciências humanas e redação. Ao todo, 74% dos 3,1 milhões de inscritos compareceram ao exame. 

DADOS

O Enem impresso é realizado em 11.074 locais de prova em 1.747 municípios. Nessa modalidade, são mais de 460 mil pessoas envolvidas na aplicação do exame, entre coordenadores estaduais, municipais, aplicadores, corretores de redação e supervisores. Já o Enem digital envolve mais de 17 mil pessoas na realização das provas. O exame nesse formato será aplicado em 831 locais de prova em 99 municípios. 

Este será o segundo Enem aplicado neste ano, já que as provas de 2020 foram adiadas por causa da pandemia e acabaram sendo aplicadas em janeiro e fevereiro.

REGRAS

O Enem 2021 tem regras especiais por conta da pandemia. O uso de máscara facial é obrigatório nos locais de aplicação. Participantes que estiverem com covid-19 ou com outras doenças infectocontagiosas não devem comparecer ao exame e podem solicitar a reaplicação. O descumprimento das regras poderá levar à eliminação do candidato.

No dia da prova, além da máscara de proteção facial, é obrigatório levar documento de identificação original, com foto. Não são aceitos documentos digitais. Entre as identificações aceitas estão a Carteira de Identidade (CNH), o passaporte e a Carteira de Trabalho emitida após 27 de janeiro de 1997. 

Outro item obrigatório é a caneta esferográfica de tinta preta fabricada em material transparente. Ela é necessária para preencher o cartão de respostas no Enem impresso. No Enem digital, ela poderá ser usada para fazer anotações na folha de rascunho. Não é permitido o uso de lápis ou borracha. É recomendado ainda que os participantes levem lanche e água, já que a prova tem uma duração longa. 

Também é recomendado que se leve no dia do exame o Cartão de Confirmação da Inscrição. Nele está, entre outras informações, o local de prova. O cartão pode ser acessado na Página do Participante. Caso necessite comprovar que participou do exame, o estudante pode, também, na Página do Participante, imprimir a Declaração de Comparecimento para cada dia de prova, informando o CPF e a senha. A declaração deve ser apresentada ao aplicador na porta da sala em cada um dos dias. Ela serve, por exemplo, para justificar a falta ao trabalho. 

O Enem seleciona estudantes para vagas do ensino superior públicas, pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para bolsas em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni), e serve de parâmetro para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Os resultados também podem ser usados para ingressar em instituições de ensino portuguesas que têm convênio com o Inep.  Fonte: AratuOn

Continue Reading

Educação

Enem 2021: como memorizar fórmulas? Confira dicas de revisão

As provas das disciplinas de matemática, química e física serão aplicadas no próximo domingo (28), no segundo dia de provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), 2021 juntamente com biologia.

Nessa reta final, como memorizar as fórmulas de um jeito mais eficiente? Decorar fórmulas e realizar cálculos rápidos são um desafio para muitos estudantes no momento da prova. Pensando nisso, o R7 separou algumas dicas de professores para ajudar durante o Enem. Confira:

Memorização

Madson Molina é coordenador e professor de física do Curso Anglo e dá dicas para ajudar o estudante a memorizar uma fórmula. Segundo ele, é preciso ter em mente três princípios: 

• em que momento a fórmula pode ser utilizada;
• qual o significado de cada letra nas fórmulas; e
• entender o propósito da equação.

“O estudante que passa a entender essas três regrinhas vai conseguir ser mais assertivo durante a prova”, diz. O professor lembra que uma das características da prova do Enem nas áreas de exatas é não ter tantas questões que exigem memorização de fórmulas. “A prova requer habilidades como interpretação textual, leitura de texto verbal, interpretação de gráficos e tabelas”, destaca. Ainda segundo Molina, a prova pede equações de uso no dia a dia. “É você ter a física do livro como significado na vida”, exemplifica.

Para o professor de química Guilherme Bastos, do Poliedro Curso, o processo de memorização de fórmulas não é uma prioridade nos vestibulares. “As provas se modernizaram muito; então, esse não é mais o foco, o mais importante é a capacidade de correlação que o estudante é capaz de fazer entre a matéria e o cotidiano”, explica.

“Se alguma fórmula tiver de ser memorizada, o que, particularmente, não acredito, [o ideal] é começar pelos ácidos quando estivermos falando sobre reações orgânicas, já que é possível obter a dos sais e dos principais óxidos a partir dela”, diz Bastos.

João Pitoscio Filho, coordenador pedagógico do Curso Etapa, avalia que “o Enem trabalha bastante com conceitos básicos das disciplinas; assim, a revisão pura e simples de fórmulas de matemática, física ou química pode não ser tão efetiva, caso não esteja associada ao contexto de que elas fazem parte”, conta. 

Segundo Pitoscio, a dica é revisar os assuntos que apareceram com maior frequência nas últimas edições do Enem. “Geralmente, esse exame cobra os temas de maior relevância de cada disciplina”, complementa. Fonte: R7

Continue Reading

Educação

Professores dão dicas para segundo dia de provas do Enem

No próximo domingo (28), os candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021 farão as provas de matemática e ciências da natureza. Para se sair bem, professores entrevistados pela Agência Brasil recomendam que o participante tenha uma estratégia de prova. Quem não foi bem no primeiro dia de aplicação, ainda pode recuperar a nota.

Ter uma estratégia de prova é definir previamente como irá administrar o tempo e como irá resolver as questões. A dica do assessor da área de física do Sistema Positivo de Ensino, Danilo Capelari, é começar pelas questões mais fáceis. “Fazer uma primeira leitura da prova e ir respondendo as questões mais fáceis. Isso garante a proficiência. Em uma segunda leitura, dedicar mais tempo às questões mais difíceis”, diz. 

Capelari explica que garantir as questões fáceis é uma estratégia para atender aos critérios de correção das provas, pela Teoria de Resposta ao Item. Pela TRI, a nota não é calculada levando-se em conta somente o número de questões corretas, mas também a coerência das respostas do participante ao conjunto das questões que formam a prova. A TRI estima a dificuldade das questões e avalia o conhecimento dos participantes.

Caso um estudante erre todas as questões fáceis e acerte uma difícil, a pontuação dele nessa questão será menor do que a de um estudante que acertou as questões mais fáceis e também a difícil. No primeiro caso, o sistema poderá entender que o participante chutou a resposta. 

Agenda_Enem_2021_segundo_dia, por Arte/Agência Brasil

“Olhe as questões, dê uma primeira lida para escolher efetivamente os itens, começando pelos que você tem mais certeza de acerto. Como são textos grandes, não acho que seja adequado se aventurar a gabaritar tudo ou a fazer de forma contínua, da primeira à última questão”, complementa o professor de matemática do Colégio Matriz Educação, José Carlos de Medeiros. 

Atenção ao enunciado

Outra dica é estar atento aos textos e enunciados da questão. “Às vezes, as questões [que são de múltipla escolha] têm mais de uma alternativa que está correta conceitualmente. A grande questão é responder de acordo com o que o enunciado está pedindo. A alternativa pode estar correta conceitualmente, mas não é o que o enunciado pede. Quando se fala em interpretação de texto, é importante que os alunos estejam focados no pedido da questão, no enunciado”, explica Capelari.

Na reta final, a poucos dias para a prova, Medeiros recomenda que os estudantes descansem, para que possam estar tranquilos, mas que também façam uma última revisão. “Eu sempre acho que o melhor é o caminho do meio, eu acho que cabe dar uma revisada, mas estudar à exaustão não é a melhor solução emocionalmente para fazer uma prova”

Uma forma de revisar o conteúdo é fazer questões de provas do Enem de anos anteriores. “Acho interessante, para quem tiver oportunidade, rever algumas questões dos vários grupos de prova, do Enem PPL [para pessoas privadas de liberdade], Enem digital, em Libras [Língua Brasileira de Sinais], porque elas têm questões diferentes, mas que vêm do mesmo banco. É legal treinar as características da prova”, diz o professor. Todas os cadernos de questões e os gabaritos de anos anteriores estão disponíveis no site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). 

Ainda dá para recuperar 

No último domingo (21), os candidatos fizeram as provas de linguagens, ciências humanas e redação. Para quem acha que não foi muito bem, os professores dizem que ainda dá para recuperar a nota. “Não pode desanimar, no Enem não ir muito bem é relativo. Como a prova segue a TRI, acontece muito de alunos acertarem 25 questões e tirarem a mesma nota de quem acertou 8 ou 9, por causa da estratégia de prova”, diz Capelari. 

Medeiros concorda: “Não há essa coisa de bola de cristal. Não saiu o resultado e, principalmente, como a gente tem 26% de ausência, deixar de tentar eu acho que não é uma coisa inteligente. Já que está dentro do processo, não custa ir lá e tentar, até porque não há certeza de absolutamente nada”. 

Os gabaritos oficiais serão divulgados para todas as provas apenas na próxima semana, até o dia 1º de dezembro. 

Questões do Enem

Para testar os conhecimentos, os estudantes podem acessar gratuitamente o Questões Enem da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), um banco que reúne todas as questões do Enem de 2009 a 2020. No sistema, é possível escolher quais áreas do conhecimento se quer estudar. O banco seleciona as questões de maneira aleatória. Mais informações sobre a cobertura do Enem, que inclui correção de provas, estão disponíveis aqui.

Continue Reading

Siga-nos no Instagram:

Facebook

Mais Lidas